terça-feira, 19 de julho de 2011

Segundo Unicom do semestre está (muito) lindo

Com esse post, e com a disponibilização da segunda edição do Unicom de 2011-1, dou por encerrado o semestre.

Abaixo, o Unicom em page view, by issue.

Deliciem-se, pois está lindo.

Boas férias a todos. Semestre que vem tem mais.

domingo, 10 de julho de 2011

Estudantes e o mercado de trabalho

A estudante do quinto semestre de Relações Públicas, Daiana Aline Iser, 21 anos, ainda não pode exercer a profissão para a qual vem se preparando na faculdade. Por quatro anos ela trabalhou como balconista em uma loja e há quatro meses atua como auxiliar de escritório no Hospital Sinimbu. Para a jovem estudante, o ideal seria uma oportunidade para trabalhar na área em que pretende se formar: “Ter um espaço para aplicar os conhecimentos adquiridos na universidade nos motiva a continuar estudando e nos ajuda a adquirir mais experiência”, ressalta a jovem. Mesmo não trabalhando na área em que gostaria, Daiana confessa que, aos poucos está tentando inserir no seu dia-a-dia os conhecimentos adquiridos em aula.

Tensão no final do semestre

Todo final de semestre é a mesma coisa, correria dos professores e agonia dos alunos universitários para que se cumpram dentro do prazo previsto as tarefas da vida acadêmica. Mas o que preocupa mesmo é que o excesso de atividades em um curto espaço de tempo acabe acarretando em sérios problemas de saúde. Afinal, deixar de ter boas horas de sono, refeições completas, praticar esportes e de ter horas de lazer com os amigos, é algo muito importante para uma vida saudável.
Dentre estes problemas possíveis, estão a depressão, ansiedade e distúrbios do sono, como insônia, pesadelos e sonolência excessiva.

O primeiro carro elétrico da América Latina

Gurgel Itaipu, este é o nome do primeiro carro elétrico produzido na América Latina. O nome é uma homenagem a Usina Hidrelétrica de Itaipu.
Em 1974 o engenheiro João Augusto do Amral Gurgel produziu na sua fábrica o protótipo do carro elétrico e seu lançamento foi no salão do automóvel, tambem em 1974.
Estava programada a fabricação de 20 destes carros, fato que não ocorreu devido a falta de autonomia das bateria elétricas. O projeto não vingou, mas mostra que na época já se procurava uma alternativa ao combústivel derivado de petróleo.

Profissionais formados que atuam em outras áreas


Marcos Gerhard, 26 anos,adorava praticar esportes, e, por isso se formou em Educação Física. A formação de Gerhard não lhe motivou a seguir atuando na área. Além das poucas oportunidades de reconhecimento profissional, ele descobriu que não bastava adorar a prática de esportes, era preciso uma adoração para além dos exercícios físicos, para as funções que iria desempenhar como profissional. Antes mesmo da formatura, Gerhard descobriu outras paixões: viajar, conhecer culturas diferentes e falar outros idiomas. Mesmo assim, ele concluiu a faculdade. Após a formatura, resolveu viajar para o exterior, aprimorar o inglês e descobrir culturas. Retornando da viagem, Gerhard começou a atuar como professor de inglês numa escola de idiomas em Santa Cruz do Sul. Hoje ele se diz satisfeito com a sua função, e acredita que a parte didática que aprendeu na faculdade é muito útil no seu dia-a-dia como professor.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Tem bicho pelo campus

Você já viu algum bicho* pela Unisc?
*Bicho, bicho, de animalzinho.
Se viu, conte para a gente.
Saiba que existem aproximadamente mil espécies diferentes de animais que frequentam nosso campus, de uma forma bem humorada mostrarei isso para vocês no vídeo que produzi, sobre essa, que foi minha pauta no Unicom e, também, na disciplina de técnicas de reportagem, no formato para televisão. #Curte?

Tem Bicho no campus da Unisc from Viviane Moura on Vimeo.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

O grafite e um adeus

Como já disse no meu último post, a matéria que eu e o Renan Silva produzimos para esta última edição do Unicom, trata sobre manifestações artísticas através do traçado. Escolhi uma dessas manifestações, aquela que dialoga também com um movimento que eu defendo, que é a cultura Hip Hop, e vou esclarecer um pouco sobre. Vamos conhecer mais do Gafite:

Grafite ou grafito (do italiano graffiti, plural de graffito) é o nome dado às inscrições feitas em paredes, desde o Império Romano. Considera-se grafite uma inscrição caligrafada ou um desenho pintado ou gravado sobre um suporte que não é normalmente previsto para esta finalidade. Por muito tempo visto como um assunto irrelevante ou mera contravenção, atualmente o grafite já é considerado como forma de expressão incluída no âmbito das artes visuais, mais especificamente, da street art ou arte urbana - em que o artista aproveita os espaços públicos, criando uma linguagem intencional para interferir na cidade.

A partir do movimento contracultural de maio de 1968, quando os muros de Paris foram suporte para inscrições de caráter poético-político, a prática do grafite generalizou-se pelo mundo, em diferentes contextos, tipos e estilos, que vão do simples rabisco ou de tags repetidas ad nauseam, como uma espécie de demarcação de território, até grandes murais executados em espaços especialmente designados para tal, ganhando status de verdadeiras obras de arte. Os grafites podem também estar associados a diferentes movimentos e tribos urbanas, como o hip-hop, opnde ele é intrisecamente ligado.

Abaixo você confere um grafite confeccionado por Rodrigo de Alemida (Digo):



E com essas informações, deixo também o meu adeus e um muito obrigada a todos que leram nosso blog!

Os heróis não são mais os mesmos

Fã de tokusatsu, nas séries de super sentai, Bruno Seidel sempre simpatizou com os heróis vermelhos, líderes dos esquadrões. Entretanto, ele acha que os heróis de hoje em dia não são tão másculos quanto os da sua infância. Em 2010, ele teve a oportunidade de encontrar o protagonista do Tensou Sentai Goseiger. Antes, apostou com o amigo Ivan que falaria ao herói o que ambos pensam sobre ele. A tal fala foi registrada em vídeo:




Como Bruno cumpriu a promessa, Ivan teve que pagar a aposta. Aqui em baixo está a foto do momento em que o carioca entregou a estátua a Bruno:

Visitar um orfanato é uma boa ideia!



Voce já visitou um orfanato?
As crianças que vivem em orfanatos ficam pra lá de contentes quando recebem visitas e não estou falando apenas em visita de famílias que estão pensando em adotar, toda e qualquer visita é muito bem vinda. Há alguns dias eu visitei pela primeira vez um orfanato. Não fazia ideia de como funcionava, de como me sentiria lá dentro. Apenas uma vaga lembrança dos flmes que tratavam de orfanatos e de adoções me davam uma sugestão de que seria um dia especialmente diferente. E foi.
Visitei os dormitórios, as acomodações no geral. O ambiente que mais frequentei foi a sala de aula. No turno inverso da escola, as crianças têm aula de reforço. É nesse período que elas fazem os temas e recebem auxílio de uma professora no conteúdos mais difíceis. Porém no momento que entrei na sala, a aula encerrou no mesmo tempo que as perguntas e assuntos surgiram. Eu perguntava e elas me contavam histórias. Histórias engraçadas de passeios nas férias, das travessuras que aprontaram e dos sonhos para o futuro. Me mostravam seus cadernos com suas atividades escolares e os desenhos que com habilidade copiavam com perfeição!
Aprendi muito naquela manhã. Aquelas crianças me mostraram o quanto reclamamos de barriga cheia! E no momento em que estava me despedindo delas, fui surpreendida com um cartão que trazia uma mensagem simples e linda de agradecimento. Fiquei pensando, mas eu não fiz nada, apenas uma visita, mas logo entendi, uma visita para elas é muito importante, tão importante quanto o carinho que elas retribuem aos vivitantes.
O restante dessa história você pode conferir no Unicom que está sendo concluído e logo estará disponível para todos!

Origem do Eisstocksport

Pieter Brughel
Eisstockschiessen - Peter Bruegel
Eisstockschiessen, como originalmente chamado, significa atirar paus no gelo. Sim, primeiramente como diversão de caçadores de inverno na antiga Europa. O primeiro registro desse esporte está em um quadro do pintor holandês Pieter Bruegel, no século XVI (imagem ao lado). Hoje depois de mais de 5 séculos o jogo desenvolvido com equipamentos especiais que mais se parecem com discos com cabos, está difundido em mais de 40 países. Desde 1950 existe a IFI (Federação Internacional de Icestock), que atualmente está sediada na Suíça. Hoje em dia o jogo tanto é praticado sobre o gelo (em competições oficiais) como também em pistas de concreto ou asfalto. Aqui devido o clima é praticado sobre concreto. Mesmo em países de clima frio, na maioria dos clubes o esporte é praticado sobre concreto ou asfalto.

O sucesso do karaokê

No Japão não é comum os jovens saírem à noite para festas. Lá, a principal diversão para eles são os karaokês. Quando morou na terra do sol nascente, Ricardo Cruz também frequentava esses lugares. Até que descobriu que haviam livros só com músicas de tokusatsu e anime. A partir desse dia, ele ficou viciado nos karaokês. E acabou fazendo sucesso por lá.
No vídeo abaixo, ele é o primeiro a cantar:




Sim, Ricardo, o brasileiro que ficou fascinado pelo karaokê, passou a integrar uma banda japonesa. JAM Project é formada por 6 vocalistas, sendo que, fora o brasileiro, todos os outros tem os olhos puxados. A banda toca apenas músicas-tema de séries de tokusatsu e animes e faz muito sucesso no Japão.
Como um brasileiro foi virar cantor de uma banda famosa no Japão? Aguarde o próximo Unicom.

domingo, 3 de julho de 2011

Equipamentos do Futebol Americano

Um jogador de futebol americano, entra com uma parafernália incrível dentro de campo. Existe uma equipe específica em cada franquia da NFL, que cuida apenas dos equipamentos dos jogadores.
Desde o capacete até a proteção dos pés cada detalhe é muito importante para que a saúde e integridade física do jogador fique intacta durante as violentas mas controladas ações que acontecem nos gramados.
Na imagem abaixo, você tem a representação da proteção básica de todos os jogadores que entram em campo, e algumas explicações.


Capacete:  Obviamente que proteger a cabeça dentro de campo é a parte mais importante do item de proteção para qualquer jogador. Para que isso ocorra um capacete deve se encaixar perfeitamente na cabeça do jogador, não ficando nem muito apertado nem muito frouxo.

Pads: Além da proteção principal da cabeça, um jogador tem que entrar em campo com o seu corpo coberto por uma extensa "armadura" de proteção, para proteger seus pontos fracos que já tenham sofridos lesões anteriores e pontos importantes que são mais frágeis, mesmo num atleta que pesa mais de 100 Kgs. Ai é que entram as "almofadas ou alcochoados" de proteçãos, as conhecidas "PADS".
Nessa armadura vamos encontrar 4 tipos de "Pads" como já vistos no desenho lá em cima no inicio da página:
  • Shoulder Pads: A peça mais complexa e intrincada desse aparato todo sem dúvida são as "Shoulder Pads". Esses pads nada mais são do que um plástico especial muito duro, com suporte de várias almofadas de espuma (Foam Pads) que protegem os ombros, o peito e a região da cintura (quadril)
  • Knee Pads: que protegem os joelhos. Esse item é opcional.
  • Hip Pads: que protegem os ossos dos quadris e da região pélvica. Esse pad é opcional pois abaixo da cintura os pads não são obrigatórios, isso vai depender da preferência dos jogadores e de algumas lesões em regiões fragilizadas que os jogadores podem ter.
  • Thigh Pads: que protegem as coxas. Esse item é opcional.
Os demais pads abaixo da cintura são opcionais tanto pelos jogadores como pela comissão técnica e departamento médico que decidem se o jogador deve proteger aquela região ou não. O que complementa o uniforme são as Jerseys (camisetas), as calças (Pants), meias, luvas e sapatos com travas de vários tamanhos para se adaptar a qualquer condição em que se encontre o piso do campo de jogo.

A estrela do jogo

Semana de Super Bowl, e ninguém está trabalhando mais que uma cidade pequena nos EUA chamada Ada, em Ohio. Apesar de pacata, é lá que a principal estrela de domingo está sendo feita: a bola.

A cidade, que tem uma população de 53 mil pessoas, abriga a única fábrica que é responsável por todas as bolas da NFL. A do Super Bowl é a mais especial, pois os nomes dos dois finalistas, serão grafados em todas as bolas da partida.

Aqui uma matéria especial que a ESPN internacional fez sobre a fábrica. O vídeo está em inglês, mas é legal assistir ao processo de confecção da bola mesmo assim.

Lingerie Bowl

Os americanos sabem mesmo como gerar audiência, mas algumas vezes eles forçam a barra. O Lingerie Bowl é um evento anual como atração de intervalo do Super Bowl.

Simplesmente são mulheres de lingerie jogando futebol americano. E se essa moda pega aqui no Brasil com o Futebol?

É cada uma que inventam...


Super Bowl!

Super Bowl  é o jogo final da liga de Futebol Americano (NFL) nos Estados Unidos. Disputada desde 1967, a partir da junção das duas principais ligas do desporto no país (NFC e AFC), é o maior evento desportivo e a maior audiência televisiva do país, assistido anualmente por milhões de pessoas nos Estados Unidos e em todo o mundo. É também o evento que apresenta a publicidade mais cara da televisão, patrocinadores desembolsam pequenas fortunas para exibirem suas propagandas no intervalo. O Super Bowl também é o dia que tem o segundo maior consumo de comida nos Estados Unidos, atrás apenas do Dia de ação de graças.

Antes do jogo iniciar, sempre um artista diferente é convidado para cantar o hino dos Eua, neste ano foi Christina Aguilera. Inclusive, houve até uma polêmica porque a loira errou a letra do hino
Nos intervalos do jogo são apresentados no telão os trailers dos maiores lançamentos do cinema norte-americano, sendo geralmente a primeira divulgação deles. Além disso, nos intervalos há apresentação de algum cantor, ou grupo. Algumas dessas apresentações foram históricas, como a de Michal Jackson em 1993. Nesse ano o grupo Black Eyed Peas com a participação de Usher e Slash, animou a plateia com a sua música.


Segue abaixo, respectivamente, os vídeos da apresentação de Michael Jackson em 1993 e do Black Eyed Peas.




Um pouco de história...

O futebol americano, conhecido nos EUA simplesmente por ‘football’, surgiu como uma variante do rugby (que é um esporte bem mais antigo). Seus atletas caracterizam-se pela velocidade, agilidade, força bruta e tamanho (alguns pesam 150 quilos ou mais). Atributos que utilizam para empurrar, bloquear e perseguir os oponentes.


O nome
Rugby
O futebol americano nos Estados Unidos é chamado simplesmente de football ao contrário da maioria dos países do mundo que associam a palavra ao futebol (que eles chamam de soccer).

O rugby surgiu na Inglaterra como uma variação do futebol, por isso era formalmente chamado de rugby-football para se diferenciar do futebol. Apesar disso informalmente os dois esportes eram chamados simplesmente de football, com isso a nomenclatura informal do nome foi carregado junto com o esporte que surgiu com as influências do rugby, sendo que hoje em dia os dois esportes mantém características facilmente reconhecíveis.

História
O futebol americano surgiu de uma série de três jogos entre a Harvard e a Yale, em 1867. Como era frequente acontecer nesses tempos de quase inexistência de regras universais, as equipes jogaram com alternância de regras de modo a que ambas tivessem uma hipótese justa de vencer.
Futebol Americano   História, Regras e Curiosidades do EsporteEm 1876, Yale, Harvard, Princeton e Columbia formaram a Associação de Futebol Inter-universitária, que usava as regras de rugby à exceção de uma ligeira diferença na atribuição de pontos. Em 1892, foi introduzido o sistema de downs para contrariar a estratégia de Princeton e de Yale de controlar a bola sem tentar concretizar.
Na década de 1890, formações ofensivas entrecruzadas como a cunha voadora tornaram o jogo extremamente perigoso. Apesar de terem sido implantadas restrições à cunha voadora e outras precauções, em 1905 dezoito jogadores foram mortos em jogos.
O presidente Theodore Roosevelt informou às universidades de que o jogo teria de ser tornado mais seguro. No entanto, foi só em 1910, depois de mais mortes, que as formações entrecruzadas foram banidas.
O passe de costas foi colocado em 1906. Em 1912 o campo foi colocado nas suas dimensões anteriories, o valor de um touchdown foi aumentado até aos 6 pontos, e acrescentou-se um quarto down.

Futebol americano no Brasil
O esporte começou a ganhar alguma popularidade no Brasil no final dos anos 90, graças às transmissões feitas pela Band do Campeonato de Futebol Americano dos EUA entre 1994 a 1998. Atualmente os canais ESPN e BANDSPORTS transmitem os jogos da temporada NFL de domingo e segunda-feira.
Com isso o esporte começou novamente a firmar a sua popularidade no Brasil, tendo a criação de diversas entidades que buscam a formação de atletas, organização de campeonatos e início de profissionalização do esporte no país.

sábado, 2 de julho de 2011

Tokusatsu tupiniquim

Enquanto a maioria das crianças gostavam de assitir as séries do Jaspion, Changeman, Jiraiya, Kamen Rider Black, outras levavam isso para suas brincadeiras. E muitos foram os heróis que salvaram o mundo das forças do mal todos os dias antes de voltar pra casa depois do chamado das mães que aguardavam seus pequenos heróis com uma janta quentinha e a cama arrumada para dormir.

Mas alguns gostavam tanto dessas brincadeiras que resolveram gravar suas próprias séries. As gravações são bem caseiras, mas feitas no capricho, até têm figurino especial.
Aqui em baixo tem dois vídeos: o trailer de Kamen Rider Black, gravada no Rio de Janeiro, e a abertura de Blast Rangers, gravada aqui em Santa Cruz.




Eu até ia dizer que o primeiro a adivinhar quem canta a música da abertura dos Blast Rangers ia ganhar um bombom, mas da última vez todos dispensaram o meu agrado. De qualquer forma, dou uma dica: o dono dessa voz circula pelo curso de Comunicação Social.