terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Demorou, mas ficou pronta

Tenho a honra de anunciar que nessa terça-feira, 22 de dezembro de 2015, a audiodescrição de mais uma edição do Unicom está sendo postada. Demorou, eu sei. O objetivo era postá-la muito antes. Porém considerem como o nosso presente de Natal para todos vocês.

A audiodescrição que vocês poderão ouvir foi pensada pelas acadêmicas Heloísa Correia, Priscila Oliveira, Priscila Kellermann, Julia Ipê, Luana Ciecelski, Marieli Rosa e Veridiana Röhsler e conta ainda com a participação de alguns colegas e amigos que emprestaram suas vozes para interpretar personagens das histórias contadas no nosso Unicom Medos, como o Régis de Oliveira, o Thiago Carlotto, a Jéssica Gomes Dick e a Yasmin Brito Rosa.

Quer ouvir o nosso trabalho? Então basta clicar no link abaixo:



E se você saber mais sobre como são produzidas as audiodescrições, sugiro uma leitura do próximo Unicom. Nele reservamos um espaço para contar um pouco mais sobre esse trabalho que é feito dentro da disciplina.

Um abraço.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Jornalismo Online

Galera, o semestre está terminando e queria deixar uma opção de leitura de Blog pra vocês. É um trabalho para a disciplina de Jornalismo Online, ministrado pela professora Cristiane Lindemann. O Blog é para a ONG S.O.S Bichos de Candelária e contém curiosidades e reportagens multimídia. O trabalho é meu, da Luana Ciecelski e do Thiago Carlotto. Quem quiser pode dar uma espiadinha e também comentar e compartilhar. Agora que a disciplina terminou, vamos tentar continuar com o trabalho de postagens, então quem quiser dar sugestões sinta-se a vontade.

http://sosbichoscandelaria.blogspot.com.br/

Vai um chopp ai?

Gostaria de dividir com todos a minha matéria, que infelizmente não vai ser publicada no Unicom, mas pra quem se interessar e quiser ler, aqui está!

Países diferentes, alegrias iguais
Música alemã, cuca, linguiça, chopp, dança, shows, são palavras que não saem da cabeça dos que gostam da oktoberfest no início do mês de outubro. São poucas pessoas que nunca foram à tradicional festa da alegria de Santa Cruz do Sul, mas com certeza já ouviram falar dela e de tudo o que acontece nos dias do evento. A estudante de Arquitetura e Urbanismo, Nicole Daniela Ackermann, de 22 anos, conta como foi conhecer a festa alemã num lugar cheio de alemães, literalmente.

Nicole viajou para a Alemanha por intermédio do Ciências sem Fronteiras com o apoio da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) no dia 04 de fevereiro de 2014 e retornou no dia 28 de fevereiro de 2015. Durante seu intercâmbio morou em Kaiserslautern, cidade próxima a Frankfurt.
Além de poder estudar em outro país, a estudante teve o privilégio de conhecer vários lugares, passou por Munique, Berlim, Frankfurt, Dresden, Stuttgart, Hamburgo, Colônia e outras cidades menos populares. Também viajou para outros países: Holanda (Amsterda), Bélgica (Bruxelas), Croácia (Dubrovnik), Grécia (Olympia e Atenas), Itália (Veneza), França (Paris), Turquia (Éfesus), Reino Unido (Londres), Polônia e República Tcheca.

Nicole não perdeu a oportunidade de experimentar um chopp da Oktoberfes Alemã, que também é conhecida como “Die Münchner Wiesen”. Segundo a intercambista, Munique é a sede da festa que dura quase duas semanas. “Ano passado quando eu estava lá, iniciou no dia 19 de setembro e foi até o dia 04 de outubro. Sempre começa na metade de setembro e termina no início de outubro”, conta.
A oktoberfest que acontece na cidade de Munique é conhecida mundialmente. Mas em Stuttgart também acontece uma festa que é um pouco menos. Conforme Nicole, a diferença é que a de Munique é mais turística e comercial, justamente por ser mais conhecida.

Oktoberfest Santa Cruz do Sul x Munique

De acordo com Nicole, em Santa Cruz do Sul a festa é mais comercial que em Munique. “Aqui tem aqueles pavilhões com exposição e comércio, e os shows que são as atrações principais, e lá não existe isso”. Na Alemanha a festa ocorre em um lugar aberto, com um enorme parque de diversões, praça de alimentação, espaço para camping e barracões que é onde a festa realmente acontece. Em cada espaço desses tem bandas tocando o dia todo. “O lugar é cheio de mesas compridas com bancos onde as pessoas se acomodam, sentadas ou não”, brinca.

Mais uma diferença entre as festas é que as atrações mais esperadas em Santa Cruz do Sul são os shows, e lá não existe isso, as pessoas se contentam com o que acontece nos lonões. “As pessoas são muito festeiras em Munique, não tem essa de artistas famosos, o que importa é dançar e beber cerveja o dia todo. Todo mundo adora a Oktober e entram completamente no clima, é contagiante porque todo mundo fica feliz lá”, conta Nicole.

As bandas que tocam na “Die Münchner Wiesen” tocam as mesmas músicas em todos os anos, e as pessoas sabem cantar. “É como um hit da oktober, e quando toca “é o Barracão”, todo mundo canta junto, é muito legal”, relembra. Para a estudante, esse é o principal espírito da festa de lá. Uma festa enorme, com muita coisa boa, tanto bebida quanto comida, e a alegria e empolgação das pessoas.
Curiosidades: O chopp de 1 litro em Munique custa em torno de 10 euros, em reais daria aproximadamente 40 reais. Nos barracões é onde tem comida, e no parque do lado de fora é onde tem lanches. Durante a festa, a maioria das pessoas comem no barracão onde servem joelho de porco, linguiça com pretzel e outras comidas estranhas. As garçonetes carregam quatro copos de 1 litro cada, em cada mão. 

Nicoli com os companheiros de intercâmbio

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Fotos e revisão? Tá tendo!


Hoje é dia de colocar tudo na parede, digo, revisar! Enquanto nossa querida Carol termina de diagramar, algumas páginas já estão expostas na nossa 'redação'. Como disse no post anterior, está de encher os olhos. São tantas histórias bacanas que merecem ser eternizadas na palavra escrita. Aproveito para deixar registrado aqui um agradecimento aos meus colegas por compartilharem comigo - logo com vocês - tantas narrativas encantadoras. Sério, obrigada!

Nesta noite também estamos produzindo fotos de cada repórter que fez acontecer. Dessa vez, quem está registrando os rostinhos do Unicom é nosso talentoso e engraçadíssimo Guga. Deem uma 'bizuiada' em algumas fotinhos que fiz nos bastidores...

Eis o fotógrafo!

Tua vez Lu! 
Whats? Que isso, mulher?

Por hoje é isso! Tá ficando demais, né?

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Você acredita em ciência oculta?

Tarô, runas, astrologia... O tempo passa e cada vez mais procuramos esses meios para saber do nosso futuro - e, muitas vezes, compreender o passado e o presente. Muita gente se apega no que os especialistas em ciências ocultas falam e, por vezes, é com razão. O que dizem está fundamentado em estudos, pesquisas e, até mesmo, experiências.


Foto: Divulgação

O semestre está terminando e tem mais um Unicom chegando

Depois de um semestre agitado e da edição do Unicom Medos feita, o mês de dezembro chegou e com ele o cheirinho de férias, mas calma: ainda tem mais uma edição da nossa turma do Unicom.

Projeto Gráfico - Unicom Medos

Olá pessoas!

Este post é mais institucional, abaixo os dados do projeto gráfico do Unicom Medos.

  • Tamanho do jornal: 225 mm x 320 mm
  • Páginas: 36 total
  • Colunas: 4
  • Medianiz: 4,233 mm
  • Sangria externa: 5 mm
  • Barra lateral: 20 mm
















Músicos da região gravam clipe sobre medo

Foto: Reprodução

Eu sei, eu sei... O tema "medo" já foi bastante comentado por aqui. Mesmo assim, esta publicação não posso deixar de fazer. É sobre um músico daqui da região que lançou um clipe sobre o medo. O compositor é o Diego da Silva. Segundo ele, a inspiração para a letra surgiu a partir de uma frase do rapper Tupac Shakur, que diz que “o medo é mais forte que o amor”.

Unicom Medos ainda repercute

Quase um mês depois de lançar o Unicom Medos, a edição temática do jornal-laboratório ainda é é citada por aqui. Além dos comentários já relatados pelos colegas aqui no Blog, o ganhador da camiseta sorteada recebeu (finalmente) o prêmio.

Dia de revisar...

Nosso Unicom está quase pronto! E, nesta noite, vamos ver tudinho e conferir tudinho, para, depois, nossa diagramadora mandar para a impressão. Ansiosa para ver as páginas já diagramadas e dar aquele 'ok' em cada história contada. Tenho certeza que hoje será uma aula de encher os olhos...

Logo, logo, você também poderá se deliciar com as inúmeras reportagens feitas com tanta dedicação. Já adianto, tem desde lembranças de uma viagem e as não lembranças do seu Pedro. Tem de tudo um pouco, mas tudo de altíssima qualidade.

Depois eu volto para contar como foi nossa aula/revisão do Unicom!

sábado, 28 de novembro de 2015

Um quase novo Unicom


Com um prazo aqui, um prazo ali, tudo vai se ajeitando para que todos tenham chance de participar do novo Unicom. Na nossa última reunião a nova diagramadora, a Carol, já nos deu uma amostra de como vai ser o novo Unicom. Vimos as páginas, as fotos, os textos e a capa. E teve gente emocionada por causa da capa. Achei que o Guga, querido ilustrador, ia até chorar. Pois não é que uma das fotos dele foi parar no lugar que mais tem destaque no jornal?! Eu também me emocionaria. Mas foi merecido, é realmente uma bela foto.

Guga super feliz pela foto da capa
E como já disse a Luana Ciecelski, em outro post, é mais uma gestação que está quase no fim e, apesar de não ser uma edição temática, um trabalho da turma é sempre esperado por todos. Eu estou louquinha para ver esse resultado de perto.

Betina e Thiago dando os últimos recados pra turma

Como fazer ilustração para o Unicom

E aí, caros internautas de plantão?! Trago aqui um vídeo no qual mostro como faço as minhas ilustrações pro Unicom. Também quero dizer que estou muito feliz porque fiquei sabendo na última aula que uma foto que eu fiz para a minha matéria sobre o sonho de voar foi selecionada para ser a capa do próximo jornal. Foi uma grande surpresa. Bom, curtam aí como são feitas as ilustrações.
Até mais! ;)

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Um pouco mais de Alzheimer...

Como disse em outra oportunidade (aqui), minha reportagem será sobre a doença que faz esquecer. Sei que é uma doença traiçoeira e que muitas pessoas não sabem como lidar, nem ao menos estão preparadas - e quem está?. Mesmo lendo muito sobre isso e conversando com médicos especialistas no assunto, se tivesse alguém com Alzheimer na minha família, não saberia. Mas com certeza, iria lidar com mais humor e gratidão.
Por isso, separei duas fanpages que sigo há algum tempo, para ser sincera, acompanho elas antes mesmo de nascer meu interesse como repórter. São páginas de histórias reais, de pessoas reais e sentimentos reais. Espero que gostem e, quem sabe, possam ser úteis para alguém!

Alzheimer, minha mãe tem
Acesse aqui!
Vovó Nilva
Acesse aqui!


Turistando e estudando em Portugal

Há algumas semanas eu contei aqui no blog do Unicom que a minha matéria para o próximo laboratório (que já está sendo finalizado) será sobre viagem. Já fiz até um post falando um pouco do casal viajante com quem eu conversei. Porém hoje eu vim até aqui pra falar de uma outra viagem que está sendo muito comentada na Unisc nos último dias: o intercâmbio para Portugal.

Na última segunda-feira, 23 de novembro, os alunos Débora Silveira de Jornalismo, Joice Bastos e Lucas Souza de Produção em Mídia Audiovisual e Gabriel Gassen de Publicidade e Propaganda embarcaram, junto com a professora Yhevelin Guerin para Abrantes, em Portugal, onde permanecerão por cerca de 20 dias. 

Professora Yhevelin, Débora e Joice ainda no avião, chegando em Abrantes - Fotos: Debora Silveira

Boa parte de suas atividades deles por lá vão acontecer na Escola Superior de Tecnologia de Abrantes (Esta) onde eles, inclusive, acompanharão algumas aulas, no entanto, também fazem parte do planejamento diversos passeios para conhecer locais históricos e turísticos além, é claro, saídas para conhecer o mercado de trabalho dos comunicadores portugueses.

Nessa quarta-feira, 25 de novembro, Débora conversou com a equipe do Unicom através do Facebook e contou como está sendo a experiência:

"Hoje (quarta-feira, 25) visitamos um castelo, um museu e de tarde conhecemos uma vinícola e uma empresa de curtiça. Amanhã (quinta-feira, 26) terei uma aula de gêneros jornalísticos pela manhã e de inglês a tarde", compartilhou. 

Registro de Abrantes feito por Débora
Ela também comentou que os estudantes da Esta foram muito receptivos com os alunos da Unisc, e que a comunicação tem acontecido de forma bem tranquila apesar  de eles falarem um português um pouco diferente numa velocidade bem alta.

"Algumas coisas acabam passando, porque eles falam muito rápido. Tem algumas gírias também. Tipo "fixe", que é dito quando uma coisa é legal. Tem também "rapariga", para as meninas, "miúdo" para as crianças e "comboio" para trem", explicou Débora.

Além das aulas, outra grande expectativa do grupo, claro, são as viagens. No próximo fim de semana o grupo irá até o Porto, que é segunda maior cidade de Portugal. Depois, nos dias 5 e 6 de dezembro o grupo conhecerá Lisboa, a capital do país e a cidade mais populosa e o encerramento da viagem acontecerá na Espanha, nos dias 12 e 13, quando os cinco viajantes passearão por Madri, a capital espanhola. 

Confira mais fotos:

Outro registro fito da cidade portuguesa

Intercambistas passeando por Abrantes na terça-feira, 24 de novembro

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Doença que faz esquecer

Sabe, sou apaixonada por literatura, cinema e romance de não ficção - ou, como diria minha mãe, as reportagens especiais. Gosto de tudo que é transmitido por meio do coração. Sou daquelas que chora ao ver uma bela narrativa no jornal, ao ler um amor naqueles livros de ficção, ou ao assistir um filme. Estes, estão entre as principais 'coisas' que me inspiram, não estão entre as primeiras porque ainda prefiro minha família. Enfim, o que isso tem haver com o Unicom?
Há alguns dias - ou semanas, não importa - assisti The Notebook (O diário de uma paixão), de Nick Cassavetes. Essa produção é extremamente linda e sensível. Conta a história de um homem apaixonado, que até, o fim de seus dias, reconquista a mulher que se apaixonará na juventude. Ela, por sua vez, sofre de Alzheimer e se apaixona por aquele homem diariamente como se fosse a primeira vez. É um filme de encher os olhos do início ao fim. Na verdade, é de fazer soluçar, como criança. 
Então, desde que assisti esse filme, me deparei com a curiosidade dessa doença que faz esquecer. Passei a pesquisar sobre, e descobri que há pelo menos 35, 6 milhões de pessoas com Alzheimer no mundo. Esse número, conforme estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS),  pode chegar a 115 milhões de pessoas até 2050. Dessa curiosidade, surgiu a vontade de informar e alertar as pessoas sobre essa doença degenerativa, que vai corroendo as pessoas aos poucos. Primeiro a memória, depois as demais funções cognitivas, como fala, movimentos etc.
Por isso, já adianto, no próximo Unicom você vai conhecer a história do seu Pedro. Um senhor adorável, mas que as vezes desconhece àquelas que ajudou a 'por' no mundo, suas filhas. Um senhor que precisa de ajuda até para preparar o mate, já que não consegue mais equilibrar em uma mão a cuia e na outra a erva. Um senhor que, pode não se lembrar do almoço, mas que não esquece do amor que tem pela mulher. 

Convido vocês para aguardar -ansiosamente, de preferência - o próximo Unicom, que promete ficar na história. Para àqueles que esquecerem, eu volto aqui para lembrar! Aguardem, vai ser demais.

Grávidos outra vez

Os 20 alunos que fazem parte da disciplina de Produção em Jornalismo Impresso desse semestre estão, como já disse o título deste post, grávidos. Outra vez. 

E a gravidez é de uns oito meses, no mínimo. 
Ou seja, lá vem mais um Unicom, minha gente!

Boa parte das matérias já foram feitas e entregues e algumas ainda precisam de uns retoques, mas até o fim da semana estarão tinindo. 

A diagramação já está praticamente pronta e também só precisa de ajustes. Será encerrada definitivamente até a próxima terça-feira, 1º de dezembro. Nesse dia será feita a revisão coletiva. 

Capa? Nós já temos! Sim. E será muito demais, acredite!
Quase mais demais que a capa do Unicom Medos, eu arriscaria dizer. 

Carol, a diagramadora da vez apresentando a diagramação parcial - Foto: Luana Ciecelski

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Vítimas da guerra

Senegaleses que fogem da guerra e da fome atravessam o oceano na esperança de uma vida melhor. O repórter Régis de Oliveira Júnior revela que o desemprego, dificuldades com o idioma e moradia incerta viram drama para os refugiados que chegam ao Brasil.

A reportagem conta a história de Abden, o irmão e dois amigos senegaleses. O grupo atracou clandestinamente no Porto de Rio Grande em 2013. Escondidos nos porões de um navio vindo da África, eles viajaram abarrotados, passaram frio, fome e sede.

Na próxima edição do Unicom, você confere um panorama completo sobre a maior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial. Na época, 60 milhões de pessoas deixaram seu país em busca de abrigo. De acordo com dados oficiais da Organização das Nações Unidas (ONU), atualmente, 59,5 milhões lutam por proteção internacional.


Matéria do Unicom vira tema de documentário

A edição do Jornal Unicom Medos trouxe uma reportagem sobre o temor policial. De acordo com uma pesquisa do Instituto Datafolha, 62% da população têm medo da polícia, ou seja, seis em cada dez brasileiros. Os números divulgados pelo Anuário Brasileiro da Segurança Pública também revelam o desastre de um sistema violento e ineficiente de polícia.

Os repórteres Pâmela Caporalli e Régis de Oliveira Júnior produziram um documentário sobre o medo da polícia. O áudio começa com o depoimento de duas mães cariocas que tiveram seus filhos assassinados por policiais militares no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro (RJ). Em seguida, Jonny Port, de 22 anos, morador de Passo do Sobrado (RS), relembra os minutos de terror que viveu nas mãos de dois PMs do Pelotão de Operações Especiais de Santa Cruz do Sul (RS).

A emoção da maternidade depois de 15 anos

A dona de casa Neli Gonçalves Machado, de 54 anos, é casada com Júlio Cezar Fazenda Machado e juntos tiveram dois filhos, Pavel Gonçalves Machado e Gabriel Gonçalves Machado. “Meu primeiro filho foi o Pavel, que durante anos foi filho único, mas seu reinado acabou quando, após 15 anos, o Gabriel chegou. E isso aconteceu depois de muito planejamento e, com certeza, ele foi muito desejado”, conta. De acordo com Neli, foi um recomeço, a rotina da vida era outra e eles eram pessoas com visões diferentes de 15 anos atrás. Para ele, que chegou à nossas vidas, tudo foi novidade, mas sua realidade já era da família formada, com um irmão 15 anos mais velho. “A emoção da segunda gestação foi a mesma da primeira, e foram vários pontos positivos. Eu já tinha maturidade, experiência, além de estar muito mais tolerante diante de algumas situações. Uma coisa que foi mais difícil foi que, mesmo sendo muito desejado pelo seu irmão, houve conflito de gerações”, explica.

No entanto, a gravidez nem sempre é encarada com bons olhos pela sociedade, dependendo da fase em que a mulher engravida. Acima dos 35 anos muitos falam que a gravidez é de risco para a saúde. Algumas dessas mães sofrem preconceito por isso, mas esse não foi o caso da Neli. “Não me recordo de ter sofrido preconceitos, talvez também porque estava tudo muito natural e tranquilo para mim”, salienta. Para a dona de casa, ser mãe é maravilhoso, ainda mais de dois filhos maravilhosos. “É a melhor coisa que pode acontecer na vida de uma mulher. É magico, é um amor infinito. E hoje sou mais completa ainda, porque já sou avó do Miguel, de 7 anos, e do Guilherme, de 3 meses”,completa. Esse relato dialoga com a minha matéria da próxima edição do Unicom, que será lançado em breve.

Três jornais laboratório do Brasil para conhecer

Nesta disciplina de Produção em Mídia Impressa temos nossa primeira experiência de jornal laboratório. Essa prática sempre rende bons frutos, por nos forçar a realização de um trabalho mais caprichado, que será efetivamente publicado, além de conhecer melhor as funções na produção de um jornal impresso.
Que tal, para isso, dar uma olhadinha na nossa "concorrência"? Outras universidades também mantêm blogs e jornais, confira alguns:



Jornal Esquina
O veículo laboratório em forma de site pertence aos alunos do curso de Jornalismo do UniCEUB (Centro de Ensino Unificado de Brasília). O blog é uma produção da disciplina de Jornalismo Online do 6º semestre e supervisionado pelo professor da disciplina. Entre as pautas, assuntos da região do Distrito Federal, além de temas variados como saúde, cultura e direitos humanos.

Conheça o Jornal Esquina aqui.



O Berro
O jornal impresso é uma produção do Curso de Jornalismo da Unicap (Universidade Católica de Pernambuco), e também possui o blog. A publicação também costuma trabalhar com edições temáticas e, inclusive, já foi vencedor do Expocom Nordeste 2011, na categoria Jornal Laboratório Impresso.

Visite O Berro neste link.



Primeira Pauta
A produção pertence ao Curso de Jornalismo da Associação Educacional Luterana Bom Jesus/IELUSC, de Joinville, em Santa Catarina. O jornal, que é impresso, mantém o blog desde 2013 para apoio. As matérias são noticiosas, como um jornal diário, mas também conta com algumas reportagens.

Conheça o Primeira Pauta aqui.

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Como começou a crise atual do Oriente Médio?

Nós, como futuros jornalistas, estamos sempre acompanhando o que acontece no mundo. Mas, assim como o todas as pessoas, não deixamos de nos surpreender e chocar quando ataques como o ocorrido na última sexta-feira, 13, em Paris, acontecem. Pensando com meus botões e tentando entender a escalada de eventos que culminou nesta tragédia, me surgiu na timeline do Facebook exatamente o vídeo que eu estava procurando.

Uma produção do grupo #WhyMaps mostra com imagens de mapas, de forma didática e simplificada, a situação da Síria e demais países árabes da região e como os conflitos que acontecem ali ao longo dos anos facilitaram a criação do grupo extremista Estado Islâmico.



Uma boa dica para a feitura do jornalismo laboratorial, e para o jornalismo da vida: quando não sabemos o que acontece no presente, sempre devemos nos voltar para o passado, já que ele carrega as respostas.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Leitores comentam sobre o Unicom Medos

Orgulho. Esta é a palavra que define o que estou sentindo em poder ter integrado a equipe do Unicom Medos. Receber elogios e ver que a galera está curtindo o jornal, dá uma sensação de dever cumprido. Alguns leitores comentaram sobre o que acharam da edição que foi lançada no último dia 3. Confira abaixo e comente você também!
                                                                                        Fotos: Priscila Oliveira
Fotos: Priscila Oliveira
"Achei o jornal super criativo, 
convidativo e com  matérias super 
bem escritas. O tema foi bem abordado
em todos os sentidos, emocional,
 informativo, entre outros. Deu até 
para ter matéria preferida. 
Estão de parabéns, muito bom!"
Estela Frantz, 26 anos.
"Até então não havia lido nenhum
Unicom ainda mas, me surpreendi
com a qualidade do jornal, tanto da
diagramação, quanto das reportagens.
Os repórteres utilizaram uma
linguagem leve, tornando a leitura
bem agradável. Ao ler o jornal
a impressão que tive é que essa
turma vai longe. Sucesso à todos."

Robson Cardoso, 33 anos.
"Ficou muito bacana o jornal.
O layout diferente chamou minha
atenção. Quanto às reportagens,
gostei muito também. As pautas
são bem diversificadas e atraentes."
Jefferson Junkherr, 18 anos.
"As reportagens, de um modo geral, são
bem interessantes. Elas relacionam o
medo a vários tipos de sentimentos de
pessoa para pessoa. O que me chamou
bastante atenção foi a desenvoltura dos
repórteres na maneira como escreveram.
Achei excelente a maneira como
abordaram o tema. Ao ler o jornal
ressurgiu a minha vontade em cursar
jornalismo e a paixão por histórias.
Parabéns à equipe." 

Martina Xavier, 24 anos.

Ainda sobre o lançamento

Ainda não dei meu parecer sobre o lançamento do Unicom Medos. Então digo: ADOREI! Valeu todo o esforço que tivemos.Todo o estresse não foi em vão e serviu para o jornal sair perfeito. Sou suspeita para falar, mas foi o melhor Unicom, o melhor lançamento e os melhores repórteres!

É só olhar para as carinhas nas fotos, a felicidade de um trabalho concluído e bem feito!








sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Um ano de estrada

Olá colegas, tudo bom?
Hoje vim até aqui para fazer um convite:

Não vou guardar segredos, para a próxima edição do Unicom, vou falar sobre viagem. Mais especificamente sobre um casal que está viajando. Mas não é uma viagem qualquer, é uma volta ao mundo. E sabe... hoje, 13 de novembro de 2015, eles completam um ano de passeios, um ano de pé na estrada. 

Durante esse um ano de jornada a Ticiana e o Marquinhos, registraram suas memórias e histórias em um blog, o Desempacotados. Também vou falar um pouco sobre esse blog na minha matéria. No entanto, para comemorar essa data especial para o casal viajante, achei justo convidar todos os leitores do Unicom, para acompanhar também as postagens deles.  

Fotos cedidas pelo Desempacotados                                          

Marquinhos e Ticiana em Plitvice, na Croácia

Só pra constar, eu soube desse blog e desse casal através de uma colega de trabalho, mais ou menos por maio desse ano. Desde então, acompanho as postagens e também as publicações que eles fazem nas redes sociais. 

Pra aqueles que sonham em fazer algo parecido com o que a Tici e o Marquinhos estão fazendo, o blog é uma ótima oportunidade de começar a entender o que é necessário, de aprender dicas e de saber como dar os primeiros passos na realização de seu próprio sonho de viajar pelo mundo. 

Ah, eles também têm uma página no Facebook, que também é muito legal de acompanhar. 

Fica a dica e eu espero que gostem. 

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

O reconhecimento

Acabei de receber uma ligação. Do outro lado da linha, era Adriana Bartz, a inspiração da minha matéria para o Unicom Medos. Sua voz estava tremula e feliz, e ela me agradecia por conseguir expressar com palavras os seus sentimentos. Questionei como ela tinha lido o texto, se ainda não havia dado tempo de entregá-lo... Ela disse que uma colega de trabalho estava lendo o Unicom e deparou-se com a sua história. Estavam reunidas com a família, lendo várias vezes e se emocionando.

Ela repetiu o resumo que fiz com as últimas palavras para o filho. Choramos. Sem muito a dizer, só posso agradecer. Ganhei o meu ano com o reconhecimento de uma mãe que abriu o coração para o jornalismo. E eu sigo na difícil tarefa de emocionar as pessoas através de palavras. Obrigada, Unicom!

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Um recreio diferente

Na última terça-feira, 3 de novembro, lançamos a primeira edição do Unicom 2015/2, com o tema Medos. O evento ocorreu no Centro de Convivências da Unisc, durante o intervalo da aula, e contou com um pocket show da banda Playsound, apresentação dos alunos que produziram o Unicom e um quiz para premiar o público com camisetas e bottons personalizados com o tema do nosso jornal. Abaixo está o registro, com esse singelo e amador vídeo, um pouquinho do que rolou no lançamento.






segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Carta aos colegas de Unisc, mas não curso

Durante o lançamento do Unicom Medos, que aconteceu no Centro de Convivência da Unisc, na noite de terça-feira, 3 de novembro, a galera que produziu o jornal teve uma experiência muito interessante de contato com o pessoal de outros cursos. 

domingo, 8 de novembro de 2015

Com o Unicom na mão

Definir o tema para esse Unicom foi divertido. Pensar as pautas também. Entrar em contato com as fontes e receber um retorno delas foi muito bom. Conversar pessoalmente com elas e aprender um monte de coisas novas, então, nem se fale. Ver a matéria tomando forma e posteriormente já editada, quase pronta e impressa numa parede foi uma sensação digna das notas e postagens eufóricas que aconteceram nesse blog e nas redes sociais. No entanto, nada disso se compara a sensação de ter o Unicom Medos pronto na mão.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Teaser do lançamento do Unicom Medos

Falaê internautas!
No último dia 3 rolou o lançamento do nosso jornal Unicom lá no CC e contou com uma estrutura pra lá de bacana! Confiram nesse teaser a descontração da turma!
Valeu!

video

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Foi lindo, lindo!



Gente, o lançamento do Unicom foi melhor do que esperávamos. Sou suspeita para falar, pois fui a encarregada de organizar o evento, mas confesso que fiquei bem feliz com o resultado. Percebi a satisfação no olhar dos colegas também durante o lançamento, o que me deixou ainda mais contente.

Cartazes de divulgação do Unicom Medos

Todo o processo necessário para lançar o Jornal Unicom, na edição dos medos não terminou quando as matérias ficaram prontas. Além da pesquisa, entrevistas, e demais funções elaboramos camisetas, botons, um evento de lançamento maravilhoso e eu fiquei responsável pelos cartazes.

Pensei que eles tinham que ser simples, mas mostrar o medo como tema principal. Optei pelo preto e branco que é mais dramático, escolhi algumas imagens que representassem algumas das principais e mais curiosas fobias. Confira:

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Preparativos a mil: é daqui a pouco!

O lançamento do Unicom Medos é daqui a pouco, às 20h30! Os prepararivos estão a mil!



"Dizer que não tive medo de escrever sobre minha pauta seria mentira"

Finalmente chegou o dia tão aguardado por todos nós, da turma de Produção em Mídia Impressa: o lançamento da primeira edição do Unicom 2015/2. Pra te deixar curioso e com gostinho de quero mais, olha aí o que a colega Veridiana Röhsler comentou sobre a reportagem dela:

"Dizer que não tive medo de escrever sobre minha pauta seria mentira. Ao apostar em um assunto tão polêmico e debatido entre a sociedade, como a violência contra as mulheres, sabia da necessidade de entrevistar vítimas. Não sabia ao certo como lidaria com a situação e também não queria machucar nenhuma menina ao fazer lembrar dos momentos de agressão, mas como repórter, sentia a pressão da necessidade desta fonte. Ao criar coragem para conversar com alguém que foi abusada, ressaltei o quanto o depoimento seria importante para alertar outras mulheres. O medo de receber um NÃO era grande. Além disso, eu me sentia mal por ter que fazer a garota reviver em detalhes o acontecimento e assim, deixá-la triste. Ela aceitou e me contou tudo, comovendo-me a cada detalhe. Peço desculpas e agradeço. Não queria fazê-la recordar coisas tão ruins. E muito obrigada por me ajudar a mostrar às pessoas como tamanha crueldade machuca, não só o corpo como também a alma".

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Você tem medo do quê?

A equipe do Unicom saiu pelos corredores da Unisc e perguntou para alguns estudantes quais eram os medos deles? Quer saber quais são? Então confere o vídeo:

"Então eu simplesmente travei"

Quem acompanha o Unicom pelo blog e pelas redes sociais já sabe que a edição temática do jornal é sobre medos. Por cerca de dois meses a turma esteve imersa no tema com o objetivo de trazer boas histórias para o jornal. Mas, e os repórteres? Será que, ao contar os relatos de pessoas, eles também não sentiram medo? Na reportagem da colega Luana Ciecelski esse sentimento surgiu, confira o depoimento dela sobre essa experiência:

Quase, quase!

Enfim, a Unicom Medos está quase em nossas mãos. Depois de dois meses podemos respirar aliviados, pois o medo de dar errado e o de não acertar já não nos amedronta. Temos a consciência de que vencemos este desafio e, como troféu, levantaremos o NOSSO jornal-laboratório. Na verdade, não apenas levantaremos em forma de comemoração, nós vamos é compartilhá-lo com vocês! Sim, é verdade, mas só na próxima semana! Aguardem, não vão se arrepender. Palavra de escoteiro, digo, de uma jornalista em formação!

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

“A sociedade se afastou da polícia”, diz Beltrame

José Mariano Beltrame é o braço forte da segurança do Estado do Rio de Janeiro (RJ) há mais de oito anos. Gaúcho, natural de Santa Maria (RS), articulou uma audaciosa iniciativa contra o crime e o combate à violência. Beltrame é o idealizador do projeto das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) na cidade carioca. Passados sete anos de implantação, o número de homicídios no Estado do Rio despencou para 25 a cada 100 mil habitantes, a menor taxa da história, de acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Um novo trabalho começa


O Unicom Medos está pronto. No entanto, a disciplina de Produção em Mídia Impressa não para. O novo Unicom deste semestre já está sendo pensado e as novas funções já foram repassadas. Atendendo ao pedido da turma, a Betina vai ser a nossa editora (palmas para ela que aceitou a missão, sucedendo a Helô, que fez um belo trabalho).

Desta vez, as pautas são livres e os alunos não precisarão se prender a um determinado tema. Na aula passada, após a revisão final dos textos e da diagramação da versão temática, já fizemos as sugestões. E são várias: 21 novas reportagens vão compor o próximo jornal. Tudo novo, de novo. Agora, mãos à obra, colegas, pois temos um longo trabalho pela frente!

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Desafio apaixonante

Algo que não poderia deixar de ser relatado aqui, é que a diagramação do Unicom Medos está "fodástica". Hoje, foi dia de revisar todas as páginas e ver o quanto o nosso jornal laboratório está ficando lindo e de qualidade. Agora a diagramadora, Évelyn Bartz, está fazendo os últimos ajustes para ficar tudo impecável. Todos os detalhes da diagramação foi estudado, pensado, repensado, e acima de tudo, realizado com muita dedicação. A nossa talentosíssima colega diagramadora vestiu mesmo a camiseta e merece esse reconhecimento. É um desafio, isso não temos dúvidas. Contudo, é um desafio apaixonante. São tantos talentos nessa turma que o orgulho toma conta. Enquanto isso, esperem só mais um pouquinho que falta pouco para o Unicom Medos estar em suas mãos. (Confira abaixo um pequeno relato da diagramadora Évelyn Bartz).

O relato de um trauma

Exclusivo para o Blog do Unicom, o relato de um trauma. Um acidente que desencadeou um medo a ser enfrentado seguidamente.

Quase nascendo

Depois de alguns longos dias de diagramação, aqui vamos nós, para a revisão coletiva.

Faremos um desfile como sugere o autor Jan White. As páginas foram impressas em folhas A3 e coladas na parede da sala de aula, onde além de revisar foi possível captar o "todo".

Sobre o método para revisar textos

A revisão de textos é algo tão simples e ao mesmo tempo tão complexo. Há algo mais fácil do que trocar uma letra, uma palavra por outra? Existe alguma coisa mais complicada que a mente humana?

sábado, 17 de outubro de 2015

O Medo das idas e vindas


Hoje eu senti medo. Senti medo por uma fração de segundos, mas senti, e não foi nada bom.

As idas e vindas de Candelária para Santa Cruz do Sul, e vice-versa, duram de meia hora a quarenta minutos. Faz tempo que tenho tido maus pressentimentos quanto a essas viagens, mas hoje, depois de três anos e meio fazendo esse trajeto, o meu medo aumentou.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Muitos medos ao longo de uma vida (longa)

A Romilda, esta jovem senhora de 92 anos que está na foto, é quem falou comigo sobre seus medos. A ideia inicial era abordar o medo em diferentes gerações. Falei com crianças, adolescentes, jovens adultos e idosos. Mas a história da Romilda foi a que mais chamou atenção. Por isso, ela poderá ser conferida no Unicom Medos. Pense bem: são 92 anos, muita coisa ela já passou nessa vida! Muitos dos seus medos têm fundamento, podem ter certeza.

Nosso lançamento vai ser show!

Gente, nosso - quase - filho querido já tem data para ser apresentado! E digo mais: o lançamento vai ser digno do conteúdo do Unicom Medos. O trabalho todo envolveu muita dedicação de todos os colegas, por isso, é justo que essa conclusão também seja comemorada. Então, digo outra coisa: preparem-se, pois o lançamento do Unicom vai ser um show!

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Nós estamos prontos

Nas aulas em que decidíamos o tema de nossas matérias para o Unicom, os medos banais, aqueles do cotidiano, sempre davam o ar da graça. Um deles era o medo de agulhas, que no fim das contas nem virou matéria. Mas isso não vem ao caso.

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Na missão de não poder sentir medo

Você já se imaginou em meio a uma guerra real? Viver diariamente com tiros, explosivos, combates e muita adrenalina? Eu não! Sinto medo só de pensar. Já o militar Clóvis Alex da Silveira convive com isso diariamente. Há sete anos ele integra o Grupo de Comandos Paraquedistas (GCP) da Legião Estrangeira na França. 

Aula de hoje: conferir as páginas do Unicom

Então, hoje nossa aula foi para isto. Nossa diagramadora nos apresentou as páginas do Unicom Medos. E a Évelyn sempre dedicada me surpreendeu. Páginas muito criativas, bem pensadas e elaboradas.

Ajudamos em alguns detalhes da diagramação, dizendo “muda isso, coloca aquilo”. O momento foi de colocar a opinião. O nosso ilustrador Guga também mostrou trabalho, os desenhos e ilustrações dele estão por toda parte, e muito bonitos por sinal.

Já os textos dos quais sou suspeita pra falar, porque como revisora li alguns (ainda quero ler todos), também estão contribuindo e esse Unicom está ficando muito bom.

Logo logo, ele vai sair do forno, aguardem!

Tcharaaam!

Terça-feira, 6 de outubro de 2015. Dia de apresentar e discutir a prévia das páginas diagramadas. Dia de ver como vai ficar o Unicom Medos. E eu estou amando.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Quase tudo encaminhado

Textos entregues e revisados. Porém, a produção do Unicom temático não para por aí. Ainda faltam a diagramação da talentosa colega Évelyn Bartz para que o jornal fique lindão e a organização do evento de lançamento, que reserva algumas surpresinhas (beeem agradáveis).

Esta semana vamos nos reunir com a equipe de Relações Públicas da Agência A4 e tentar retomar uma parceria. Queremos a ajudinha deles para que o lançamento seja um espetáculo! Nesta semana também vamos definir a data do evento e as atrações. Portanto, fiquem atentos pois nos próximos dias divulgaremos mais informações!

Sem medo de fazer elogios

No final do semestre passado, ao fazer minha rematrícula e escolher a disciplina de Produção em Mídia Impressa, meus sentimentos intuitivos diziam que seria uma "indiada" daquelas. Então, pensei: pra fazer um Unicom daqueles, vou precisar de uma turma maneira: daquelas que somam as ideias e dividem os esforços. Para o meu alívio e felicidade, fui atendida! (Obrigada, Senhor)

Com o início do período atual, revi alguns colegas que encontro todos os semestres, mas também encontrei alguns pela primeira vez. Na primeira aula, já pude sentir que esse jornal ia ser diferente e até comentei com a Lu (colega antiga): "Que bom que vai ser essa turma que vai fazer o Unicom comigo. A maioria já se conhece, vai ser legal".

Qual não foi o meu engano, e, também, tão gratificante surpresa. Nós não nos conhecíamos! Nos descobrimos ali, entre os erros e os acertos! Porém, tenho um objetivo nessa postagem: render honras a um talento que eu desconhecia. Por ser editora, tenho a missão (que, na maioria das vezes, é um privilégio) de ler os textos antes de todo mundo.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Afinal, quem nunca sonhou em fazer o UNICOM?

Tudo bem que estou há quase seis anos no Curso e já vi algumas (muitas) edições circularem ao longo deste tempo, mas, fala sério, quem nunca sonhou, pelo menos uma vez, em fazer o Unicom? Ter seu rosto estampado num jornal-laboratório tão bem reputado? 

Na última terça-feira, 29, quando me vi nas fotos da “turma do Unicom” pensei: cara, chegou a minha vez. E não é porque é a edição que eu faço parte não, mas, tchê, que edição essa que está chegando!

Novo formato, nova proposta. E o tema? Medos! 

Mas de nada adiantaria se a turma não fosse como ela é. Aqui, com todo o respeito às turmas anteriores, só tem gente fera. Todos determinados a fazer um Unicom diferente de todos já vistos.

Mudou a previsão, mas tudo está igual ...

Depois de muitos dias de chuva, finalmente essa última semana foi de sol e temperaturas amenas. Mas como tudo o que é bom dura pouco, a previsão para hoje, amanhã e domingo é de muita chuva. Chuva  com raios, muitos raios.
Não sei você, mas eu tenho pavor a raios, principalmente quando eles vêm acompanhados de ventos. Me dá a sensação que sou um grão de areia, uma sensação de impotência. Raios tem o poder de me deixar nervosa e aflita. Sim, eu sei, pode até parecer bobagem para quem não tem esse medo, mas quando chove e é noite e no céu há trovões, eu perco o sono.
Já perdi as contas de quantas noites passei em claro por causa deles. E não adianta contar carneirinhos, porque o sono não vem.
Hoje é sexta-feira, e se a noite trovejar, ao invés de tentar buscar o sono que briga para não vir, vou ficar "de boas" assistindo algum filme no Netflix. É meu amigo, se você também sofre com os raios, nada melhor que um bom filme ou seriado para te distrair.
Ah e bom final de semana!

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Filmes de terror

Frio na barriga, olhos grudados na tela e a expectativa da cena que virá a seguir. Essas são sensações comuns para aqueles que gostam de assistir filmes de terror. 

Algumas das pessoas, tipo eu, nem dormem direito depois, no entanto, ainda assim alguns desses longas, feitos pra deixar as pessoas com medo, se transformam em sucessos de bilheteria no cinema, como foi o caso de Bruxa de Blair em 1999 (o filme foi recordista absoluto de lucro, porque custou apenas 50 mil dólares e arrecadou cerca de US$ 249 milhões) e mais recentemente do Invocação do Mal (2013) que apenas em um fim de semana de exibição lucrou US$ 41,4 milhões. 

Pensando nesse público, diversos sites e blogs já elaboraram listas dos filmes que são considerados os melhores do gênero. Um desses blogs é o Medo B que nos dá o nome de dez dos mais marcantes filmes. Confira os nomes e os trailers deles:

O Chamado
Ano: 2002
Diretor: Gore Verbinski



A Bruxa de Blair
Ano: 1999
Diretor: Daniel Myrick e Eduardo Sánchez


O Iluminado
Ano: 1980
Diretor: Stanley Kubrick



A Casa do Horror (Horror em Amityville)
Ano: 1979
Diretor: Stuart Rosenberg



Alien, o 8º passageiro
Ano: 1979
Diretor: Ridley Scott



Carrie, a Estranha
Ano: 1976
Diretor: Brian De Palma


A Profecia
Ano: 1976
Diretor: Richard Donner


O Exorcista
Ano: 1973
Diretor: William Friedkin



O bebê de Rosemary
Ano: 1968
Diretor: Roman Polanski


Psicose
Ano: 1960
Diretor: Alfred Hitchcock




Bons sonhos e até mais!

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

A equipe

Você sabe quem está produzindo o jornal Unicom deste semestre?

Se você vem acompanhando os posts aqui no blog e é da Comunicação Social da Unisc, já deve ter visto algumas carinhas conhecidas nas fotos postadas aqui no blog, mas, se não viu, não se preocupa não, vou "matar" a sua curiosidade =D.

Foto: Fábio Goulart                                 
Equipe linda do Unicom Medos 2015/2

Ah, e fica ligado que logo, logo faremos o lançamento desta edição que está recheada de novidades. Mas, enquanto ela não chega, se aprochega aqui e embarca nesse barco com nós. 

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Marcando presença

Boa noite, leitores! =)
A noite de terça-feira foi produtiva: além das camisetas, também recebemos os bottons! A responsável pela produção foi a Luana Ciecelski. Ficaram muito legais, não é?!

Eu já garanti o meu. E você, quer também? 

Então, continue ligado no blog para saber a data de lançamento do jornal. Além dessa, estamos preparando muitas surpresas para esse evento! 



Depois das fotos, o boneco

Não existe jornal impresso sem um boneco. É quando os editores decidem que espaço cada matéria vai ocupar e onde vai cada uma delas.

Na aula de hoje, além das fotos a turma conheceu o boneco elaborado pela editora Heloisa Correa e a editora de arte Évelyn Bartz. De agora em diante, tudo é correria de fechamento.



Fotos da turma

E aí pessoal, tudo bem? Aqui quem vos fala é o Guga. Ficam aqui os registros das fotos de hoje à noite. Tirar fotos no fundo infinito, sempre é uma ótima experiência. Além de deixar o nosso Unicom Medos mais carismático, para nós, foi pura diversão!

Abraço a vocês, caros leitores.



Chegando aos "finalmentes"


Estou super ansiosa pelo lançamento do nosso Unicom, o Unicom Medos. Hoje recebemos a nossa camiseta, a minha ficou um pouco grande, mas mesmo assim está linda, o pessoal caprichou. Também foi nesta oportunidade que tiramos as fotos para o jornal. Foi uma folia, achei muito divertido essa parte, tirou um pouco o stress que eu estava sentindo nas aulas nas ultimas semanas. 

Mas falamos do jornal. Ainda não contei sobre o que é a minha matéria, agora que já não é mais segredo vou falar sobre. Escolhi o tema “medo do escuro” porque foi algo que senti por muito tempo, e na verdade, sinto até hoje. Falei com crianças e também procurei uma pessoa adulta para contar como é sentir esse pavor, independente da idade. 

Agora precisamos nos mexer e tocar o barco, ou melhor, tocar o jornal. E como sou revisora do impresso, fico por aqui, e boas leituras pra mim.

Muitas poses, muitas caras e bocas, tudo por um jornal perfeito!


Habemus camisetas

A noite dessa terça-feira, 29 de setembro, foi de distribuição das camisetas do Unicom Medos.
Pretas, com carinhas de pavor brancas, elas já estão circulando pelos corredores da Unisc. 

Confere um pouco do que foi a folia:

Fotos Luana Ciecelski                                         
A Pâmela adorou a camiseta do Unicom Medos

Xiiiiii... e se não servir? Serve, sim, professor Demétrio
A Evélyn Bartz fez a distribuição


Outra novidade da noite foi que o professor Demétrio, que havia quebrado o braço direito durante as férias de julho, tirou a tipoia e já está escrevendo no quadro outra vez. A letra, infelizmente não é muito melhor do que aquela feita com a mão esquerda (Hahaha. Brincadeira professor)

Eis a prova