Pular para o conteúdo principal

Destaques

Lançamento do Unicom Conflitos reúne profissionais para debate com alunos

A nova edição do Jornal Unicom, produzida em cima do tema “Conflitos que transformam”, teve o lançamento oficial na noite dessa segunda-feira, 27, em um evento onde o assunto central da publicação foi debatido. Mediado pelo professor Demétrio de Azeredo Sóster, o debate iniciou após as 19h30, no auditório do Memorial da Unisc, e teve como convidados à mesa o jornalista Rodrigo Lopes, a psicóloga e socióloga Gabriela Maia e o sociólogo e professor Luiz Augusto Campis.
No primeiro momento, os três convidados tiveram a oportunidade de falar sobre conflitos que transformam – para o bem ou para o mal – a partir das perspectivas profissionais e pessoais de cada um. Quem deu início a essa fase foi Gabriela, que tratou majoritariamente sobre questões de gênero e a violência acerca disso. Dando sequência, com uma perspectiva mais sociológica, Campis falou sobre a Teoria do Conflito Social, de Karl Marx, relacionando-a com a realidade. Para finalizar, Lopes fez uma breve apresentação sobre a …

Entrevista com Ortiz

Galera, acabo de voltar da entrevista com o Ortiz, e foi tudo de bom!
Eu e o Urgel - que ressurgiu das cinzas - fomos recebinos da residência do escritor para um bate-papo super legal e descontraído. Temos muitas novidades e revelações das indiadas desse jornalista de aventura pra contar pra vocês! MAS... vocês terão que esperar até o UNICOM sair quentinho pra saber de tudo.

Foi uma ótima experiência e uma tarde muito animada. E como não podia faltar, com algumas indiadas de brinde, como um passeio de ônibus por bairros que nem imaginávamos existir em Porto Alegre e uma espera de quase duas horas na rodoviária porque meu fotógrafo perdido não pegou o ônibus mais cedo. Faz parte, não é mesmo? Já que o tema é indiadas precisamos nos aventurar no processo também.

Então aguardem o UNICOM para saber mais sobre as aventuras de Airton Ortiz ao redor do mundo. Até mais.

Comentários

  1. Que legal, galera! Tenho certeza que será uma entrevista muito legal esta.

    ResponderExcluir
  2. Relacionar a nossa tarefa com uma indiada foi uma sensação imediata. Saí de Encruzilhada, a Dani de Santa Cruz. Combinamos de nos encontrarmos na rodoviária de POA. Cheguei uma hora depois dela (a culpa foi minha, já sei, Dani). Então pensamentos começaram a mionar minha cabeça: "Será que não seremos assaltados?; será que vamos nos perder?; será que vamos achar o entrevistado?" Felizmente nada de ruim aconteceu, descontando a distância da casa do entrevistado (meia hora de ônibus da rodoviária). MAs já pensou uma indiada nesse caminho? Era o que eu mais pensava (e cá pra nós, no fundo, eu estava quase desejando)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas