quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Mas que eles existem, ah, existem.

Acredito que as peças que meus primos me pregavam quando criança - como, por exemplo, abrir a conta de luz e dizer que era uma carta do Papai Noel, avisando que iria me sequestar - não me ajudaram nem um pouco a me tornar uma adulta segura. Na verdade, sou muito medrosa. Passei semanas sem levantar da cama à noite para ir ao banheiro depois de assistir ao filme "O Exorcista" e tive medo quando o Gugu contou a história do "chupa cabras" no programa do domingo.

Bom, mas posso dizer que meu medo é proporcional à vontade de vencê-lo. Sempre me envolvi em questões que me desafiassem. Por isso, para esta edição do Unicom, fui à caça de informações sobre objetos voadores não identificados. Que levante a mão quem nunca se perguntou - por um instante que fosse - se estes fenômenos são reais ou se não passam de fraudes.

Essa resposta (se houver), infelizmente, ainda não posso revelar. Mas o que garanto é que há estudos sérios que envolvem, inclusive, a Força Aérea Brasileira. E adianto, também, que tive acesso a alguns destes documentos confidenciais, datados de 1969 e que recentemente foram liberados pelo governo para estudos dos centros ufológicos.


Algo gratificante na profissão de jornalista é se tornar um especialista em generalidades. Nessas horas, o medo desaparece e o único frio na barriga é o de fazer a melhor matéria.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

O homem mais feio


A foto acima mostra o lugar que a minha fonte mora. Numa casa, em Vila Rosa, interior de Restinga Seca (RS).

Seu nome é Fredolino Malke, apelido Bubi. O nome pode até ser estranho e o apelido também, mas o que é mais estranho, ele é conhecido como o “Homem mais feio”.

Isso mesmo! Há mais de dez anos Bubi participa de concursos como o homem mais feio. No sábado tive o prazer de entrevistar este homem simples, humilde, e por sinal feio.

A entrevista não foi muito longa, mas foi o suficiente pra repensar em pessoas que apesar de tantas tecnologias, e o padrão da beleza imposto na sociedade, moram sozinhas, sem nenhuma TV, rádio, internet, e mesmo assim são felizes.

A vida do homem mais feio vai ser a minha reportagem. Claro, vocês devem estar bem curiosos pra ver uma foto do "homem mais feio", mas isso só na próxima edição do Unicom.

Aguardem!

sábado, 23 de outubro de 2010

Agora pode chover

Para quem acha que final de semana é sinônimo de descanso está enganado. Mais uma entrevista realizada, em pleno sábado. E desta vez, do lado de fora do portão. É, entrevista realizada na calçada, numa ventania acompanhada por latidos de cachorros. Mas, o que importa é o resultado. Minha entrevistada foi uma senhora, Dona Edi, chegada numa conversa.... eitaaaaa. Mas digo, valeu a pena passar um pouquinho de frio, pois o diálogo com ela foi muito bom.


Mas o dever ainda continua. Encontrei mais duas fontes para minha reportagem. E por falar nisso, alguém necessita consertar guarda-chuvas ou sombrinhas? É só me falar que passo o endereço certinho hein, rsrsrs.



sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Somos bem vistos por fora


Pessoal. Estou participando de algumas atividades da 35º Secom, Semana Acadêmica da UFSM, que iniciou da terça-feira e vai até hoje.

Na quarta-feira que passou, dia 20, o professor Demétrio de Azeredo Soster, que leciona a nossa disciplina para a produção do Unicom, palestrou para os estudantes ali presentes.

Não tive a oportunidade de estar na quarta. Mas já na quinta-feira quando participei de uma oficina, conheci alguns estudantes que foram na palestra e, consequentemente, elogiaram e gostaram muito da fala do professor. No mesmo instante mostrei a nossa edição deste semestre “Coisas de Mulher”, e o pessoal se apavorou com o trabalho que estamos realizando.

Então turma, estamos no caminho certo. Vamos cada vez mais levar o nome da nossa Instituição e do nosso curso. Mostrar que somos bons e criativos no que fazemos.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Significado e função do SAMU

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (no Brasil também SAMU 192) é um serviço de atendimento médico, utilizado em casos de emergência. Foi idealizado na França, em 1986 como Service d'Aide Médicale d'Urgence — que faz uso da mesma sigla "SAMU" — e é considerado porJustificar especialistas como o melhor do mundo. Internacionalmente, o termo Samu significa Serviço de Atendimento Medico de Urgência.

No Brasil, é oferecido pelo governo federal brasileiro, em parceria com governos estaduais e prefeituras, com a finalidade de prover o atendimento pré-hospitalar à população. O projeto piloto do SAMU brasileiro aconteceu em Porto Alegre e em Ribeirão Preto. Nas cidades brasileiras onde o serviço é disponibilizado o telefone para solicitá-lo é o 192 (ligação gratuita).


As ambulâncias do SAMU são divididas em:

  • USA – Unidades de Suporte Avançado (UTIs móveis), usadas em casos mais graves

  • USB – Unidades de Suporte Básico

  • VT – Veículos de Transporte, são usadas em casos mais simples

  • MOTOLANCIA: Veículos de intervenção rápida. Usada para fazer um pré-atendimento.

  • AMBULANCHA: Unidade de Socorro Aquático.

  • HELICÓPTERO: Unidade de Socorro aéreo.

Você acredita em espíritos?

Independente da sua resposta para a pergunta acima, saiba que apenas no Brasil, cerca de dois milhões de pessoas se dizem adeptas da doutrina espírita.


Na próxima edição do Unicom, este tema virá à tona. Mas mais do que a biografia de Alan Kardec e relatos de Chico Xavier - amplamente trabalhados neste ano - a matéria abordará outros aspectos.

A culpa de um pai que deixou uma arma carregada ao alcance de uma criança pode ser aliviada por uma mensagem psicografada? A dor de uma mãe por perder seu filho de oito anos pode ser amenizada porque ele manifestou estar vivo?

Saiba as respostas para estas perguntas no próximo Unicom.

Abra alas para a ambulância do SAMU

Como contei ao Demétrio (Tata) nesta tarde, a reportagem da segunda edição do Unicom vai ficar "bala". Mas claro que nada é de graça e tem o seu valor. Inclusive, valor CARO este. Mas nada de desculpas e desistência.

A minha reportagem da segunda edição, fala sobre o serviço prestado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Muitas pessoas sabem que o órgão existe.

Em compensação, não fazem ideia do que se trata. Se você é uma destas pessoas que não tem informação sobre os serviços, diga-se de passagem, URGENTES, leia o próximo Unicom. E é claro que não só esta reportagem será interessante. Não posso deixar de fazer um comercial para todos os colegas também.

Portanto, leiam TODO o Unicom... sem moderação!

Pede pra sair, de bermuda

A sede da corporação policial mais famosa do Brasil, o Bope, fica no pé de um morro no bairro das Laranjeiras, na zona Sul do Rio. Na entrada, uma placa avisa: Seja bem vindo, visitante; mas não faça movimentos bruscos.

Cheguei logo depois do almoço e fui recepcionado por dois policias de plantão. Ambos com um fuzil 765 na mão, boina na cabeça e a famosa farda preta. Depois de muitas piadas questionando a masculinidade do gaúcho, além de interessantes histórias sobre a máquina de matar (eles se autodenominam dessa forma), fui chamado para a sala do comandante do Bope.
Feliz da vida, cheguei na porta de sua sala. Ele me olhou dos pés a cabeça. Disse: "Ah, tchê (eu já havia recebido esse apelido dos policias que passaram o rádio me anunciando) de bermuda não dá".
E foi assim, pela falta de um pedaço de pano cobrindo a minha canela, que eu perdi uma interessante matéria.
Pessoas de bermuda não podem entrar em área militar - mas eu só vim a saber disso depois de chegar na sede do Bope.

Um novo olhar para o Unicom


Hoje tenho a difícil e desafiadora tarefa de repassar aos colegas algumas regras para a composição das fotos que farão parte da 2ª edição do Unicom. Há três semanas fiquei desempregada, e vendo-me sem emprego, resolvi aceitar a proposta que meu irmão vem fazendo há tempos para eu virar fotógrafa novamente. Sim, novamente, pois há sete anos exerci esta profissão durante seis meses da minha vida. E agora, estou novamente exercendo essa atividade.

Por ironia do destino ou por indicação de alguma colega que sabia que eu estava retornando à ativa, me tornaram editora de fotografia desta próxima edição do Unicom. E aqui estou, pronta para mais uma aula de produção em mídia impressa, e com a missão de auxiliar os demais colegas a treinarem o seu olhar para fazer desta edição mais um sucesso.

Aproveitando a oportunidade, deixo aqui algumas dicas de livros sobre Fotojornalismo e Técnicas Fotográficas:

fotojornalismo: O Melhor do Fotojornalismo Brasileiro.
Edições 2009 e 2010.
Editora Europa.

A Técnica fotográfica: O guia essencial para você captar imagens fantásticas.
Biblioteca da Revista Fotografe Melhor.
Editora Europa.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Você já parou para pensar o destino do que você coloca no lixo?

A cada dia o meio-ambiente sofre mais com o descaso do homem com a natureza. Nos centros urbanos o grande acúmulo de detritos e rejeitos torna-se insustentável.


Em Santa Cruz do Sul, segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos, são produzidos diariamente 88 toneladas de resíduos sólidos (2.640 ton/mês, 31.680 ton/ano, 158.400 ton em 5 anos). Em média, apenas 8% do material recolhido nas casas é levado à Usina Municipal De Reciclagem e reaproveitado.

Não há dúvidas que esta é uma realidade é assustadora!

Pense nisso e nas ações que você pode fazer para transformar este cenário...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Natureza é o assunto da reportagem

Tive mais uma experiência bacana ao fazer minha matéria para o Unicom. Desta vez escolhi uma pauta que trata da natureza o que é certeza de muito aprendizado. Pois bem, não vou contar o tema por enquanto. Só adianto que o lugar que visitei, hoje pela manhã, é lindo.

Nas mais de quatro horas de entrevista e observação, a maior surpresa, além da riqueza de recursos naturais do lugar, foi a gentileza da minha fonte. Me deu carona de ida e volta e ainda almoçamos juntos. Como jornalista sempre tenho a impressão de estar incomodando as fontes e confesso que fiquei constrangida com tamanha gentileza.

Mais uma vez me vi atrapalhada em meio aos diversos equipamentos que levei para fazer a reportagem. Desta vez os vídeos ficaram mais bonitos. Vou ter bastante material multimídia para usar, principalmente nos que diz respeito a imagens em movimento.

Por fim deixo os leitores na curiosidade de saber sobre o que é a minha pauta. Abaixo há algumas fotos que evidenciam a beleza do lugar que visitei. Esse local fica relativamente perto de Santa Cruz do Sul.








domingo, 17 de outubro de 2010

Vem aí o segundo Unicom do semestre

Já está em fase de produção a segunda edição do semestre do Unicom. A última aula foi o momento de redefinir as funções no jornal e fazer as pautas.


Como o próximo Unicom é multitemático, surgiram assuntos interessantíssimos que, com certeza, renderão boas histórias. Todos estão motivados e comprometidos a fazer mais um bela edição, melhor que primeira.

Desta vez os prazos são mais apertados. O professor Demétrio já quer ver texto na próxima quinta, 21/10. Então, mãos à obra moçada.

E ainda tem a questão multimídia, em que todos prometeram dedicar-se mais. Isso quer dizer que o blog vai estar mais movimentado.


Funções redefinidas

EDITORA - Rochele
SUBEDITORA - Ana Flávia
EDITORA MULTIMÍDIA - Emilin
SUBEDITOR MULTIMÍDIA - Willian
EDITORA DE FOTOGRAFIA - Patricia
DIAGRAMAÇÃO - Larissa
PRODUÇÃO - Fátima e Gabi Vaz
REVISÃO - Willian
TODOS - produção de teleweb e radioweb

Dead line

11/11 - prazo final - matéria pronta e fotos
18/11 - fechamento
25/11 - encaminhamento à gráfica

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Unicom é objeto de pesquisa

O pessoal da Agência Experimental de Relações Públicas está realizando uma pesquisa para saber o que as pessoas pensam do Unicom.

É um movimento muito importante para todos nós, de natureza interdisciplinar, à medida que possibilitará uma visão mais ampla das atividades que temos realizado com nosso jornal-laboratório.

Participe você também; diga o que pensa do Unicom.

Entre pela imagem ou por aqui.

domingo, 10 de outubro de 2010

Em busca de pautas

Toda a turma de Produção em Mídia Impressa está na mesma situação desde a última aula, dia 30/09: em busca de pautas. Já sabemos o que queremos do próximo jornal. Só que não fizemos reunião de pauta ainda. Isso vai ocorrer na próxima quinta-feira, dia 14/10.

Até lá precisamos de ideiais. Pensar em assuntos interessantes. que rendam boas pautas Como a próxima edição do Unicom será multitemática, o principal agora é encontrar histórias que rendam grandes reportagens.

A primeira edição do jornal já fez sucesso. Então, não podemos baixar o nível.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Tá na Moda

O lançamento do Unicom foi um sucesso, todos elogiaram muito, principalmente as mulheres.

E como mulher gosta de roupas e calçados, vou contar quando surgiu a mini saia, acessório quase que indispensável para nós mulheres.


Foi criada em 1964, um novo modelo de roupa, a mini saia, uma saia cuja bainha fica acima dos joelhos e foi definida como símbolo da moda na década de 60, que mudou o guarda roupa feminino. Definida como símbolo do “Swinging London”, descreve a euforia do moderno na cidade de Londres, durante a metade dos anos 60.

O autor da obra é André Courrèges considerado revolucionário, pois o designer encurtava as peças e construía com formas diferenciadas, usando estampas geométricas, foi ele o real criador da mini saia, mas foi Mary Quant que levou a fama. A primeira mini saia tinha cerca de 30 cm de comprimento, deixando as pernas de fora ,considerada sinônimo de feminilidade e liberação sexual.

A revolução acompanha a juventude rebelde, ousando e mostrando bastante estilo. Novos modistas foram surgindo, criando novas estampas, usando novas cores, dando mais opções para o consumidor. A mini saia passou a ser usada por classes mais conservadoras da sociedade européia, quando as mulheres começam a ousar mais, fazendo combinações com sandálias, que valorizam o lado mais sensual da mulher.

Hoje a mini saia é considerada essencial no vestuário feminino.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Domadora de leões

Ainda respirando o tema Coisas de Mulher publico abaixo o texto do acadêmico de Publicidade e Propaganda, Felipe Drews.


Ao mesmo tempo temíveis e adoráveis, as domadoras de leões facilmente transformam ferozes leões em dóceis e fofinhos gatinhos. Para algumas pessoas pode ser impossível fazer o “rei da floresta” virar o “rei do sofá”, mas com persuasão, sangue frio e um sorriso encantador, essas mulheres fazem o que querem com nós homens, simples mortais.

Enquanto não encontramos nossa domadora, somos os garanhões, pegamos todas, não usamos “colerinha”, etc, etc, etc. Mas de repente, quando menos esperamos, uma maquiavélica domadora cruza os nossos caminhos. A parir daí estamos perdidos.

“Eu sou pegador, não sou de uma apenas mulher”; “Nenhuma mulher vai mandar em mim”. Baixemos a bola, companheiros de sofá. Podemos rugir, acreditar que ainda somos reis, mas pouco a pouco, sem nos darmos conta, nossa juba murcha, botamos o rabinho entre as pernas e nos tornamos audiência do Domingão do Faustão.

O garanhão torna-se um pangaré e a única coisa que pegamos são as sacolas das compras. A temida “colerinha” continuamos sem usá-las, pois simplesmente atendemos às ordens, disfarçadas de pedidos, de nossas domadoras.

Talvez seja por isso que as mulheres prefiram os cafajestes, pois quanto “pior” o homem, maior o desafio. Após o serviço realizado (a domesticação do leão), essas mulheres olham para o sofá, onde se encontra o que sobrou de um macho, e contam vantagem umas às outras: “Viu o que eu fiz? Pegava todas e agora come na minha mão”.

Mas por que deixamos que isso aconteça? Por que não resistimos já que sabemos de tudo isso? Devemos assumir que durante toda a nossa vida somos sem-vergonhas. Por certo tempo, mentimos às mulheres. Depois, mentimos para nós mesmos. Acreditamos eternamente que somos reis, que mandamos em tudo. Porém, basta uma simples lágrima de nossa domadora, nos rendemos aos seus encantos. Vendemos nossa dignidade, e virilidade, por carinhos, beijinhos e alguns cafunés.

Você, rei da selva, deve estar dizendo que não é bem assim. “Nunca serei domado e transformado em um gato gordo”. Mas espere, a sua hora vai chegar. Não é praga, mas a sina de todo leão feroz.

Unicom: lindo e rosa

Depois de uma abertura recheada de premiações, discursos, mousse e bolo de chocolate, chegou o grande momento da XV Seacom, pelo menos para a turma Produção em Mídia Impressa.


Superado o trauma de que a camiseta cor de rosa da turma não ficou pronta, a turma respeitou o pedido da editora Ana em não tirar o Unicom da caixa quando o professor Demétrio trouxe. Os olhos refletiam um sentimento quase pueril de quem aguarda com ansiedade o momento para abrir o presente.

Eis que o Lucão chama a turma ao palco. Chegou, finalmente, o momento de descer as escadas do Anfiteatro com o lindo Unicom em mãos. O professor Demétrio falou, a editora Ana Flávia também. O vídeo de lançamento rodou acompanhado de risadas da platéia formada por mais de 200 pessoas.



Encerrado a solenidade de lançamento, os acadêmicos distribuíram o jornal aos colegas. Ao retornar aos seus lugares via-se que o auditório estava repleto de Unicons. Era gente folheando, lendo, comentando.
Missão cumprida mais uma vez. O Curso de Comunicação tem mais uma grande e belíssima edição do Unicom em mãos. Motivo de muito orgulho para todos.


E quem não viu o Unicom ainda, pode ir até a Coordenação do Curso e pegar um exemplar.

Fotos: Luís Habekost

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Vídeo lançamento Unicom - Coisas de Mulher

Risadas ecoaram pelo anfiteatro do Direito na abertura da XV Seacom. Culpa do vídeo abaixo. Um engraçadissímo resumo do clima que permeou as aulas da disciplia de Produção em Mídia Impressa. Assista:

domingo, 3 de outubro de 2010

É hoje!!!

O Unicom - Coisas de Mulher - estará em suas mãos logo mais à noite. O lançamento ocorre na abertura da XV Seacom, às 19h. Quem estiver no Anfiteatro do Direito vai ver o vídeo de lançamento do jornal que promete muitas surpresas. E após, é claro, a primeira edição deste semestre do Unicom.

Fruto de um trabalho de dois meses dos alunos de Produção em Mídia Impressa, o jornal-labotatório traz como diferencial tratar do assunto Coisas de Mulher de uma forma que agrade a diversos públicos. Aguardem!!