quinta-feira, 25 de novembro de 2010

O segundo Unicom do semestre está quase pronto

A segunda edição do Unicom deste semestre já está quase pronta. Recheada de conteúdo interessante, o jornal-laboratório tem temas variados. Nesta quinta-feira, 25, a diagramadora Larissa Almeida acompanhada da subeditora Ana Flávia Hantt, fizeram todas alterações nos textos propostas pela revisora, Luiza Machado, da disciplina de Leitura e Produção de Textos III.


Também, ajudaram na revisão Willian Ceolin e Patrícia Barreto. Eu, que estava apenas olhando o trabalho do pessoal, resolvi fazer um post no blog.

O mais legal de tudo é ver que o segundo Unicom do semestre está quase pronto. E mais uma vez, garanto que o jornal ficou lindo. Na próxima segunda, o jornal vai para impressão. Já no começo de dezembro, vocês, queridos leitores, vão ter mais uma edição em mãos.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

No Unicom, o diário de um brigadiano

O legal de escrever em formato de diário é que podemos mostrar que uma vida 'normal' - para não usar o ordinário termo 'ordinário' - pode ser muito interessante.


E, no caso da minha matéria para o Unicom, além disso, o leitor vai conhecer um lado diferente de uma profissão que, em principio, todos conhecemos.

Alex Cassol, o personagem cujo diário vai ser publicado na próxima edição do Unicom é o responsável pelo cartório da Brigada Militar de Lajeado. Seu trabalho, como ele mesmo diz, "é papel, papel e papel".

Ao contrário dos colegas, que tem uma rotina de trabalho emocionante, Cassol passa por situação radicais quando está de folga. Para visitar a mulher e a família em Catuípe, na região Noroeste do Estado, sem gastar com passagem, ele pára na beira da estrada e pede caronas.

Entre óvnis e reencarnações

Recentemente terminei de ler o livro 'A Hospedeira', da Stephenie Meyer (sim, essa mesma, a do Crepúsculo). Trata-se de um romance que envolve ficção científica. Conta a história da alienígena Peregrina, que passa a dividir o corpo com uma hospedeira resistente, Melanie.



De cara, lembrei de duas matérias que estarão no próximo Unicom: os óvnis da Rochele e as "minhas" cartas psicografadas. Isso porque na obra, os habitantes do planeta Origem dominam a Terra ao perceber a degradação que os humanos estão causando. Os alienígenas, que somente sobrevivem com um hospedeiro, suprimem a mente das pessoas e ocuparam os seus lugares.

Ficção científica? É claro. Mas quem garante que as aparições extraterrestres presenciadas pelas fontes da Rochele não são um aviso? E quem garante que almas não podem reencarnar constantemente em planetas diferentes?

Loucura? Saiba mais sobre o assunto na próxima edição no Unicom!

Vem aí o próximo Unicom

Junto com a correria do final do semestre, vem a finalização de todas as disciplinas. Em Produção em Mídia Impressa, não é diferente. Tudo bem que o próximo Unicom está “recheado” de matérias interessantes, mais páginas... enfim, modéstia a parte, o jornal está muito bom. Porém, tudo tem seu preço, inclusive, um jornal.

Quero com este post reforçar o convite a todos os visitantes do blog lerem o próximo Unicom. Nesta segunda edição o tema é livre e tem muita variedade. A minha matéria fala sobre o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) durante a noite: as dificuldades, as cenas aterrorizantes, a agilidade necessária para realizar o atendimento entre outros assuntos pertinentes ao trabalho noturno.

Durante duas madrugadas participei do atendimento, ou seja, fui junto com os profissionais ver de perto como funciona o trabalho. Ainda no blog, você pode acompanhar áudis e alguns vídeos que vão sendo postados no decorrer do tempo. E para reforçar, leia o próximo Unicom. E claro que não pode faltar a advertência: em situações de EMERGÊNCIA e URGÊNCIA, acione os anjos da guarda, disque 192.

Você colabora com a reciclagem?

Para a matéria do Unicom ouvi dos catadores de rua a dificuldade que eles enfrentam para separar os resíduos, pois os cidadãos de Santa Cruz do Sul não costumam separar o lixo doméstico.


Os cuidados com o lixo e a preservação do meio ambiente não são responsabilidade exclusiva das organizações não-governamentais, órgãos públicos ou dos catadores. Cabe ao cidadão separar e cuidar dos seus resíduos. Esse processo colabora na vida dos que trabalham catando e no processo de reciclagem de lixo.

Além de preservar o meio ambiente a reciclagem também gera renda. Os materiais mais reciclados são o vidro, o alumínio, o papel e o plástico. Esta reciclagem ajuda, também, a diminuir significativamente a poluição da água, do ar e do solo.

Pense nisso e colabore você também!

Pitada de Informações

Em todas as profissões é constante a busca por condições de trabalho, por uma instituição que defenda seus direitos e que retribua de alguma forma com a sua qualidade de vida . Pois os deveres existem, e os direitos também.

Assim como na vida para alcançarmos nosso objetivos, é preciso muito esforço e dedicação. A união é muito importante para que os profissionais consigam conquistar seu espaço. O ditado já diz: "a união faz a força".

Por outro lado, as instituições responsáveis em defender ou até mesmo fiscalizar uma profissão, possuem um papel importante, que nada mais é, (desculpe a redundância) que organizar aquilo que não está organizado. E tentar de alguma forma contribuir e retribuir os profissionais, seja ele qual for.

Bem, isso é apenas uma pitada de informações para que você fique ligado na próxima edição do Unicom.

By Patricia Barreto

Banda Fest - a alegria toma conta

A música ajuda na memória, especialmente quando a pessoa consegue ligar aquela melodia a algum acontecimento do seu passado. E ainda mais se essa pessoa for idosa. É o caso da Banda Fest. Uma tradicional bandinha de estilo alemão de Santa Cruz do Sul. Ao todo, os sete integrantes do grupo, somam mais de três séculos de idade. Arlindo, Osvino, Wilson, Ingo, Ricardo e o caçula, Igor.


Sete músicos e a paixão que os acompanha por décadas. E o que mais chama a atenção nesse conjunto é a alegria com que eles fazem seu trabalho. A pista de dança fica repleta de bailarinos de finais de semana quando a banda toca. Oitenta, sessenta, trinta, ou até cinco anos.

Não importa a idade, todos dançam e compõem a alegria de uma banda que toca por prazer, por amor e empenho ao trabalho realizado. Uma banda que durante a semana trabalha na lavoura, cuida da família e da casa. Nos finais de semana, chegam a fazer de duas a três apresentações. A agenda já está cheia para 2011. E o segredo de tudo isso? Não pensar no que será o amanhã. Viver o presente. E o principal: com felicidade!

Não lembro

O aposentado Olásio de Fraga, 81 anos, conserta guarda-chuvas há 15 anos. No decorrer dos anos, com a prática, o aposentado descobriu que existem diversos modelos de objetos.


No momento em que alguém solicita que conserte o guarda-chuva, o aposentado já informa que conserta com calma, que não tem pressa. Mesmo assim, o pessoal costuma deixar os objetos para que ele realize o conserto.

No dia em que eu o entrevistei, questionei se ele gostaria de receber guarda-chuvas estragados, caso eu soubesse de alguém que tenha. Nossa, o aposentado ficou super contente. Ok. Dias desses, conversei com uma neta do aposentado, mas para minha surpresa, a mesma informa: "O vó não lembra que você esteve na casa dele, e bate de pé juntos".

Saudade do tempo de criança

Recordar com alegria da nossa infância é maravilhoso. Nasci em uma localidade do interior, onde luz elétrica era relíquia. Na época, TV, computador eram "bichos que mordiam". Então nos ocupávamos com brincadeiras como: esconde-esconde, pega-pega, amarelinha, roda roda, passa anel. Atividades que aprendemos com as avós e primos. Um passava ao outro o que sabia. Pais ficavam ao redor observando e dando boas risadas e muitas vezes entravam na brincadeira. Tudo era divertido e bonito. Momentos estes, que trazem saudade.



É comprovado que brincar, é um aspecto importante para o desenvolvimento da criança. Então, que as crianças de hoje possam relembrar no futuro de momentos maravilhosos e que uma dessas recordações seja simplesmente, brincar.

OVNI em Venâncio Aires

O agricultor Olmiro da Costa e Rosa, morador de Linha Boa Vista, estava trabalhando na lavoura de feijão e milho quando ouviu um ruído estranho. Ruído este que assustou os animais que pastavam no campo, fazendo-os fugirem do local. Olmiro ergueu os olhos e viu um homem desconhecido, próximo a um objeto de aproximadamente 15 metros de diâmetro. O objeto tinha formato de chápéu e flutuava a um metro do solo.


Essa história foi matéria na Revista Cruzeiro, em 1955. Na época, duas aparições na mesma localidade, no interior de Venâncio Aires, chamaram a atenção dos estudiosos. Seu Olmiro avistou o objeto dia 9 de dezembro e, Pedro Morais (também agricultor) não somente avistou objetos como estabeleceu contato com os tripulantes, no dia 11 de dezembro do mesmo ano.


Então, se eles estão entre nós, pode-se dizer que estão há bastante tempo.

Uma realidade diferente,...



Nesta edição do Unicom estou conhecendo a realidade da vida dos catadores de lixo de Santa Cruz do Sul. E a jornada de trabalho de um catador não é fácil. Ele passa até 16 horas diárias revirando resíduos em busca de garrafas plásticas, latas de alumínio, papel e papelão, para, ao fim do dia, vender o material levar o material até a Usina de Reciclagem.

Uma maneira de melhorar a renda, recomendada inclusive pelo Ministério do Meio Ambiente, é a formação de grupos ou cooperativas. Com esse tipo de associação — são 600 no Brasil, segundo o ministério —, é possível diminuir o tempo de coleta, aumenta o valor dos produtos e permitir mais segurança e higiene.

Em Santa Cruz a Cooperativa de Catadores já existe e é um forte movimento em busca dos direitos e melhores condições de vida para estas pessoas que vivem nas ruas resgatando as sobras da sociedade.

Ficou curioso para conhecer um pouco mais da história destes trabalhadores? Então não perca a próxima edição do Unicom...

Teleweb do Unicom - Ed. VI

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Brincar faz bem a saúde

É comum ouvir que, quanto mais atividades a criança abranger, melhor será para a sua formação. Porém, é importante lembrar que toda criança precisa de tempo livre para brincar. Além das atividades em excesso, pais acreditam que a quantidade de brinquedo é a melhor forma de suprir a necessidade de seus filhos. Você sabia que brincar é tão importante para a criança como trabalhar é para o adulto? É o que a torna ativa, criativa, e lhe dá oportunidade de relacionar-se com os outros; também a faz feliz e, por isso, mais propensa a ser bondosa, a amar o próximo, a ser solidária. Este é um dos assuntos que será matéria na próxima edição do Unicom.


Então, que tal começar a brincar com a meninada? Com certeza podemos dar boas gargalhadas e nos divertir muito com, esconde-esconde, pega-pega, amarelinha e as canções de roda.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Teleweb Unicom - Ed. IV

Mais um “causo"

Eulásio de Fraga, 81 anos, o aposentado que conserta guarda-chuvas sem custo algum, ao saber que sua esposa está com a doença Mal de Parkinson, preocupa-se e marca horário com um médico, sem as filhas saberem.

Seu Elásio, ao ouvir suas filhas conversando sobre a doença de sua mãe, logo entra na conversa dizendo que não é necessário que elas marquem médico.

Em seguida, umas das filhas questiona:

Filha: Pai, quando você marcou médico para a mãe?
Eulásio: Heim?

Filha: Pai, quando você marcou médico para a mãe?
Eulásio: Ah, semana que vem.

Filha: Qual médico você marcou?
Eulásio: Paulo Brito!

A filha se desespera, logo questionando o pai por que o Paulo Brito? Ele, por sua vez, logo responde: “Ela está com mal de parto”!

Pois é minha gente, essa é mais um "causo" de seu Elásio de Fraga, mais conhecido como “Vô Digero”.

Mais histórias desse querido personagem você confere na próxima edição do Unicom.

Radioweb Unicom - Ed. IV

Saiba como acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) com o coordenador geral do órgão, enfermeiro Carlos Roberto de Lima Machado Júnior. Ele explica passo a passo sobre o processo de atendimento dos profissionais.

domingo, 7 de novembro de 2010

"Controle da Missão, por favor, seja informado, há uma Santa Claus."

Essa foi a fala de James Lovell, astronauta da Nasa durante a missão Apollo 13. "Santa Claus" era um código usado para casos de avistamento de objetos voadores não identificados.

A discussão em torno do assunto ganha força na internet. Entre vários materiais (vídeos e textos) visivelmente manipulados para diversão(e desespero dos menos avisados), destacam-se alguns documentários interessantes, com depoimentos de mais astronautas que presenciaram o avistamento de OVNIs no espaço.

Todos são categóricos ao dizer que a Nasa detém informações importantes não somente com relação à vida em outros planetas mas, também, com relação à segurança mundial. No Brasil, como já comentei no post anterior , a Força Aérea liberou documentos ultrassecretos para análise de pesquisadores da área.

E, depois da última quinta-feira, os ufólogos terão mais um material para se debruçar: uma aparição, contundente - e por enquanto sem explicação - no interior da cidade de Vera Cruz. Detalhe: não é a primeira vez que isso acontece naquela localidade.

Ficou curioso? Os detalhes desse avistamento intrigante na próxima edição do Unicom.

sábado, 6 de novembro de 2010

Radionovela

Para a próxima edição do Unicom irei escrever sobre radionovela. Melhor dizendo, dos atores que ainda vivem e fazem parte desse marco histórico do rádio. Pessoas que trazem experiências vividas numa época onde a única diversão era o rádio e a maior diversão eram as radionovelas. Entrevistei atores e ouvintes daquele tempo, pessoas simples e que tem muito gosto em lembrar de um passado cheio de emoções.

Não foi fácil encontrar as fontes e foi um pouco mais difícil fazê-las lembrar do distante passado, pois a época das radionovelas acabou há mais de 50 anos.

Confesso que tive vontade de ouvir uma radionovela para saber como as pessoas se encantavam apenas com o som, sem a imagem que hoje é tão comum.

Quer saber mais? Leia o próximo Unicom

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Importância do Samu

Após duas noites em claro na central do Samu em Santa Cruz do Sul e indo juntamente com a sequipes aos atendimentos, vi o quanto é importante este trabalho e que com certeza, merece ser destacado na próxima edição do Unicom.

O que mais me chamou a atenção, foi o modo de atendiemento da quipe da Unidade de Suporte Avançado(USA), composta por um médico, uma enfermeira e um condutor. Eles atenderam a uma vítima de acidente no trânsito: uma condutora de 22 anos que colidiu frontalmente contra uma carreta. O estado de saúde da vítima era gravíssimo. Mas devido a agilidade da equipe, a jovem foi encaminhhada ao hopsital, onde permanece internada.

Muitas pessoas não sabem do que se trata e muito menos, como funciona este serviço que é oferecido à toda a população santa-cruzense. Porém, é um órgão tripartite, ou seja, mantido pelos governos federal, estaduais e municipais. Em Porto Alegre, onde fica situada a central do Samu Metroplitano, do qual a equipe de Santa Cruz é uma base, foi um do municípios brasileiros pioneiros neste tipo de atendimento.

O importante é lembrar que para alguma emergância ou urgência, deve ser digitado no telefone 192!

Turma grava mais um teleweb



Na quinta-feira à noite, 04, gravamos mais um teleweb para o blog do Unicom. Em meio a muitas risadas, Willian e eu apresentamos, de forma superdescontraídada, a edição.

O próximo teleweb do Unicom, foi gravado em estúdio e tem como conteúdo as imagens feitas pelas alunos durante as entrevistas. Além disso, os colegas falam sobre os bastidores da produção das matérias.

Estamos em fase de edição do programa. Na próxima semana, ele está no ar aqui no blog. Aguarde.

Mais fotos da gravação você vê no Flickr.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Catadores de lixo


O Unicom já está começando a ser preparado. Nesta edição estou buscando informações sobre aqueles que buscam nas ruas e nos lixos a sua sobrevivência. É surpreendente o quanto não nos damos conta da importância destes trabalhadores, que todos os dias circulam na cidade recolhendo aquilo que já não nos serve mais.

Os catadores de lixo são responsáveis por praticamente todo material reciclado nas indústrias brasileiras, colocando o Brasil como um dos maiores países reciclador de alumínio do mundo.
Apesar de todas as dificuldades do trabalho e com o preconceito da sociedade, esses trabalhadores informais, criativamente, conseguem sobreviver e ao mesmo tempo cuidar do meio ambiente.

São homens, mulheres e até crianças que procuram por todas as ruas da cidade, durante os três turnos, manhã, tarde e noite, materiais que lhes interessem para uma posterior comercialização.
Quer saber mais sobre o assunto? Então é só esperar o próximo Unicom e ir acompanhando nosso blog.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O "causo" é o seguinte

Após uma longa conversa com seu Olásio de Fraga, o aposentado de 81 anos conta a história de como aprendeu a pôr a mão na massa, ou melhor, como aprendeu a fazer bolachas, pão e geléias. Não acreditam, pois tratem de acreditar, ele se vira nos 30.


Quando sua irmão saiu de casa, Olásio teve de cuidar dos irmãos mais novos. Eis aí o início de tudo. Sem falar que ele ajudava na organização da casa. Era pão caseiro, bolacha de manteiga e assim vai. Sorte da Dona Odila, sua esposa. Já pensou, você chegar em casa e tudo pronto: casa limpa, pãozinho quente, uma bolachinha acompanhada de um belo chimarrão... maravilha!

Pois bem, agora vamos tratar do aposentado que conserta guarda-chuvas. Segundo ele, tudo começou quando viu uma sombrinha estragada, de sua esposa, e pensou: "Não deve ser difícil de consertar". Tentou, tentou, até que conseguiu consertar. Mas não levou muito a sério. Após se aposentar, começou a frequentar os bingos da cidade.

Com o fechamento dos bingos, seu Olásio dedicou-se á consertar guarda-chuvas. Este foi o "causo" do início de tudo. Sim, "causo", como ele mesmo diz. Mais um fato importante, ou seja, bizarro? O aposentado arrancou um dente com o alicate que conserta os próprios guarda-chuvas. Não me perguntem como isso ocorreu, pois quando o questionei, a resposta foi a mesma quando falei em fotografar ele consertando o guarda-chuva: "Isso não é necessário".

Minha reportagem com este simpático aposentado foi assim, diversas histórias e "causos".

Uma carta psicografada

Você já viu uma carta psicografada? Até fazer minha matéria para o Unicom, eu também não tinha visto. Confesso que, apesar de todos os ensinamentos sobre imparcialidade e distanciamento do repórter, foi difícil não encher os olhos de água enquanto minha fonte me contava sua história.

Maria Luíza Ruppenthall é uma mãe que perdeu seu filho de 10 anos, vítima de um acidente com arma de fogo. Desesperada, encontrou respostas surpreendentes para as suas dúvidas.

Independente da crença de cada um, não há como não se impressionar com a possibilidade dos mortos se comunicarem com os vivos.

Abaixo, uma fotografia que fiz de uma das páginas da carta psicografada.



Aguarde e leia a matéria na íntegra no próximo Unicom!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Infância e as brincadeiras antigas

Brincar de esconde-esconde, pega-pega, amarelinha, caçador e inúmeras canções de roda faziam parte da minha infância. Nasci e cresci no interior, um lugar londe de tudo, mas muito perto do aconchego da família, dos parentes e de uma comunidade escolar Não tinha luz elétrica e muito menos computador ou vídeo-game. Na hora do recreio as brincadeiras de roda deixavam os quietinhos e envergonhados, bem a vontade e enturmados. Ah, que saudade da infância, do tempo em que a bola para jogar caçador nas tardes de domingo era feita com restos de meia-calça da mãe, avó, tia, e, se necessário da vizinha.

Com o avanço da tecnologia brincadeiras antigas começaram a dar lugar para aparelhos eletrônicos e raramente encontramos crianças brincando de roda ou de amarelinha, esconde-esconde, etc. Na minha matéria trago o resgate de brincadeiras que pareciam ser esquecidas, mas descobri que ainda estão muito ativas em uma escolinha em Santa Cruz do Sul. Passei alguns momentos com a meninada e confesso, voltei a ser criança por alguns instantes. Pois é, isto é o que as brincadeiras trazem de bom, fazem nos sentir parte e nos divertem tanto quanto as crianças que as brincam.

O mercado do sexo no Sec. XXI

Foi-se o tempo que o mercado do sexo era restrito aos bordéis e as "tradicionais" casas de cafetina. No fim do século passado, o telessexo começou a se popularizar, principalmente entre homens casados, o que gerou confusão. Em 2004, por exemplo, a Telemar chegou a bloquear ligações para esse tipo de serviço! Hoje, o mercado do sexo amadurece em um novo tipo de "modalidade": o sexo virtual.

Sites de chat adulto estão entre os mais acessados do mundo inteiro e muitas mulheres viram nesse meio uma nova oportunidade de ganhar dinheiro, sem o ônus da prostituição: o contato físico.

Esse é o caso de Nádia, a stripper virtual que estampará as páginas da próxima edição do Unicom. Casada e mãe de dois filhos, ela iniciou no ramo há menos de dois anos e hoje sobrevive dessa renda. Mas ela é uma stripper independente. Criou um site próprio e um blog para divulgar o trabalho.



Agora, para saber mais sobre a história dela, aguarde até a próxima edição do Unicom. ;)

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Entre músicos, Ordem e discussões

São diversas as discussões no que diz respeito aos profissionais da música. Minha reportagem do Unicom vem para debater um pouco e entender o que significa a Ordem dos Músicos do Brasil aqui em Santa Cruz do Sul. Um tema muito discutido entre os músicos da cidade. Fala-se muito sobre desunião e falta de interesse da própria classe. Mas também existem as contrariedades, em que os músicos falam sobre uma Ordem que em nada vem a contribuir.

Nesta edição do Unicom fui atrás de alguns depoimentos e de algumas respostas sobre a atual situação do músico em Santa Cruz do Sul, no que diz respeito à forma “legal” da profissão. Como que funciona a OMB? O que os músicos pensam sobre esta Ordem?O que a Ordem tem a dizer sobre a situação? O que pode ser feito pela classe, que ao mesmo tempo em que cobra um olhar sobre si, não procura rever uma maneira de unir a classe e em conjunto conquistar o seu espaço?

O que será que os músicos pensam sobre toda a situação?O que a classe pode fazer para se unir?Como a OMB pode auxiliar os músicos?De que forma todos podem se entender?

Saiba mais sobre a questão na próxima edição do Unicom.

Você sabe da onde vem a tequila?

Eu não bebo, mas quando fiz a minha matéria para o próximo Unicom descobri da onde sai a famosa bebida de origem mexicana que agita as baladas: a tequila. Acho interessante compartilhar essa informação.

O
Agave Azul é uma planta semelhante a um sisal gigante e só se desenvolve em terrenos de solo vulcânico e clima árido. Ele precisa de 8 a 10 anos de idade para estar pronto para produção. São necessários 7 quilos de Agave para produção de 1 litro de tequila.

Como eu previa, quando fazemos matérias sobre natureza sempre aprendemos bastante coisa.