quarta-feira, 30 de abril de 2008

Trabalho cumprido!

Quando começamos a escrever uma matéria, sempre alimentamos a expectativa de que nela, nada precise mudar, é mas nem sempre conseguimos, afinal é normal os erros ou até mesmo ter que reescrevê-la. Pois na minha matéria, reescrever foi o que eu mais fiz, sempre tentando chegar ao ponto de dizer: Pronta!!!!!! Agora não precisa mais mudar nada!!! Mas é isso aí, estamos aqui para aprender, escrever, reescrever, errar e acertar! Essa oportunidade que nos foi dada e que ainda está em andamento é muito importante para nós futuros comunicadores. Por isso, o exercício de escrever, e no meu caso de ter que começar toda ela no mínimo três vezes, e de quase perder todos os meus cabelos pensando: Como posso começar ela da melhor forma, ou, como posso terminar ela de forma impactante. Bom..não sei se consegui alcançar as expectativas, mas o que importa é que enfim...consegui terminar, e sem mais mudanças. Fiquei muito feliz com o elogio do colega Sancler, pois os avanços foram visíveis, assim espero!! Quero aqui dar os parabéns a toda nossa turma e desejar um grande sucesso nesta edição do Unicom!

Cartaz do Saideira com Lya


O adesivo do Unicom já está pronto


Extra! Extra! Extra! Acaba de sair do forno o adesivo do Unicom - o jornal-laboratório do curso de Jornalismo da Unisc, produzido pela moçada da PP. Lindaço, por sinal. Quem quiser o seu, pode apanhá-lo com a Inês, na secretaria do curso. Grande abraço a todos.

terça-feira, 29 de abril de 2008

A diagramação - o processo final

Noventa e cinco por cento do Unicom finalizado. Como sempre, alguns pequenos detalhes de última hora faltando, mas que quem trabalha com diagramação deve estar acostumado. Por isso é tão importante sempre um plano B. Como uma das últimas postagens dessa edição nesse blog, tenho que citar o nome de um amigo que não posta aqui e não faz parte da turma, mas ajudou muito, mais uma vez, para que esse jornal acontecesse, Lázaro Fanfa é o nome do cara. Ele faz publicidade na Unisc e trabalha numa agência em Santa Cruz e sempre se dispôs a ajudar. A capa dessa edição e alguns recortes de fotografia são de sua autoria. Para conhecê-lo melhor aí vai o Flickr dele: http://www.flickr.com/photos/lazaromrt/

Capa que é, até o momento, um “segredo de estado”. Alguns poucos já viram, mas não pense que vamos adiantá-la aqui no blog, primeiro a versão impressa. Só existe uma cópia dela, além da original em PSD, e está no e-mail que eu mandei ao professor, que eu espero que mantenha o clima de segredo. Essa capa tem uma história interessante, que, assim que sair o jornal impresso, eu pretendo contar aqui no blog.

Amanhã vai para a gráfica e em menos de uma semana o Unicom tá aí na área. Para finalizar, vai um vídeo do “diagramador solitário”, como fiquei conhecido nesse semestre, mostrando um pouco do processo de diagramação de um jornal.

Parte 1


Parte 2

É hora de ir para a rua


Não se preocupe, ninguém foi demitido. Nós REALMENTE fomos para a rua, mais exatamente a Marechal Floriano. Quando digo nós, refiro-me a Leticia, Gelson e eu. Desembarcamos do Stadbus com uma missão: tirar 150 fotos de rostos. A tática era parar todo mundo que cruzasse nossos caminhos e assim foi feito.

Foram duas horas pagando mico, recebendo “nãos” e claro, tirando fotos. Foi muito bacana, eu que não sou expert em foto poder contribuir imageticamente com o jornal. Quero salientar também o trabalho da colega Marisa que, apesar de não ter ido com a gente, foi a responsável pelo maior número. Só ela fez 65 fotos!!!! Ao fim do dia, tínhamos nossas mais de 150 imagens. O resultado você pode conferir na capa do Unicom.

UMA EXPERIÊNCIA E TANTO

É assim que devo classificar o processo pelo qual passei nessa primeira edição do Unicom. Produzi um ensaio (portanto, conteúdo opinativo), onde pude observar diferentes aspectos sobre uma cidade. Foi interessante participar dessa construção com uma turma tão bacana. Deixo aqui a minha espectativa otomista para o lançamento do jornal e que venha o próximo...

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Mais uma etapa realizada

Lá fomos nós, de novo, para a Linha João Alves. Valeu a pena, pois aproveitamos para fazer mais fotos e um vídeo que daqui alguns dias no SITE DO UNICOM....




Plantação de fumo nos fundos da casa de seu Zépe


Seu Zépe amarrando as folhas classificadas


Fotos produzidas por Márcia Melz...

Água na boca!


Assim como a Dona Valme na foto acima, os tripulantes da nave Unicom tiveram que colocar a mão na massa para o jornal acontecer! E ele está chegando na área, com muita cor, muitas imagens, muito conteúdo, muitos olhares! Uma diversidade de opiniões de dar água na boca, assim como a cuca alemã que a Dona Valme está preparando aí em cima! Quer saber a receita? Não perca a página 12 no Unicom! Faltam duas semanas!

Contagem regressiva

Olá pessoal!
Estamos indo para a reta final, a empolgação para ver o jornal em mãos é grande.
Agora é só acertar os detalhes e esperar pelo grande dia.
Um grande abraço à todos os colegas e aos visitantes do blog.

domingo, 27 de abril de 2008

Blogs sobre infografia

Moçada, aí vai uma dica bem legal para quem se interessa por infografia - Alô Gelson! Alô Lázaro! Alô geral! O blog no Núcleo de Pesquisas em Linguagens do Jornalismo Científico (Nupejoc), de minha amiga e colega Tattiana Teixeira, traz uma série de discussões a respeito do assunto. É o caso, por exemplo, do News Illustrated, o blog de gráficos do jornal South Florida Sun Sentinel. Ou do Cosas visuales, para ficarmos em dois. Vão lá. Confiram. Aprendam. Não esqueçam de deixar seus recados.

Verdades absolutas sobre Sancler Ebert - parte final


A série não poderia parar sem a última leva de 25 verdades incontestáveis sobre o mestre, o guro, o editor do Blog do Unicom, Sancler Ebert. Leia e reverencie Sancler, o Mago do Jornalismo.

75- Sancler Ebert picou o mosquito da dengue
76- Sancler Ebert barrou Naomi Campbell da sua festa
77- David Beckham veio ao Brasil conhecer Sancler Ebert
78- Sancler Ebert encontrou o dedinho do Lula
79- Sancler Ebert bate recorde sem o maiô high-tech
80- Sancler Ebert pode chamar a Preta Gil de gorda
81- O sonho de Santa Cruz: ter Sancler Ebert
82- Adriane Galisteu foi outra das namoradas de Sancler Ebert
83- Sancler Ebert inventou a Banheira do Gugu
84- Mônica Veloso pagava pensão para Sancler Ebert
85- A Miss Brasil é gaúcha. E conhece Sancler Ebert
86- Antes de qualquer prova, Jean Tod consultava Sancler Ebert
87- O Poliesportivo mudou de nome: Jornalista Sancler Ebert
88- A Frida trocou o Fritz por Sancler Ebert
89- O arco-íris tem sete cores porque Sancler Ebert quis assim
90- A Unesco bateu o martelo: Sancler Ebert é patrimônio da humanidade
91- Sancler Ebert avisou ao padre: “antes de sair, ligue o GPS”
92- Opra implorou para entrevistar Sancler Ebert
93- A França prepara parada nacional para receber Sancler Ebert
94- Gilberto Braga aguarda aprovação de Sancler Ebert para escrever sua nova novela
95- Paulo Autran tinha aulas de interpretação com Sancler Ebert
96- Elvis é vizinho de Sancler Ebert. Ulisses Guimarães também
97- Sancler Ebert mandou matar Odete Roitman
98- Guilherme Mazui tem aulas de motivação com Sancler Ebert
99- A maior emoção de Serginho Groisman? Ter Sancler Ebert no Altas Horas
100- Sancler Ebert edita o Blog do Unicom

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Caixa preta do Jornalismo


Vejam só o que alguns baluartes da história disseram sobre a formação que escolhemos. Que cada um concorde ou discorde à sua maneira...

Alckmin, José Maria
O que importa não é o fato, é a versão.

Balzac, Honoré de
Os jornais são lupanares do pensamento. (prefácio de "Um Grande Homem da Província em Paris")

Beaverbrook, Barão ( magnata inglês, Lord )
Jornalismo é tudo aquilo que consigo enfiar entre um anúncio e outro.

Bogart, John
Quando um cachorro morde um homem, isso não interessa, porque acontece com freqüência. Mas se um homem morder um cachorro, o fato torna-se notícia.

Bonaporte, Napoleão
Três jornais me fazem mais medo do que cem mil baionetas.

Chateaubriand, Assis
Banqueiro:
Aconselho o senhor a agir como um bom capitalista: se uma empresa está deficitária, venda-a. Faça isso com o Diário de São Paulo.
Chateubriand: Vender? O senhor seria capaz de vender um filho deficitário? De mais a mais, meus jornais são minha gazua. Pergunta ao Meneghetti se ele vende a sua gazua.

Chesterton, G. K.
Não foi o mundo que piorou. As coberturas jornalísticas é que melhoraram muito.
O jornalismo consiste basicamente em dizer "Lord Jones Morreu" para pessoas que nunca souberam que Lord Jones estava vivo.

Douglas, Kirk (em "A montanha dos sete abutres")
Se não houver notícias, vou lá fora e mordo um cachorro.

Francis, Paulo
Quem mais manda na mídia é você, meu caro leitor ou espectador. E você, consumidor, é o mal da imprensa. Editores quebram a cabeça diariamente para agradá-lo.
O mal da imprensa é que ela não ousa mais desagradar ao seu leitor.
Simplicidade verbal não é sacrifício de complexidade.
A glória da imprensa foi feita por gente com opiniões fortes e inconformistas.

Lacerda, Carlos
(O jornalista tem de ) ver sem cessar de ver, e dizer incessantemente o que vê.
O ideal de separar informação de opinião é um ideal, quer dizer, existe na condição de nunca ser completamente atingido.
Se é difícil governar com a imprensa livre, sem ela é impossível.

Liebling, A. J.
As pessoas não param de confundir com notícias o que lêem nos jornais.

McCartney, Paul
Falando das manchetes sobre sua morte: Se eu tivesse morrido, suponho que eu seria a primeira pessoa a saber disso.

Nietzsche, Friedrich
Não há fatos, só interpretações.

Prado, Décio de Almeida
Quem não sabe que a liberdade de imprensa produz abusos? Mas quem não percebe, igualmente, que a extinção de liberdade de imprensa produziria abusos muito maiores?

Shaw, G. B.
Um jornal é um instrumento incapaz de discernir entre uma queda de bicicleta e o colapso de uma civilização.

Stevenson, Adlai
Um editor de jornal é alguém que separa o joio do trigo - e publica o joio.

Stoppard, Tom
Um correspondente estrangeiro é um sujeito que vive de hotel em hotel e pensa que o mais importante sobre qualquer coisa que esteja acontecendo naquele país é o fato de que ele chegou para cobri-la.Sou a favor da imprensa livre. O que não suporto são os jornais.

Twain, Mark
Desmentindo a notícia de sua morte: As notícias a respeito da minha morte têm sido bastante exageradas.
Primeiro apure os fatos, depois pode distorcê-los à vontade.

Vargas, Getúlio
A Imprensa não ganha eleição. Mas ajuda a perder.

Veríssimo, L. Fernando
Às vezes, a única coisa verdadeira num jornal é a data.

Wainer,Samuel
Se você fizer um curso (de datilografia) é capaz de deixar o jornal para ganhar mais como datilógrafo (a João Leite Neto,"catador de milho")

Wilde, Oscar
O jornalismo moderno tem uma coisa ao seu favor: ao nos oferecer a a opinião dos deseducados, ele nos mantém em dia com a ignorância da comunidade.

Zappa, Frank
Um repórter de rock é um jornalista que não sabe escrever entrevistando gente que não sabe falar para pessoas que não sabem ler.

terça-feira, 22 de abril de 2008

NOVIDADE: Blogosfera do Unicom


O Blog do Unicom não poderia deixar de fazer sua listagem de blogs bacanas sobre jornalismo, porque hoje é cada vez mais necessária uma maior conexão entre os blogs. Quem sabe amanhã não será o nosso, o blog indicado. A listagem vem somar aos já muito bons Links Relacionados.


Mas o que é mesmo essa tal de BLOGOSFERA?

Segundo o Wikipédia, Blogosfera é o termo coletivo que compreende todos os weblogs (ou blogs) como uma comunidade ou rede social. Muitos blogs estão densamente interconectados; blogueiros lêem os blogs uns dos outros, criam enlaces para os mesmos, referem-se a eles na sua própria escrita, e postam comentários nos blogs uns dos outros.

Então colegas blogueiros, vamos nos conectar cada vez mais. E você leitor, tem o dever de além visitar cada um desses blogs indicados, nos sugerir novos, para que nossa lista cresça, tanta a de Links Relacionados quanto a da Blogosfera.

E mais novidades vem por aí.....

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Fotos com travesti

Olá pessoal!
Mais uma vez vim falar sobre minha matéria.
Como a Márcia mesma já disse, não foi nada fácil ficar a espera da minha fonte. Mas como somos brasileiras e não desistimos nunca, persistimos pela espera.
Depois de muito tempo, conseguimos tirar fotos, mas indo um pouco além descobrimos também gírias da vida noturna dessas transformistas.
Apesar da longa espera, o momento das fotos foi de descontração. E o mais importante conseguimos as fotos.
Agora, falarei um pouco da minha matéria em sua estrutura. Para você que ler o Unicom encontrará lá, o olhar de uma travesti enquanto fica a espera de trabalho nas noites vazias e escuras da cidade. Uma visão que apenas ela tem, por fazer parte da vida noturna, onde tudo que você não vê durante o dia, surgem ao cair da noite. Espero que todos leiam o Unicom e se divirtam com todas as matérias bacanas que sairão.

sábado, 19 de abril de 2008

Lya Luft na Gazeta do Sul

Moçada, aí vai toque muito legal do Mauro Ulrich, by Gazeta do Sul, deste final de semana, chamando para o Saideira com Lya Luft (foto abaixo), dia 9 de maio. O esquema será o seguinte: das 19 às 20 horas, bate-papo com Lya no Espaço Camarim, que fica no andar de cima de Iluminura. Como o espaço é limitado a 150 lugares, teremos de fazer distribuição de convites. A conversa será em torno do Silêncio dos Amantes, novo livro de Lya, mas também sobre o que mais vier. Depois, das 20 às 21h30, Lya estará autografando seu livro, agora na Iluminura. Na ocasião estaremos lançando, também, a primeira edição do Unicom deste ano, que, claro, traz matéria sobre Lya, entre outras "cositas más". Ia esquecendo: com isso, vamos abrindo os trabalhos da Feira do Livro de Santa Cruz do Sul, mais para o final do mês.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

3001: uma odisséia na internet


Com um mês e sete dias de vida, nosso blog alcançou a marca de 3000 acessos. Quando iniciamos timidamente em 11 de março, não imaginávamos o trabalho que ia dar produzir esse blog juntamente com o jornal e também não tínhamos idéia da repercusão que ia ter. Esses 3000 acessos nos indicam que estamos no caminho, mas que também é possível fazer mais. E aproveito esse momento de grande felicidade para anunciar que além de todas as novidades já comentadas aqui, teremos muito mais. Você realmente poderá dizer que o Blog do Unicom é multimídia! A odisséia continua...


Quem disse que seria fácil?


Quando trabalhamos em equipe, acontecem todos os tipos de problemas. Alguns se estranham, outros se estressam. Há uma discussão aqui, outra ali. Amigos tornam-se colegas de trabalho e não tem colher de chá, não. Às vezes você tem de criticar aquele que está todo dia ao seu lado, você tem que cobrar o seu melhor amigo, impôr prazo e pressioná-lo. Haja amizade numa hora dessas.


Toda essa fala é porque resolvi ser sub-editor, o que significa que tenho que ler as matérias, junto da Letícia, a outra sub-editora, para ver quais estão no caminho e quais precisam de uma orientação. Na última terça, foi o que aconteceu. Eu, Lê e o Mazui, nosso editor, sentamos e tivemos de ler as 14 matérias, uma após a outra e apontar quais podiam ir para a diagramação e quais ainda precisavam de um retoque.


Eu lhes pergunto: Quais palavras a gente usa para dizer a um amigo que ele precisa reescrever o texto. Alguns a gente tem de pedir para mudar uma frase, um parágrafo, outros o texto inteiro. Não é questão de escrever bem ou mal, mas de através do texto passar a idéia proposta por essa edição do jornal. E a coisa é complicada. Mas também, quem disse que seria fácil?


NOVIDADES! Quero aproveitar para publicizar um catinho do nosso blog. É o Links Relacionados, que está bem bacana, cheio de endereços de sites com conteúdo jornalístico de primeira. E quero anunciar para semana que vem, a estréia da Blogosfera do Unicom, com os links dos blogs de quem é fera na área.

Crédito da foto: Márcia Melz

Ajude a escolher o patrono da Feira do Livro

Moçada, a minha amiga Roberta Corrêa Pereira, gerente do SESC, escreve para dizer que a escolha do patrono da Feira do Livro de Santa Cruz do Sul deste ano se dará por meio dos sites http://hipermidia.unisc.br/feiradolivro e http://www.viavale.com.br/. As opções são Charles Kiefer, Luiz Antônio de Assis Brasil e Fabrício Carpinejar. Não esqueçam de votar. Grande abraço a todos.
Quem é quem:
Charles Kiefer É natural de Três de Maio (RS). Estreou na ficção em 1982 com Caminhando na Chuva, novela de temática adolescente que, em 16ª edições vendeu 100.000 exemplares, e que recentemente ganhou nova edição pela Editora Ática, transformou-se num clássico da literatura infanto-juvenil. Em 1985 Kiefer ganhou projeção nacional com a novela O pêndulo do relógio agraciada com o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro. Em 1993, com o livro de contos Um outro olhar e com Antologia Pessoal (primeiro lugar na categoria Conto), o escritor recebeu novamente dois prêmios Jabuti. O autor vem acumulando nos últimos anos uma série de outras premiações, entre elas o Prêmio Guararapes, da União Brasileira de Escritores, para o O pêndulo do relógio, Prêmio Afonso Arinos 1993, por Um outro olhar, e Prêmio Altamente Recomendável para Adolescentes 1986, pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, para o livro infanto-juvenil Você viu meu pai por aí?. Saiba mais: www.charleskiefer.com.br
Luiz Antonio de Assis Brasil Nasceu em Porto Alegre, onde vive até hoje. Romancista e doutor em Letras, com pós-doutorado em Literatura Açoriana, professor da PUC/RS, tem 17 livros pulicados, dentre eles, Um quarto de légua em quadro, Manhã transfigurada, Cães da província, Videiras de Cristal - A paixão de Jacobina (em 7ª edição), Concerto Campestre, Música Perdida. É considerado um dos maiores escritores gaúchos e também um dos mais premiados. Saiba mais: www.laab.com.br
Fabrício Carpinejar Fabrício Carpi Nejar, poeta e jornalista, mestre em Literatura Brasileira pela UFRGS. Nasceu em Caxias do Sul (RS) aos 23 de outubro de 1972. É autor dos livros: As Solas do Sol (Bertrand Brasil, 1998), Um Terno de Pássaros ao Sul (Escrituras Editora, 2000), objeto de referência nos The Book of the Year 2001 da Enciclopédia Britânica, Terceira Sede (Escrituras, 2001),Biografia de uma árvore (Escrituras, 2002), Caixa de Sapatos (Companhia das Letras, 2003), Porto Alegre e o dia em que a cidade fugiu de casa (Alaúde, 2004), Cinco Marias (Bertrand Brasil, 2004), Como no Céu e Livro de Visitas (Bertrand Brasil, 2005), O Amor Esquece de Começar (Bertrand Brasil, 2006), Filhote De Cruz Credo (A GIRAFA EDITORA, 2006) e Meu filho, minha filha (Bertrand Brasil, 2007. Saiba mais: www.carpinejar.com.br

El Tigre sai da jaula


A confecção do Unicom libertou um repórter enjaulado. Guilherme Mazui, El Tigre revelou-se um felino multimídia na produção do blog deste jornal digno de condecorações. No seu porte de cavalo árabe, perambulou pelo Estádio dos Eucaliptos, sempre driblando las muchachas. Caso raro em que o repórter supera a fonte, El Tigre, no seu portunhol traduzido, abriu o jogo no Blog do Unicom.

Blog do Unicom - Você gosta de afirmar que é um homem bonito, que as mulheres correm atrás. Você se considera tão bonito assim?
El Tigre - Pergunte a sua irmã.

Blog do Unicom - Ah... Certo. Mas essa necessidade de autoafirmação não te parece meio megalomaníaca?
El Tigre - Pode traduzir.

Blog do Unicom - Deixa assim. Observo que seus braços são torneados. Você malha?
El Tigre - Toda as manhãs. Fico de 45 a 60 minutos na academia, trabalhando os músculos e pensando nas pautas do Unicom. Nunca tiro férias. Até nas horas de descanso penso no Unicom.

Blog do Unicom - O Unicom domina teus pensamentos?
El Tigre - O Unicom, o futebol e as mulheres. Não nessa ordem.

Blog do Unicom - Você considera o jornalismo uma ciência.
El Tigre - Depende. Exata ou humana?

Blog do Unicom - Acredito que humana...
El Tigre - Bom, pra mim é humana, porque não gosto das exatas. As mulheres certinhas não me agradam. Gosto das ousadas.

Blog do Unicom - Qual seu relacionamento com as fontes?
El Tigre - Depende a fonte e o relacionamento. O Tio Nascimento ficou no relacionamento jornalísitico. Já a secretária...

Blog do Unicom - As mulheres atrapalham o teu trabalho?
El Tigre - Às vezes sim. Por isso contratei uma assessoria de imprensa. Você cansa de ser perseguido. Na primeira vez é legal, depois cansa.

Blog do Unicom - Qual o grande orgulho da sua vida?
El Tigre - Ser amigo de Sancler Ebert.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Onde está Wally?


Sei que esse post deveria ser da Lu, mas é impossível não comentar a última tentativa por uma foto da Bebel...

Por volta de 21h da noite de ontem estou saindo da Unisc quando meu pai liga e pede para eu buscar meu irmão na auto escola. Como irmãos mais velhos são muito legais, acelero o carro e vou lá rapidinho. Na volta, passo na Gazeta e pego a Lu... Essa seria nossa terceira e última tentativa de encontrar "Wally"!

Mais uma vez estávamos nós duas -agora acompanhadas do meu irmão- sentadas na frente do Fórum a espera da Bebel. Passada mais de uma hora, a Lu vai perguntar para as duas travestis que estavam na esquina se alguma delas gostaria de ser fotografada para o Unicom. Para o meu espanto, uma não só aceita como começa a tirar a roupa em plena calçada!!!!!!!!!!!!!

Demorou, mas chegou!

Sem maiores informações sobre o ser aí da foto, afinal, a fonte é da matéria da Luciana. Certamente vocês serão surpeendidos assim como eu!

Acho que a Bebel vai ficar para uma próxima vez...
Falando nisso, alguém aí viu a Bebel?


* agradecimento especial ao mano (meu irmão)! além de buscador de bolacha recheada e ruffles, ainda serviu de motorista e cobaia na nossa indiada! ah, claro...ele foi ligeiramente assediado.

Grizotti à sombra dos eucaliptos da Unisc


A foto acima, da Márcia Melz, à sombra dos eucaliptos da Unisc, - em PB, que é pra dar um clima - registra um momento precioso: as alunas Daiane Balardin e Mariza Lorenzoni, mais Gelson Santos Pereira, entrevistando o repórter investigativo Giovani Grizotti (ao centro, de costas). A seu lado, com uma bolsa, seu parceiro de trabalho - cinegrafista e motorista já há dois anos - Giancarlo Barzi, o Caco. Bueno, eles estiveram na Unisc quarta-feira, 16, para uma palestra sobre jornalismo investigativo, no Anfiteatro do Direito. Havia 105 pessoas na platéia e os trabalhos foram muito legais. Por que Grizotti não aparece na foto? Por uma questão de segurança: suas matérias são fundamentalmente denúncias de falcatruas as mais diversas, de forma que não é nada prudente a ele mostrar seu rosto. Trata-se, tenho certeza, de mais um grande momento do Curso de Jornalismo da Unisc neste semestre. E outros virão. Então, é aguardar.

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Márciaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa


Seu Zépe é um homem simples. Durante a entrevista estava muito ansioso, com a voz travada. Aos poucos foi ficando mais confiante. Mas Zépe revelou toda sua timidez na hora das fotos. Sua esposa, Mariana, tentava ajudar: - Pega o fumo na mão Zépe. As fotos ficaram boas, mas com um problema: pouca resolução. Resumindo, vamos fazer as fotos de novo. Faz parte do trabalho. E lá vamos nós, rumo a Linha João Alves, mas dessa vez com a Márcia Melz...

O silêncio dos amantes


O livro "O Silêncio dos Amantes" é um retorno de Lya Luft à ficcção, gênero que ela primeiro se aventurou na década de 80, com os romances "As parceiras" e "Reunião de Família", entre outros. Com 20 contos a obra traz um tema central: a incomunicabilidade entre aqueles que se amam. Assim os amantes das histórias de Lya que deixam de dizer o que queriam, muitas vezes, têm destinos tristes gerados por aquilo que não disseram.

Segundo Lya, no início ela pensou em escrever um ensaio, na mesma linha de Perdas e Ganhos (2003), depois tentou escrever um romance, mas terminou nessa coletânea de contos. Uma dica: como em grande parte das obras de Lya, o leitor atento pode perceber partes da história da escritora dentro das histórias por ela escritas, como no capítulo "O jardim das visões" desse mais novo livro da escritora santa - cruzense.

Lya Luft em Santa Cruz do Sul

É isso aí pessoal! Depois de muita conversa, negociação e muita boa-vontade da Lya Luft ela concordou em vir à Santa Cruz. O bate-papo vai acontecer no Espaço Camarim no dia 9 de maio das 19 às 20 horas. Logo após, ela fará uma sessão de autógrafos do seu novo livro "O silêncio dos amantes" na Livraria e Cafeteria Iluminura. E é muito importante lembrar que no dia também vai acontecer o lançamento do nosso Unicom. O bate-papo é aberto para os alunos da Comunicação e os profissionais da área. Os alunos de Relações Públicas da disciplina de Eventos e Promoções são nossos parceiros na organização desse evento. Então, vamos fazer de tudo para divulgar esse acontecimento. E é claro, vamos lotar o Espaço Camarim e a Iluminura!!!


Para quem não conhece aqui está o link da coluna "Ponto de Vista" de Lya Luft na revista Veja:

http://veja.abril.com.br/160408/ponto_de_vista.shtml



Ainda sobre a Mostra do Curso

Eu de novo, pelo mesmo motivo que o post anterior. Lá vai :
"Faltam poucos dias para o encerramento das inscrições para a I Mostra de Curso da Comunicação Social. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelos alunos do curso na coordenação, sala 1506, bloco 15 do campus, nos turnos manhã, tarde e noite.
Podem ser inscritas peças produzidas nas diferentes disciplinas do curso nas categorias áudio, vídeo, impresso, online, fotografia, incluindo reportagens, spots, jingles, história em quadrinhos, curta-metragem, documentários, telejornal, radiojornal, jornal, revista, blog, site, fotografia jornalística e publicitária, entre outras modalidades. Uma cópia de cada trabalho tem que ser entregue no ato da inscrição, com exceção dos trabalhos de vídeo e áudio, que serão indicados pelos alunos e buscados pelos organizadores no acervo do curso.
A I Mostra acontece dia 15 de maio, nos turnos manhã e noite, entre os blocos 14 e 15, numa promoção da coordenação do curso, com execução pela Agência Experimental em Comunicação. O evento se destina aos alunos de Comunicação e tem como objetivo divulgar entre os acadêmicos da Comunicação as produções das quatro habilitações – Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Produção em Mídia Audiovisual e Relações Públicas. Também será um momento de entrosamento dos alunos, especialmente dos calouros.
Com 14 anos de existência, o curso de Comunicação Social já consolidou uma produção experimental ganhadora, inclusive, de prêmios nacionais em mostras competitivas universitárias. A Mostra é uma das iniciativas para divulgar esta produção".

Diálogos da Comunicação

Moçada, transcrevo release eletrônico que recebi agora há pouco do curso:
"O Departamento de Comunicação Social está retomando o projeto Diálogos da Comunicação.
A primeira apresentação do semestre será a da professora Fabiana Piccinin, intitulada "Veja a seguir": a transição do telejornal entre a linha de montagem e a rede. Neste trabalho, Fabiana investiga como as novas tecnologias de comunicação e informação interferem na formatação do telejornal em suas práticas, fazeres e linguagens.

Fabiana analisa a sociedade atual na transição entre o Industrialismo e a Sociedade em Rede, buscando saber de que forma o jornalismo contemporâneo e a televisão situam-se nessa passagem entre um modelo organizativo de sociedade a outro. A aproximação da teoria com a prática é feita no trabalho a partir da observação dessa dinâmica no telejornal “Jornal da Globo”, da Rede Globo de Televisão. Um programa construído da interação entre valores e processos analógicos da linha de produção industrial com práticas e marcas rizomáticas das redes que demarcam seu estado preparatório para um novo tempo.
O encontro acontece dia 24 de abril, às 16 horas, na sala 1507".

terça-feira, 15 de abril de 2008

Olha a faacaa!


Revisar os textos do Unicom é mais ou menos como possuir uma faca! A gente vai cortando uma palavra aqui, cortando uma frase lá... até deixar o texto redondinho e pronto para ser encaminhado à gráfica!

Ao contrário do consenso popular, no qual a faca é símbolo de violência, aqui a faca vem em missão de paz! Não vem para separar, vem para unir. Não vem para machucar, vem para melhorar!

Por isso, caros colegas, perdoem-nos pelo cortes provocados por nossas facas! Estamos armadas, mas com a melhor das intenções!

OBS: O colega Ebert resistiu aos cortes e passa bem!

Tio Nasça também abre el juego

Tio Nasça ainda vive, respira e trabalha no Estádio dos Eucaliptos. Guilherme Mazui, El Tigre sabe disso. E, apesar do assédio, arriscou ir outra vez ao Esporte Clube Avenida. Entrou no hall do estádio de capuz e cabeça baixa. Veio puxando a perna, como se fosse manco. O trote de cavalo árabe podria desmascarar o disfarçe. Na passada renga, o felino avançou sorrateiramente entre os carros no estacionamento. Observou a movimentação feminina. Aquela quinta-feira estava calma. Rapidinho, correu até o vestiário, onde, enfim, pôde tirar o capuz e libertar a beleza do seu rosto. Lá no fundo ambiente, Tio Nasça engraxava chuteiras. Ele deu um pause no serviço e atendeu o Blog do Unicom.




--
Guilherme Mazui

Coleguismo em alta!

Fico muito contente que, apesar de ainda encontrarmos pessoas um tanto que individualistas, existe o coleguismo de sobra na nossa turma, isso é o mais importante e acredito que é isso que esta fazendo nós irmos para frente. Mas estou escrevendo esta postagem em especial para a colega Daia Balardinha, que desde o início esteve do meu lado, nas entrevistas e nas opiniões sobre como melhorar a minha matéria. Colega, muito obrigada por esta força, acredito que essa é uma de suas grandes qualidades, ahhh e quanto a Biga Rose também, muito obrigada por dar as suas opiniões que eu incansavelmente fico perguntando... agradeço mais uma vez por tudo! E viva o coleguismo da nossa turma!!!!

A mulher escondida na farda


Não sou um Duran, nem um Sebastião Salgado... Talvez um discípulo de Márcia Melz... Mas essa foto, mesmo não sendo usada na minha Linda matéria ficou muito massa.

Reparem que a silueta formada pela sombra da protagonista da figura, simula no chão uma estátuade uma mulher... Semelhante as estátuas de "heróis de guerra" e tals...

Especialmente gostei dessa imagem, porém ela não entra no UNICOM, daí a decisão de mostrá-la neste espaço.

Receptividade em Santa Cruz!


Logo no início, quando começamos a discussão das pautas e com as escolhas definidas, não estava nada contente com a que eu escolhi, pois no dia estava sem idéias. No decorrer da semana pensei bastante como foi o meu processo de adaptação logo que cheguei na cidade, e dos anos que esperei até me sentir acolhida na cidade conhecida pelo seu modo de recepção nada acolhedor. Então, eis que surge uma idéia: Por que não falar com uma estudante que veio de fora para morar na cidade e mostrar as angústias sofridas na fase de adaptação, assim como as mudanças adquiridas com o passar do tempo, já que este é um processo que a maioria dos estudantes e as pessoas que aqui escolhem viver passam ao chegar em Santa Cruz. Com a minha fonte escolhida e o dia da entrevista devidamente marcado, logo na primeira pergunta já se torna evidente a sua mágoa com o casal de alemães que a receberam, pois na pensão, o primeiro lugar que morou na cidade, esperava encontrar um pouco de aconchego e um ambiente familiar, já que isto a jovem sempre encontrou pelos lugares que já passou, e olha que a sua última moradia não foi num lugar tão comum assim....

Falha na Comunicação

Uma informação mal interpretada por um receptor pode ser repassada a outras pessoas com alterações que acabem distorcendo totalmente uma notícia que era inicialmente correta. Quem já não passou pelo incômodo de ser mal interpretado e acabou sendo criticado por ter dito isso ou aquilo sem culpa alguma? Muitas pessoas não prestam a necessária atenção na informação proferida e acabam confundindo “capitão de fragata” com “capitão de gravata”. Para que não venhamos a cometer uma gafe dessas um dia, precisamos redobrar a atenção, principalmente nas informações importantes.Veja este vídeo, que demonstra bem como uma gota d’água pode ser transformada em uma enchente.
Cláudio Froemming
video

UMA PAUTA NAS FRUTAS

Como jornalistas devemos enchergar pautas, pautas e assuntos diferentes. Mas as vezes é difícil, pelo menos para mim, tenho grande dificuldades para encontrar pautas. Ainda mais quando se está "fora" do mercado de trabalho. Mas o que tento fazer é encontrar "pauta dentro de pauta". Fui fazer uma matéria para meu estágio supervisionado no mercado, sobre a importância de ingerir frutas e verduras. Em uma conversa informal com minha fonte descobri uma outra pauta, que, por enquanto, não posso revelar. Mas, garanto que é um assunto super legal e pretendo colocá-la em ação.
Tenho a idéia que quando estamos inseridos no mercado de trabalho, fica muito mais fácil encontrar assuntos para fazer as matérias e reportagens exigidas. O importante também, é conhecermos pessoas e manter contato com as fontes. Mas, cuidar para não cair no erro de repetir sempre as mesmas fontes. Bom, com o passar do tempo e a produção dos trabalhos em aula vamos aprendendo sempre mais, é so querer.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Abrindo os olhos


Confesso que quando o tema desta edição do Unicom foi escolhida, a idéia de mostrar diferentes olhares sobre Santa Cruz me pareceu um pouco vaga. Agora, fazendo parte do grupo de revisoras tive a oportunidade de ler todos os textos antes da publicação e, conseqüentemente, imaginar, cá com meus botões, um esboço do que será este jornal.

Diversidade. Pluralidade. Acho que estas são boas palavras para definir nosso super produto, que está chegando à reta final. Diferentes jeitos, pontos de vista, pensamentos. Diferentes olhares. E tudo isso ali, muito perto, em um ponto de táxi, em uma esquina, em um campo, em uma padaria, em um campo de futebol. Pessoas que muitas vezes nos passam despercebidas, mas que têm muito a nos acrescentar.

Acho que depois deste Unicom, estaremos com o olhar mais atento e treinado para captar boas histórias!


A propósito, existe vida após o Unicom?!

FUMICULTURA


Pessoal... pesquisando pela internet, sobre fumicultura, encontrei um site de fotografias, http://olhares.aeiou.pt/, muito legal. Vale a pena conferir.

Na foto: uma montanha de fumo esperando pela surtição, processo que expliquei no post anterior.

O autor da foto é Henry Milléo.

A imagem que complementa


Eis que deixo um pouco o botão de disparo das câmeras e parto para o teclado do computador. Minha principal participação nesse Unicom vai ser na ilustração das matérias dos colegas. Acredito que um bom texto não depende apenas das perguntas certas e da redação redondinha, mas sim de um conjunto no qual entra o clique de uma câmera fotográfica na hora exata.

Durante todas essas semanas de trabalho, já passei por vestiário de campo de futebol, pela casa da japonesa mais brasileira que conheço, pela cozinha de uma pizzaria, pela casa paroquial de um Padre e pela tentativa de fotografar um travesti no centro da cidade. Ainda me esperam um carteiro, uma cuqueira, um agricultor, um cozinheiro e, mais uma vez, o travesti.

Na hora de se pensar uma matéria, a fotografia, assim como o fotógrafo, são deixados em segundo plano muitas vezes. Apesar disso, tive sorte nas vezes em que minha lente entrou em ação! Saber se colocar no lugar certo e fazer "pitacos" nos momentos mais propícios, faz com que o fotógrafo não seja apenas uma decoração que dispara uma luz que cega o entrevistado por alguns segundos, mas sim parte importante para o resultado final do trabalho.

O personagem da história ganha forma e cor com a fotografia. Torna-se palpável e realista. A imagem dá sentido ao que, aparentemente, é uma junção de letrinhas em uma página de jornal. Por esses e outros motivos não me importo de encontrar um carteiro às 7h30min ou ficar no aguardo de um travesti às 23h15min.

Espero que gostem do que vocês vão ver nas páginas do Unicom. Podem ter certeza que foi feito com prazer e dedicação! E agradeço ao cozinheiro da matéria da Rozana que me deu uma polenta recém saída do fritador enquanto eu "fofografava" ele. :D

domingo, 13 de abril de 2008

Um taxista na pauta

Quando decidimos que na primeira edição do Unicom deste ano mostraríamos o olhar que algumas pessoas têm sobre Santa Cruz, imediatamente senti vontade de procurar um taxista. Fiquei imaginando o quanto uma pessoa assim teria para contar, principalmente se fosse alguém com bastante tempo de serviço, que poderia ter vislumbrado as várias transformações acontecidas ao longo dos anos na cidade.
E foi assim que conheci o seu Alvá Assmann, que só nesta profissão já tem 38 anos. É bastante tempo de estrada. É muito quilômetro rodado. Como ele vê Santa Cruz poderá ser conferido no Unicom (que já tá quase chegando), mas nos próximos dias quero mostrar, aqui no Blog, como eu vejo o seu Alvá. Vai valer a pena conhecer essa figura. Aguardem.

Postagem de número 100

Chegamos ao Post número 100. Como previa o profeta Dê... está bombando o nosso blog.
No que diz respeito a minha entrevista... é o texto mais elaborado que já escrevi। Pelo menos,o que me custou mais tempo, mais atenção, mais revisão.

Meu texto mais...
Nele narro a vida de uma farda। Ou melhor, alguém que um dia se apaixonou por umafarda e hoje zela pela segurança dos filhos e de Santa Cruz. Uma LINDA história, cuja protagonista também chama-se Linda.

Leiam na próxima edição do UNICOM, esse mega jornal laboratório do Curso de Comunicação da UNISC que, contrariando alguns "despeitados" é SHOW DE BOLA! Temos os melhores professores da parada.

O fumo surta?




No meu post, PLANTÃO UNICOM, falei sobre o processo do fumo, que vai desde a surtição até a colheita. Eis que surge uma dúvida: o fumo surta? Não. Os fumicultores chamam de surtição, o processo de classificar as folhas de fumo depois que elas saem do forno. Na foto acima, seu Zépe dá um exemplo de surtição.

A receita da felicidade

Será que existe felicidade? Ou o que existe são momentos felizes? Existe receita para ser feliz? Ouso arriscar um palpite: sim, a felicidade existe, e está mais próxima do que imaginamos. A receita é muito simples, pois os ingredientes nós mesmos escolhemos. Dona Valme escolheu os dela: algumas xícaras de farinha, açúcar, um pouco de leite, ovos e algumas colheres de manteiga. Em outras palavras: fazer o que gosta! O gosto pela gastronomia começou cedo. Enquanto os pais trabalhavam na roça, Dona Valme, na época com cinco anos de idade, tinha que assumir as tarefas domésticas. No início, uma obrigação. Hoje, um prazer. Prazer de transformar Santa Cruz do Sul em cucas e poder distribuir pedacinhos da cidade para os mais variados cantos do Estado.

Nasce uma nova fã

Quem disse que pais não podem ser surpreendentes? Sou filha de um pai intelectual, amante dos livros, e de uma mãe que utiliza os livros apenas com um objetivo: conseguir dormir. Sinceramente, lembro que várias vezes tentei fazê-la ler algumas reportagens e ela se esforçava, mas sempre acabava em sono profundo. Pois bem, mesmo com pouca dedicação à leitura ela é uma mãe muito dedicada.

E como tal, me auxiliou, ou tentou auxiliar, durante a transcrição da entrevista com a Lya Luft. E depois de ouvir as histórias de Lya, ela se interessou em ler "Mar de dentro", e apesar das 154 páginas, ela não dormiu, nem ao menos um cochilo. Continuou lendo e foi além, leu, antes de mim, "O silêncio dos amantes" e adorou. E agora para completar eu chego em casa e minha mãe me apresenta uma revista Veja, que ela comprou porque ao folhear encontrou a coluna Ponto de Vista da Lya Luft. Pode? Sim! Nossos pais ainda podem nos surpreender!

sexta-feira, 11 de abril de 2008

O dom de contar histórias

Sempre que tenho tempo, fico vendo as postagens dos colegas, especialmente aquelas que contam histórias a respeito de suas pautas. É interessante essa perspectiva que temos e todos os leitores deviam também acompanhar essa trajetória. Muitos não imaginam como foi a produção do conteúdo. Se tivessem idéia daquilo que é feito para se ter uma boa matéria, dariam maior valor a cada página.
Diversos meios de comunicação já mostram o fazer de suas redações mais de perto. Para a elaboração do Unicom o blog tem sido uma forma de despertar a curiosidade, além de ajudar na construção dos elementos do jornal. Por essa razão, como já foi colocado em aula e também aqui, precisamos divulgar o blog assim como vamos divulgar o jornal, pois o cerne da pauta, a essência, as particularidades estão nos bastidores.

Apenas o começo...


Talvez você ainda não tenha percebido, mas a equipe do Unicom vive em função da produção do jornal. Tudo porque queremos entregar a você leitor o melhor conteúdo, dentro da melhor forma. Queremos surpreendê-lo, fazê-lo esperar ansiosamente pelo próximo número.

O Unicom está no forno e já está quase no ponto. Após semanas dedicadas a produção das matérias, no momento estamos num processo de revisão e edição do conteúdo. As caixas de emails estão abarratodas de entregas de matérias, novas versões, dúvidas e respostas. Afinal, o trabalho não termina nunca.


Tem muito mais coisa vindo por aí: Vídeos dos bastidores e da viagem a casa da Lya Luft, mais informações sobre a produção, todos os detalhes do lançamento da primeira edição do ano e muitos outras surpresas que a gente não pode contar... Aguarde...


Então não fique achando que terminou por aqui, na verdade, esse é só o começo...


OBS: O número de acessos do blog está cada vez maior, o que não pode-se dizer dos comentários. Gostaria de pedir em nome de toda equipe do Unicom: você que lê o blog, comente, deixe sugestões, elogios e críticas. Isso é muito importante para nós.

É na quarta, moçada


Verdades absolutas sobre Sancler Ebert – parte III



51- Adorno lê Sancler Ebert
52- Sancler Ebert dança o Créu na velocidade 6
53- Sancler Ebert tirou Glória Maria do ar
54- Sancler Ebert compõe os poemas de Pedro Bial
55- Sancler Ebert gerenciou o blog da viagem de Pedro Álvares Cabral. E revisou a carta de Caminha
56- Sancler Ebert avalia o MEC, que avalia o ensino no Brasil
57- Sancler Ebert tem uma foto de Giovani Grizzoti
58- O S de Interlagos não é do Senna. É de Sancler Ebert
59- Sancler Ebert derrubou a ditadura
60- Sancler Ebert trouxe o curso de Medicina para a Unisc
61- Sancler Ebert determina quem entra no Bom Jesus
62- Outra frase usurpada de Sancler Ebert: Vim, vi, venci (em latim Veni vidi vici)
63- Sancler Ebert tem um cartão corporativo do Curso de Comunicação
64- McGyver é um seriado inspirado em Sancler Ebert
65- Sancler Ebert editou o Pasquim
66- Sancler Ebert revisa os roteiros de Manoel Carlos
67- O Direito da Unisc ganhou outro selo: Sancler Ebert recomenda
68- Sancler Ebert compôs o Tema da Vitória
69- Sancler Ebert criou essa posição
70- Dez autógrafos do Pelé valem um de Sancler Ebert
71- Sancler Ebert escolhe os Big Brotheres
72- Sancler Ebert desenhou a casa de Oscar Niemeyer
73- A Xuxa namorou Sancler Ebert
74- Sancler Ebert derrubou o Muro de Berlim. Sozinho
75- Capa da ZH: Sancler Ebert é gaúcho

Avisos gerais



Bom dia, moçada. Alguns avisos:
1 Estamos entrando para os "finalmentes" do Unicom. Ou seja, a maior parte dos textos e das fotos já foram produzidos e a diagramação começa a encontrar condições de operacionalidade para além do projeto em sí. Assim, é preciso, neste momento, que ajustemos o foco para fazer deste um Unicom paradigmático, como promete ser.
2 Na semana gostaria de fazer, em aula, ou na agência, tanto faz, uma reunião com a edição, subedição, diagramação e fotografia para começarmos a definir a capa do jornal. Seria interessante se o pessoal da PP responsável pela ilustração participasse. Quem faz o contato?
3 Alô produção: como estão os anúncios, por parte da PP; tudo andando?
4 Ontem, conversando com o Sancler, surgiu uma idéia excelente; dele, diga-me: vamos fazer o lançamento do Unicom junto com a Lya Luft, que aproveita e lança seu livro por estes lados. Penso que podemos fazer isso na Iluminuras e que o pessoal da RP pode nos ajudar. A Mônica Pons não apenas topou como se dispôs a estar conosco. E aí; vamos fazer?
5 Na quarta, 16, tem Giovani Grizotti na Unisc. No anfiteatro do direito. Todos estão convocados.
6 Na seqüência, teremos Gabriel Renner. Quem é? É o cara dos traços aí de cima. Vai lá: http://www.estudiopinel.com/
7 Sugestão: vamos atulhar a mostra do curso de trabalhos: texto, áudio, vídeo, o que for. Ou vão deixar a produção de vocês na gaveta?
Era isso. Por hora. Abraços gerais

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Liguem-se na mostra do curso, moçada

Repassando: "Até o dia 22 de abril estão abertas as inscrições para os alunos do curso de Comunicação Social da Unisc inscreverem trabalhos para a I Mostra de Curso da Comunicação Social. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas na coordenação, sala 1506, bloco 15 do campus, nos turnos manhã, tarde e noite.
Podem ser inscritas peças produzidas nas diferentes disciplinas do curso nas categorias áudio, vídeo, impresso, online, fotografia, incluindo reportagens, spots, jingles, história em quadrinhos, curta-metragem, documentários, telejornal, radiojornal, jornal, revista, blog, site, fotografia jornalística e publicitária, entre outras modalidades. Uma cópia de cada trabalho tem que ser entregue no ato da inscrição, com exceção dos trabalhos de vídeo e áudio, que serão indicados pelos alunos e buscados pelos organizadores no acervo do curso.
A I Mostra acontece dia 15 de maio, nos turnos manhã e noite, entre os blocos 14 e 15, numa promoção da coordenação do curso, com execução pela Agência Experimental em Comunicação. O evento se destina aos alunos de Comunicação e tem como objetivo divulgar entre os acadêmicos da Comunicação as produções das quatro habilitações – Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Produção em Mídia Audiovisual e Relações Públicas. Também será um momento de entrosamento dos alunos, especialmente dos calouros.
Com 14 anos de existência, o curso de Comunicação Social já consolidou uma produção experimental ganhadora, inclusive, de prêmios nacionais em mostras competitivas universitárias. A Mostra é uma das iniciativas para divulgar esta produção".

El Tigre abre el juego



Belo, elegante de doer, Guilherme Mazui, El Tigre, é um felino abusado. Gosta de fazer graça. Ficou uma semana na Espanha e voltou com o sotaque local. Desde janeiro em Santa Cruz, mantém em voga seu portunhol. Atrás de informações sobre o star, o repórter Gelson Pereira - oriundo de uma linhagem de saltadores de trem - precisou subornar a assessoria de imprensa do galã.

Ao invés de estar a caçar Tio Nasça ou a driblar as marias-chuteiras do Avenida, o belo rapaz tirava o estresse do corpo. Para conseguir esta entrevista, Gelson precisou esperar por cinco intermináveis horas na frente de um motel. Depois do chá de banco, enfim, ouviu El Tigre rugir. Ouça você também.




PS: Quer saber mais sobre El Tigre? Mande suas perguntas

--
Guilherme Mazui

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Feliz 2008! (corrigido)


Não, nós não estamos atrasados, se é isso que você pensou. A comemoração tem um motivo muito especial: o blog alcançou 2008 acessos, em menos de um mês. Na verdade foram 1000 só na última semana, conforme você confere num post mais abaixo que fala da nossa chegada ao primeiro milhar, postado no dia primeiro de abril (não era mentira!).

Isso só nos motiva a trabalhar mais e disponibilizar no blog materiais cada vez mais bacanas. Então continue acessando, conferindo nosso trabalho de produção, muitas novidades vêem por aí!! Semana que vem, quem sabe a gente volta para comemorar a chegada ao 3000...

Obs: O texto foi corrigido. Agradeço as meninas que me avisaram. Isso que dá escrever emocionado.

Verdades absolutas sobre Sancler Ebert - parte II


26- Sancler Ebert pensa e Marlene Mattos corre atrás
27- Citar Sancler Ebert é certeza de pico de audiência
28- A Câmara dos Deputados pretende mudar a data do Dia do Jornalista de 7 de abril para 20 de julho, aniversário de Sancler Ebert
29- A Bíblia Sagrada é um roteiro de Sancler Ebert
30- Zezé e Luciano não são filhos de Francisco, mas sim de Sancler Ebert
31- Qual o diferencial da Unisc? Sancler Ebert
32- A Globo tem um Q de Qualidade. O Unicom tem um S de Sancler Ebert
33- A hóstia é uma receita de Sancler Ebert
34- A 1º Mostra do Curso de Comunicação foi criada para o Sancler Ebert expor seus trabalhos acadêmicos
35- Essa história de Academia não existe. Sancler Ebert que escolhe quem vai ganhar o oscar
36- Leonardo da Vinci teve a metade da genialidade de Sancler Ebert
37- Sancler Ebert criou a fórmula da Coca-Cola
38- Quem veio primeiro? O ovo ou a galinha? Resposta: Sancler Ebert
39- Guilherme Mazui quer ser quenem Sancler Ebert
40- E Sancler Ebert disse: faça-se a luz
41- Sancler Ebert lançou a campanha pela liberdade do Tibet
42- Bono Vox é outro pseudônimo de Sancler Ebert
43- Antes de qualquer decisão, a cúpula da ONU consulta Sancler Ebert
44- Sancler Ebert escala os times do Felipão
45- Sancler Ebert inspirou o Iluminismo
46- Pitágoras roubou o teorema de Sancler Ebert
47- Sancler Ebert descobriu Alexandre Pato
48- Sancler Ebert vai erradicar a dengue
49- De Erico Veríssimo para Luis Fernando: "seja como Sancler Ebert"
50- Sancler Ebert compôs o Segura o Tchan

terça-feira, 8 de abril de 2008

O som da cuca

Cheiro de cuca é muito bom! O gosto, então, nem se fala! Pena que isso não pode ser sentido através do jornal impresso ou através deste blog. Mas pode ser imaginado. Garanto que os leitores ficarão com água na boca! Além de falar sobre a Santa Cruz da Dona Valme, pretendo transmitir as impressões deliciosas que tive daquele lugar, começando agora...

Clique aqui e escute a Dona Valme!

Bastidores: casa do seu Zépe


Medo: é um sentimento que é um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como psicologicamente. Pavor é a ênfase do medo. Reações físicas: descarga de adrenalina, aceleração cardíaca e tremor.

Esse MEDO todo não era porque eu tinha que fazer uma entrevista. O motivo é outro. CACHORROS. Isso mesmo. Meus colegas mais próximos já sabem desse meu pavor ao bicho. Resumindo a visita a casa de seu Zépe:


Antes da entrevista: ansiedade


Depois da entrevista: alívio


Durante as fotos: muito medo


Fomos até os fundos da casa, onde fica a plantação de fumo, para fazer as fotos e lá estavam eles. Para minha sorte: presos. Mas vamos combinar os cachorros olham pra gente, com cara de quem não come há uma semana, aqueles eu acho que há um mês. E seu Zépe admitiu: “Esse cão é muito nervoso, esses dias meu cunhado entro aqui e o cachorro se avanço nele e não largava mais”. Ou seja, não é só implicância minha.

Desisto, vai lá Márcia


É gente admito, tenho que treinar um poquinho mais em questão de fotos. Tentei, mas não sei se ficaram boas. Coitada da Márcia, que por minha culpa, vai ter que acordar cedão na sexta feira para estar no correio às 7:30 da manhã para tirar as fotos da minha matéria. Desculpa aí Melz e boa sorte. Acho que o carteiro estava meio nervoso, por isso as fotos não saíram legais!!! Pensando bem, acho que não ficou tão ruim assim, só cortei os pés dele!!!

Depois da orientação parte II

Josué Dalla Lasta chega bem feliz ao professor:
-Aqui está meu artigo para o Unicom. Dê uma olhada, e veja o que você acha.
Diz o professor:
- Muito bom. Ótima idéia. Só vamos dar uma revisada neste final. Acho que tu terminaste o texto "te masturbando com as palavras".

Concordo plenamente. Estava uma bagunça mesmo. Refiz o último parágrafo do texto.

Depois de tomar o anti-biótico - estou com bronquite - e degustar um café com Zero Hora no bar, concluí: esse negócio de se masturbar com palavras é um mal que atinge diversas pessoas. Todos queremos objetividade, mas como é difícil conseguí-la... às vezes. Os motivos??? Cada um tem o seu. Postem nos comentários.
Amém.

Depois da orientação


... ainda bem que a caneta do Dê é azul... mas caríssimos, se prestarem atenção ao "layout" das páginas verão que elas estão 'canetiadas' de cabo a rabo e o autor... sorridente, admirado com a reação do professor que disse: "Está bom é isso aí, só fazer os ajustes"... Mãos à obra.

Fotografia: Márcia Melz (maravilhosa!)

Verdades absolutas sobre Sancler Ebert


O jornalismo foi revisto pelo tufão que veio de Vera Cruz. Os estudiosos da área defendem a marca A.S e D.S - antes de Sancler e depois de Sancler. Discípulos deste mestre, os escribas do Blog do Unicom revelam verdades absolutas sobre o homem que já revoluciona a opinião pública.

1- Sancler Ebert é o mass media
2- A Univates não tem Sancler Ebert
3- Sancler Ebert colocou Vera Cruz no mapa
4- Chuck Norris quer ver o diabo e não quer ver Sancler Ebert
5- O jornalismo virou ciência depois que Sancler Ebert determinou
6- Sancler Ebert é o plano de divulgação
7- Sancler Ebert é maior que o Prêmio Esso
8- Sancler Ebert olha e Chuck Norris obedece
9- A Unisc já iniciou a construção do Memorial Jornalista Sancler Ebert
10- José Hamilton Ribeiro quer ser como Sancler Ebert
11- Sancler Ebert faz jornalismo investigativo e mostra a cara
12- Quer ganhar uma eleição? Contrate Sancler Ebert
13- A casa onde Sancler Ebert nasceu virou museu em Vera Cruz
14- Sancler Ebert agenda a imprensa, que agenda o público
15- Janete Clair morreu frustada: não conseguiu ser como Sancler Ebert
16- Sancler Ebert ganhou o Oscar antes mesmo de produzir o filme
17- Toda a manhã Galvão Bueno brada: Sancler, Sancler, Sancler Eberrrrt do Brasil!
18- Quando criança, Sancler Ebert orquestrou a Guerra do Golfo
19- A prisão de Sadam Husseim foi uma peça publicitária de Sancler Ebert
20- Paulo Coelho é o pseudônimo de Sancler Ebert
21- Sancler Ebert presta assessoria a Steven Spielberg
21 - Eliane Brum trabalha no seu novo livro: A vida que todos querem ver, Sancler Ebert
22- Sancler Ebert mandou um autógrafo para Lya Luft
23- O texto de William Waack é revisado por Sancler Ebert
24- Sancler Ebert criou a TV Digital
25- Sancler Ebert preveu o nascimento de Nostradamus

Tem ônibus?

Manhã de sexta-feira. Tínhamos acabado de sair do estúdio de rádio e decidimos fazer as enquetes para o Unicom. Eu e Gelson embarcamos então em um urbano até a rodoviária, para "catar" pessoas lá pela vizinhança. Depois de falar com algumas pessoas, resolvemos ouvir a opinião de um cara que vê Santa Cruz através do guichê das passagens.
O jovem nos recebeu bem, mas assim que viu o gravador travou... Começou a perguntar pra todo mundo o que ele poderia falar da cidade. Pacientemente aguardamos, com o gravador posicionado, enquanto ele conversava com os colegas de trabalho. Foi quando um senhor, aparentando mais de 60 anos, nos empurrou, passando entre nós e chegando perto do guichê. Foi aí que se deu o diálogo inusitado.
- Tem ônibus MEIO-DIA pra Sinimbú? - Perguntou o tiozinho.
- Tem - respondeu o vendedor de passagens.
- Que horas?
- Ãh... Meio-dia...



(Tá.. a piada era essa... sacou?)
Nota: em breve o Gelson posta o áudio dessa conversa.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Liberdade e superioridade


Terminando o meu ensaio hoje, recordei que há um ano atrás, exatamente no mês de abril, mais precisamente no dia 2, recebíamos a jornalista e escritora Eliane Brum, para uma palestra na universidade. Lembrei também de um dos espetaculares textos de seu livro A vida que ninguém vê, onde consta assim:


"Um zoológico serve para muitas coisas, algumas delas edificantes. Mas um zoológico serve, principalmente, para que o homem tenha a chance de, diante da jaula do outro, certificar-se de sua liberdade. E da superioridade de sua espécie. Pode então voltar para o apartamento financiado em 15 anos satisfeito com sua vida. Abrir as grades da porta contente com seu molho de chaves e se aboletar no sofá em frente à TV. Acorda na segunda-feira feliz para o batente. Feliz por ser homem. E por ser livre."


Essa é a incrível Eliane...

Tour pelos Eucaliptos

Influenciado pelo filme Todos os homens do presidente e pelas noções de agendamento passadas na aula de Teoria do Jornalismo, da ilustre professora Fabiana Piccinin, Guilherme Mazui despistou as marias-chuteiras. Através da sua assessoria de imprensa, o El Tigre plantou a informação de que estaria no Shopping Santa Cruz, para sessão de autógrafos do seu último ensaio fotográfico - feito na casa da Marisa.

Dito e feito. Foi preciso reforço na segurança no Shopping Santa Cruz. Enquanto os homens trajados de vistosos ternos pretos tentavam conter o tumulto, Guilherme fazia um tour exclusivo para o Blog do Unicom pelo Estádio dos Eucaliptos, casa do Avenida. O resultado você confere no link abaixo.

Dia dos jornalistas

Só para lembrar, hoje, 7 de abril, é o dia nacional dos jornalistas. Para refletir vai aí um trecho de um texto da direção do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS.

"(...)no corre-corre das redações e assessorias de Imprensa, muitas vezes, esquecemos por que escolhemos a profissão. Qual foi o motivo? Quais eram os ideais? Essa reflexão é necessária porque nossa função abrange muito mais do que colher as informações e divulgá-las. Ser jornalista é saber que somos responsáveis pela informação que chega diariamente aos lares brasileiros e que, a partir dela, haverá a construção de uma sociedade. Temos que ter em mente que em muitas escolas do País, jornais e revistas são utilizados como material didático e de pesquisa.(...)"

Embora ainda não formados, parabéns pra gente!!!

Amanhã é noite de Saideira

Repasso parte do conteúdo da newsletter que recebi da coordenação do curso agora há pouco:
"A abertura do projeto Saideira – Debates em Comunicação de 2008 ocorre amanhã, terça-feira, 8, discutindo as modificações que a televisão digital, em implantação no Brasil, está trazendo para a produção em áudio. O convidado do mês é o músico e produtor musical Gerson Rios Leme, proprietário da (((GRL))) Áudio Produtora, de Santa Maria. O Saideira ocorre na Livraria e Cafeteria Iluminura, Centro de Santa Cruz do Sul, a partir das 19 horas. A entrada é franca e o evento é aberto aos interessados e dirigido especialmente aos profissionais da Comunicação. A promoção é do curso de Comunicação Social da Unisc."

Extra! Extra! Extra!

Seguinte, moçada: a palestra do jornalista investigativo Giovani Grizotti, prevista para esta quarta-feira, 9, terá de ser transferida: ele acaba de informar que teve de se descolar com urgência para algum lugar da fronteira, onde o Ministério Público está realizando uma operação. Com isso, o evento fica transferido automáticamente para a próxima semana, quarta-feira, 16. Avisem a todos, por favor.

Anotem os (novos) dados:

O quê: palestra sobre jornalismo investigativo
Quem:
Giovani Grizotti
Quando: dia 16, quarta-feira, às 8 horas
Onde: Unisc, anfiteatro do direito
Como: palestra e diálogo com estudantes
Por quê: como forma de ampliar as discussões estabelecidas nas disciplinas de jornalismo do curso

domingo, 6 de abril de 2008

Travesti imprevisível


Olá pessoal!
Vim falar mais uma vez sobre os travestis da cidade.
Aconteceu algo que me deixou um tanto quanto assustada, pelo fato de estarmos com prazos a cumprir, para que o fechamento do jornal saia como planejado.
Na quinta-feira durante á noite, recebi a ligação da minha fonte, dizendo que não queria mais participar da minha matéria. O motivo: a imprensa só sabia difamar os travestis e ela acreditou que eu faria o mesmo. Deixou-me na mão.
Estava apavorada, sabia a correria que era ir atrás de uma travesti. Mas não desisti, coloquei-me rapidamente à procura de outra.
Para minha sorte, encontrei Bebel. Uma travesti muito simpática e que topou na hora dar entrevista, inclusive achou um máximo tirar fotos e mesmo depois da entrevista, se propôs a estar sempre disponível, caso eu precisar.
Agora estou um pouco mais tranqüila, finalizando o meu texto. Espero que mesmo com toda essa loucura de desistências e procura por fontes, saia uma boa matéria.

sábado, 5 de abril de 2008

História de um olhar


O mundo é salvo todos os dias por pequenos gestos. Diminutos, invisíveis. O mundo é salvo pelo avesso da importância. Pelo antônimo da evidência. O mundo é salvo por um olhar. Que envolve e afaga. Abarca. Resgata. Reconhece. Salva.

Inclui.

Esta á a história de um olhar. Um olhar que enxerga. E por enxergar, reconhece. E por reconhecer, salva... (pág.22 - A vida que ninguém vê)

Palavras de Eliane Brum...

Uma reflexão


Depois de 66 postagens, escrevo no blog. Não que seja difícil colocar algo aqui... mas me faltava assunto! Diferente da maioria dos colegas, não tenho uma pauta para correr atrás e contar essa trajetória. É claro que isso não justifica, só que acabei me passando por esse motivo! Olhava os post e ficava pensando no que escrever... achava que não tinha o que escrever, agora tenho!

Minha incumbência neste Unicom, que analisa Santa Cruz do Sul a partir de diversos olhares, é um ensaio. Um desafio, porque requer aprofundamento no assunto, o que busquei através de leituras. Agora que terminei essa fase e começo a juntar as palavras para eleborar meu texto, deixo uma passagem do livro As cidades invisíveis, de Ítalo Calvino, para reflexão dos colegas.


"A cidade de quem passa sem entrar é uma; é outra para quem é aprisionado e não sai mais dali; uma é a cidade à qual se chega pela primeira vez, outra é a que se abandona para nunca mais retornar[...]"

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Sobre olhos puxados e ligação com Japão

É incrível, mas sempre tive uma ligação com o Japão. Primeiro que muitos achavam que eu era de origem japonesa. Depois eu interpretei um japonês no teatro da 5ª série durante a Festa Junina. Mais tarde eu me viciei naqueles desenhos japoneses que tinha sempre um “mon” atrás do nome. Um pouco mais tarde, minha tia casou-se com um japonês. Depois, o cinema, a arte que mais amo, foi invadida pelo terror japonês. Recentemente, visitei o bairro da Liberdade, o bairro japonês mais famoso do país e foi lá que pela primeira vez eu comi comida... japonesa. Esse ano é comemorado o Centenário da Imigração Japonesa. E mais recente ainda, escolhi como pauta construir Santa Cruz através do olhar de um estrangeiro e não deu outra, escolhi um japonês, ou melhor, uma japonesa.


Será que existe alguma explicação? A mais próxima que cheguei foi a dada por um daqueles joquinhos de vidas passadas, na qual eu “descobri” que havia nascido na terra do sol nascente. Por fim, meus olhos deixaram de ser puxados, quer dizer, se um dia eles realmente foram. Ainda bem, porque seria difícil de explicar geneticamente como dois alemães poderiam ter tido um filho japonês.