quinta-feira, 28 de maio de 2009

A vida de um ator

Você já parou para pensar como é a vida de um ator de novelas? Nem tudo é um mar de rosas na vida dos ídolos da tv, quando estão interpretando. Para atuar, o ator precisa passar por muitas dificuldades, personagens muitas vezes que são odiados pelo público.

A vida de um ator e os bastidores das gravações, você vai conferir na próxima edição do Unicom. Ah, quem é o ator? Uma dica: ele participou do filme Tropa de Elite. Ficou curioso? Leia o próximo Unicom para saber.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Ela não me larga

Faz um mês que eu não sei o que ela vê em mim. Não sei mesmo. A maldita gripe pegou, grudou e não quer mais me largar. Não tem mais o que tomar: chás, remédios, mel, limão e até cachaça, alguns dizem que ela esquenta a garganta, por via das dúvidas já testei tudo.

Só que ela não me larga mesmo. Têm pessoas dizendo que isso é falta do dengo da mamãe, já que faz pouco tempo que esta pessoa aqui mora sozinha e digamos que não tenha ninguém para lhe dar recomendações, como: coloca o casaco menina, não lava o cabelo de noite, não fica na rua até tarde, essas coisas.

Resultado: estou sempre pestiada. Ando colocando a culpa no tempo. Mas entre um repouso e outro, porque a febre também se instalou neste corpo, eu ando produzindo o novo Unicom.

Já visitei duas vezes a minha nova fonte: Bernardete. Digamos que ela tenha, aproximadamente, 25 "filhas". Pelo menos é assim que ela as considera. Berna, como é carinhosamente chamada pelas suas meninas, é costureira e aposentada, então está sempre envolvida com a rotina da casa onde as estudantes moram. Sabe que lugar é?

Por enquanto só conto isso. Logo mais, trago mais detalhes.

Agora no TWITTER!!

Bom dia galerinha!!

Estou passando para divulgar o novo endereço do UNICOM!
Agora o jornal mais querido do curso de comunicação está no TWITTER! Para acessar, é só entrar no endereço abaixo

Sigam o Unicom no twitter, deixem comentários e postem o que anda rolando pelas cabecinhas pensantes da esquipe que produz o jornal. ;)

Aventuras da nova edição

E aí pessoal!

É, tenho andado sumida do blog. Mas estou de volta com tudo! :)
Hoje estou dando uma passadinha para dar um gostinho do que será minha pauta para o nosso novo UNICOM.
Brinquedos de gente grande! Sim, gente grande também brinca e investe muita grana nisso. Mas óbvio que não vou entregar todo o ouro aqui, não é mesmo? Para detalhes, aguarde o novo UNICOM. O que posso adiantar são os "brinquedinhos" e o que os modelistas fazem com eles.
Fiquem com um videozinho que fiz das "crianças grandes" brincando com seus "modelinhos".
video

segunda-feira, 25 de maio de 2009

O fim de um viver


Hoje faz exatamente onze dias que minha vida morreu. Obviamente ela não deixou de existir no sentido literal, mas na forma romântica e corajosa com que eu a mantinha. Bastou uma noite, um lugar errado, um ato inpensado e um vidro quebrado. Em um segundo, anos espalhavam-se pelo asfalto, atropelados pelo medo e pela realidade.

Parada no trevo não vi nada além do que esperanças. O barulho e os cacos que caíam sobre meu corpo amedrontado diziam que era a hora de partir o mais depressa possível. Assim, desesperada, desemparada e com frio segui pelos caminhos da injustiça. As batidas do coração competiam com o velocímetro do pequeno carro.

Em seguida, encontrei refúgio em um ombro "amiga" e, mais adiante, forças no colo paterno e materno. Sem que eu pudesse notar, ali começava uma ruína. A da confiança no bem foi o primeiro alicerce a desabar. Depois de tudo no chão já não havia o que salvar. As ruas tornaram-se perigosas e cada indivíduo era suspeito de uma vida prestes a morrer.

Agora, três dias separam o fato de completar duas semanas. Um crime fracassado e a primeira vez na delegacia ainda são as cenas que norteiam meus pensamentos minuto após minuto, dia após dia. Luzes acesas, mãos dadas com a impunidade e sorrisos de morte cobrem meus passos como se fossem premonições de uma dor que antes doía apenas no olhar e no hematoma dos outros, seres já aterrorizados pela evolução da violência.

Saideira e Encontros com o professor juntos

Na próxima semana, os projetos Saideira (do Curso de Comunicação Social da Unisc) e Encontros com o Professor (do jornalista Ruy Carlos Ostermann) se unem mais uma vez para oportunizar o debate cultural e um excelente exemplo de como se faz jornalismo. No dia 2, às 19h30min, no Espaço Camarim, Ostermann entrevista o também jornalista David Coimbra. O evento faz parte da 22º Feira do Livro de Santa Cruz do Sul. Após a entrevista, que permite interação com o público, acontece uma sessão de autógrafos na Livraria e Cafeteria Iluminura. Ambas as atividades são abertas e gratuitas.

Esse é o segundo ano que o Encontros com o Professor e o Saideira são realizados em conjunto, em Santa Cruz do Sul. Em 2008, o projeto coordenado pela empresa Signi e viabilizado por meio da Lei de Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Fiat e do Banrisul, trouxe como entrevistado o cineasta Beto Souza. O Encontros tem Ostermann como a estrela que comanda um talk show quinzenal em Porto Alegre e com edições itinerantes pelo interior do Estado. O projeto é desenvolvido há cinco anos e busca dinamizar as discussões culturais no Rio Grande do Sul, oportunizando entrevistas com nomes que fazem parte desse cenário cultural. O Saideira, por sua vez, existe há três anos e é focado em debates sobre Comunicação. As propostas se assemelham porque, embora tragam discussões que são também acadêmicas, acontecem em locais descontraídos, permitem a presença da comunidade em geral e, especialmente, a interação do público com os convidados.

No Encontros/Saideira da próxima semana, Ostermann – o Professor, jornalista há 52 anos, filósofo, foi deputado e secretário estadual de Educação, com vários livros publicados - deverá entrevistar outro “entrevistador”. David Coimbra, 47 anos, é jornalista há 25 anos. Trabalhou em mais de 10 redações de jornal, rádio e Tv e atualmente é editor executivo de Esportes do jornal Zero Hora. Ainda colunista do jornal, comentarista da TVCOM, integrante do Programa Pretinho Básico, da rádio Atlântida, e do Café TVCOM . Escreveu 13 livros e recebeu 10 prêmios da Associação Riograndense de Imprensa, um Prêmio Esso Regional Sul, um Prêmio Açorianos de Literatura, entre outros.

Na sessão de autógrafos, os jornalistas/autores estarão à disposição do público para autografarem suas obras recentes. A promoção é conjunta do curso de Comunicação Social/Unisc, Sesc, Livraria e Cafeteria Iluminura e projeto Encontros com o Professor. O acesso às duas atividades será determinado pela ordem de chegada. Mais informações, pelos sites http://hipermidia.unisc.br/feiradolivro e www.encontroscomoprofessor.com.br .

Contato para entrevistas: 9806-4427 (Carla) ou 9231-1985 (Flávia).

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Paixão por futebol

Hoje talvez consiga responder ao post da Francine, sobre a paixão de futebol. Para quem me conhece, sabe que eu sou colorada doente, apaixonada e sou daquilo tipo: não posso, tem jogo do Inter neste horário.
Foi uma noite bastante dramática para os torcedores colorados e também flamenguistas, pois ambos disputavam uma vaga para a semi – final da Copa do Brasil. Os momentos que antecederem a partida foi de muito nervosismo, escutando uma rádio da capital ouço naquele momento que o capitão dos maiores títulos do Inter, Mundial e Libertadores, estava entrando em campo. Era Fernandão. Loucura, mais de 50 mil vozes coloradas cantavam: Uh, terror, Fernandão é matador. Foi de emocionar.
Terminou o primeiro tempo 1x0 para o Inter com gol de Taison. O segundo tempo começou no mesmo ritmo, marcação forte o que dificultava chegar ao gol. Nervosismo total, pois um gol daria a classificação ao Flamengo e foi o que aconteceu: Emerson que acabará de entrar marcou o gol de empate.
Tristeza, desanimo, mas um pingo de esperança. Ao som de camisa vermelha, uma das músicas da torcida organizada uma falta na entrada da área. Andrezinho, que fazia apenas três minutos que estava em campo, disse aos companheiros: deixa eu bater que vou marcar. Foi o que ele fez. Final de jogo: 2x1 para o colorado. Muita festa.
Depois deste jogou lembrei do post da Francine “Um amor chamado futebol”, não tem como não se apaixonar é um amor inexplicável de centenas de torcedores, sejam eles gremistas, colorados, uma paixão sem fim que a cada dia aumenta...é uma paixão nacional, está no sangue, passa de geração para geração. Basta assistir a uma partida decisiva, seja do time que for, para saber o que significa esse amor incondicional.
Deixei a mono de lado, que por sinal é sobre a assessoria de imprensa do Inter, para: me “dedicar” ao jogo nesta noite inesquecível de 20 de maio.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Só pra vir na aula

Tu ia bem até até a chuva começar. A água tão esperada na na zona rural, me atrapalhava de chegar na pensão onde "moro" nas segundas-feiras. Brilhante idéia: pegar uma carona de uns 200 metros com o ônibus de Encruzilhada . Fiquei na cabine do motorista. Ao olhar para a zona de passageiros, a primeira surpresa. Um "malandrão" que nunca vi na vida sentado ao lado da minha namorada. Mas um telefonema de alerta resolveria isso (aparentemente).

Minha carona chega ao curto destino. Desci. No momento em que a chuva apertou, cheguei na pensão. Decepção: ninguém em casa, tudo fechado. Tentei batidas, chamadas... mas não adiantou. Estava na rua e na chuva!

Era hora de testar algumas amizades. Primeiro telefonema sem resposta. O segundo tem ótima resposta: "Sim, há lugar aqui em casa pra ti sim". Sai do pórtico de entrada da Universidade, atravessei todo o campus e fui ao condomínio Universitário (na chuva). O portão dos fundos, mais próximo, estava fechado. Tive que andar mais uma quadra e me deslocar até a entrada principal.

Ao chegar no apartamento, sensação de constrangimento. Um casal ocupava a sala, lugar onde eu durmiria - a falta de roupa dele e a cara de assustada dela aumentaria meu constrangimento. Calma! Os amigos deram um jeito nisso. A solução foi dobrar dois cobertores no chão de um dos quartos e usar isso como cama - era o que eu tinha disponível! Um sono nada tranquilo, nada agradádel, nada satisfatório.

Ao amanhecer, precisava de um banho, de um café e de um pastel. Botei a mochila e a mateira nas costas e voltei à pensão. O banho seria normal se não fosse um detalhe: esqueci da toalha. Com isso, tive que sacrificar um moleton. Voltei à Unisc pra comer algo antes da aula. A ansiedade (fome) e o passado da hora me fizeram tomar o café rápido, o que me causou queimaduras na mucosa bucal.

Uma série de desatres e azares apenas em algumas horas! Tudo isso pra vir na aula de Produção em Mídia Impressa. Ô vida de acadêmico... Falta só mais um semestre!

Boas novas

Já estamos em processo de produção!

Concurso Universitário de Jornalismo CNN

Pessoas,

Segue o conteúdo do comentário deixado por Patricia Perez no post anterior. Vale a pena ler e participar, claro!

Oi, Tudo bem?

Meu nome é Patricia Perez, estou trabalhando na divulgação do 5º Concurso Universitário de Jornalismo CNN. Acredito que isso possa ser interessante para vocês e para os leitores do Blog do Unicom.

As inscrições começaram no dia 24 de março e podem ser feitas até dia 29 de junho de 2009. O tema deste ano é "O uso da tecnologia no desenvolvimento social".

A novidade de 2009 é que o estudante poderá enviar o vídeo de até 2 minutos pelo YouTube, sendo que ele poderá produzir quantas matérias quiser. O concurso é válido somente para estudantes de jornalismo.O ganhador conhecerá os estúdios da CNN International, além de ter sua matéria exibida pelo canal.

As inscrições podem ser feitas no site: www.concursocnn.com.br

Acompanhe ainda as novidades no Blog: http://www.concursocnn.com.br/2009/blog/ e fique à vontade para esclarecer quaisquer dúvidas comigo, por este email ou pelo telefone: (11) 3711-8131.

Obrigada pela atenção.

Patricia Perez

patricia@ichimps.com.br

sábado, 16 de maio de 2009

Um amor chamado futebol


O lindo sábado, perfeito para passear e tomar um mate amargo com os amigos, foi um dia normal de trabalho. Ao menos, para meu marido. Enquanto curtia o aconchego do lar, lá estava ele, às 7 horas, indo para o escritório. Aproveitei para pôr algumas leituras em dia. À tardinha, eis que o moço retorna. O trabalho, no entanto, não havia terminado. Deu apenas uma pausa para, pensei eu, ficarmos juntos, claro! Na verdade, curtimos sim o restinho do sábado, mas o motivo que o trouxe para a casa naquele momento foi o futebol! É, o emocionante jogo do imortal tricolor com o Atlético Mineiro, que ganhou por 2 a 1 e com o baita empurrão da arbitragem. Jogo bom, apesar do resultado.

Embora esteja acostumada a acompanhar os campeonatos de futebol - méritos dele, claro -, ainda não consigo entender esse amor platônico dos torcedores por um clube qualquer. A força que os une, a fidelidade que impera nessa relação, as reações diversas de um ser humano provocadas por um jogo e seu resultado... "Não há comparações", sei disso... "Nada pode ser maior", também sei... "Só morremos porque nosso sangue é vermelho", sim sim... Ainda assim, continuo sem saber de onde vem tamanho sentimento, tamanha devoção; um amor literalmente incondicional.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

O próximo Unicom vem aí

O primeiro Unicom já está na mão, é um orgulho sem tamanho ver que foi você que produziu. Foi uma experiência nova para eu ser subeditora do Unicom Indiadas. Se o primeiro rendeu elogios, o segundo deverá render em dobro, triplo.....vamos se puxar galera, não deixem para amanhã o que podem fazer hoje. O próximo Unicom vem aí, as pautas estão bem interessantes, assuntos diversos. Já falei com minha fonte e tenho várias fotos já em mãos, a maioria dos bastidores dos trabalhos que ele fez.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

UNICOM na mão e na boca da galera

Hoje fui na UNISC de manhã para editar um vídeo e recebi o UNICOM das mãos da até então editora Heloisa Pool!!
Fiquei orgulhosa pelo nosso trabalho, ver todas as semanas de buscas e discussões em sala de aula. E nossas próprias indiadas para correr atrás de pautas, fontes, fotos, ilustrações e até de um chapéu de Indiana Jones. Tudo ali, impresso na minha mão, gostei muito da experiência, das mancadas e dos feedbacks dos colegas.
Vi as pessoas irem na coordenação e aproveitar para dar uma folhada no nosso UNICOM. Se cobrir da chuva com ele, mas logo limpar os pingos e ler o seu conteúdo!!
E que venha o próximo UNICOM e as novas indiadas!!

Unicom já está disponível na coordenação

Moçada, seguinte: a primeira edição do Unicom deste semestre já está pronta e os jornais estão lá na coordenação.

Penso, a partir do que conversamos quando da avaliação individual/coletiva, e dos elogios que o jornal tem recebido, por merecidos, que atingimos um bom resultado, e que, se isso foi possível, deve-se fundamentalmente aos esforços dos que quiseram que isso ocorresse desta forma.

A estes, portanto, meu reconhecimento e gratidão.

Conforme combinamos na última aula, as novas funções estão abaixo discriminadas:

Edição: Bruna
Subedição: Francine
Diagramação: Alyne
Fotografia: Urgel

Vamos ver se intensificamos, nesta segunda edição, o trabalho multimídia. Por isso é importante que vocês registrem, quando de suas pautas, imagens em movimento e também estáticas. E que postem suas experiências ao longo do processo aqui no blog.

Abraço a todos.

INDIANA JONES...

Nesta quinta-feira estava desenvolvendo meu humilde trabalho de locutor. Havia alguns ingressos de uma festa para serem sorteados. Anunciei no ar que a primeira ligação levava um ingresso de "presa". Fechei o microfone, atendi o telefone e a surpresa veio com o nome da ganhadora: INDIANA JONES RODRIGUES MARQUES.

Impossível não lembrar do Unicom!

terça-feira, 12 de maio de 2009

E o próximo Unicom

Hoje a aula foi de avaliação. Hora de todos pensarem no que foi feito (ou não). Muito produtivo. Isso faz a gente pensar no que estamos fazendo como futuros jornalistas.

O Unicom ainda não está nas nossas mãos, mas já começamos a pensar no próximo. Dessa vez, serei a editora. Nova função, novo desafio, novas preocupações, novas angústias.

Aí vamos nós! Pautas já estão começando a serem pensadas. Processo de produção está começando novamente.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

O som da vida


Todos os dias, quando retiro meus pensamentos do estresse do dia-a-dia e me permito uma reflexão sobre os atos que nortearam mais algumas horas da minha breve vivência, agradeço aos meus pais por terem me ensinado uma das coisas mais bonitas da vida: saber escutar.

Hoje mesmo comentava como é possível achar histórias interessantes nas pessoas que nos rodeiam. Sim, são essas mesmo. Os amigos da faculdade, os colegas de trabalho, o atendente da padaria e aquela velha que parece não levar nada de interessante consigo são protagonistas de histórias maravilhosas, excitantes e deslumbrantes. Mas para que elas saiam do anonimato é preciso apenas uma coisa: ouvidos atentos à vida.

Assim, resgatar grandes fatos de histórias humanas passa a ser processo natural no cotidiano. A menina que leva a família nas costas, o senhor que nunca quis e ainda não quer conhecer o pai, o frentista que queria ser advogado, o rapaz que perdeu o irmão num acidente de carro onde o culpado foi o melhor amigo dele. Enfim, são pétalas jogadas ao chão que formam pequenas grandes histórias ou pedrinhas brilhantes que juntas formam o tapete das águas de um grande rio.

domingo, 10 de maio de 2009

Feira do Livro terá edição extra do Unicom

A edição-extra do Unicom que a moçada da Unisc preparou para a 22ª Feira do Livro de Santa Cruz do Sul segue para a gráfica amanhã cedo. E vai ficar muito bacana, diga-se. Quem quiser uma prévia em PDF, entre por aqui.

Destaco o trabalho porque foi realizado a toque de caixa, e de forma voluntária, por um grupo de quase formandos e outros a caminho de; alunos que, por meio deste trabalho, demonstraram uma vez mais o grau de maturidade com que estão chegando ao mercado de trabalho.

A edição-extra do Unicom estará disponível no lançamento oficial da 22ª Feira do Livro de Santa Cruz do Sul, dia 13 de maio, às 19h30, na Casa das Artes Regina Simonis. Já a Feira se inicia dia 30 de maio e segue até 07 de junho de 2009, na Praça Getúlio Vargas, no Centro.

Os merecidos créditos pela realização do jornal: Letícia Mendes (editora), Gelson Pereira (capa e diagramação), Daiane Balardin (produção),Márcia Melz (fotografia e reportagem), Francine Rabuske (reportagem), Heloísa Poll (reportagem), Letícia Mendes (reportagem), Marisa Lorenzoni (reportagem) e Sancler Ebert (reportagem). A direção de arte ficou por conta dos pra lá de competentes Gelson Pereira e Lázaro Fanfa.

A todos, meu reconhecimento.

sábado, 9 de maio de 2009

Primeiro Unicom de 2009 está quase pronto


Pessoal, a primeira edição do Unicom deste 2009 já foi para a gráfica e deve estar pronta, se tudo der certo, claro, na semana que entra. O "tudo der certo" fica por conta do fato de estarmos produzindo, paralelamente, uma edição-extra do Unicom para a Feira do Livro. Então agora é aguardar. E agradecer, uma vez mais, o empenho do Gelson em nos ajudar. A ele, nosso muito obrigado, pois! Por hora, você poder ver por aqui a versão em PDF.

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Risos aparecem na revisão

Como um texto pode parecer mudar tanto, quando diagramado e com fotos ou ilustrações né? Eu revisei um texto e axei ótimo o jeito que ele estava montado na página. Assim como vi a minha matéria e também parecia bem mais 'bonita'. Toda impressa, bonitinha!
E fora a estética, axo que a matéria já andou ganhando sentido. Na última aula, o Urgel ficou revisando e rindo do meu lado quando estava arrumando a minha matéria. Sinal que surtiu efeito já na revisão. haha

Beijos

Quê? e Unisc mataram a pau novamente


Escrevo para dizer que a terceira edição do projeto desenvolvido entre os alunos do curso de Jornalismo da Unisc, onde também leciono, e a moçada do Caderno Quê? - suplemento jovem do jornal Gazeta do Sul, de Santa Cruz do Sul - ficou pra lá de bacana. Isso no que diz respeito à planejamento gráfico e composição editorial, seja ela em termos de textos, imagens ou idéias.

Para quem não conhece, a idéia do projeto é a seguinte: todos os semestres, alunos do curso de jornalismo da Unisc são selecionados para realizar uma edição do Caderno Quê, veiculada com quatro ou oito páginas. Eles fazem de tudo: pauta, fotografia, diagramação etc. C

Os merecidos créditos: Amanda Mendonça (fotografia, ilustração e diagramação), Ana Cláudia Schuh (reportagem), Ana Luiz Rabuske (reportagem), Daniele Rubim (reportagem) Heloísa Pool (reportagem), Lívia Luz (reportagem), Luana Backes (reportagem) e Lucas Adolfo Baumhardt (reportagem). O processo, na redação da Gazeta, foi conduzido pelos titulares do Quê?, a saber: Jansle Appel Júnior, Guilherme Mazuí, Gelson Pereira e Carol Scortegagna. Da parte da Unisc, coordenou este que vos comenta.

Parabéns a todos os envolvidos, pois.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Sobre o silêncio da sala de aula

A aula, neste momento, está em silêncio. Ouve-se apenas o sussurro da ventilação do ar-condicionado. Aqui e ali uma tecla pressionada com um pouco mais de vigor sugere que há vida por trás dos computadores. Na verdade, todos revisam as páginas daquela que será, logo ali adiante, a primeira edição do Unicom deste primeiro semestre de 2009. Como convém a jornalistas zelosos do que estão por realizar.

Um fim e um começo

O dia do fechamento traz consigo um misto de emoções. Felicidade, angústica, apreensão, alegria e orgulho invadem as mentes àvidas por algo novo. O momento da finalização requer ainda mais atenção e responsabilidade, pois depois dela o jornal ganhará as ruas e o nosso nome, a boca do povo.

Quando os momentos finais se aproximam e o Unicom está prestes a nascer, também é chegada a hora de olhar para trás, ver o que ficou a desejar e quais os acertos do grupo. Esses minutos de reflexão podem ser duros para alguns e prazerosos para outros. O mais importante, no entanto, é que, independentemente da avaliação final, algum aprendizado seja extraído da experiência.

Depois de vencida esta etapa é preciso pensar em uma nova edição. Aliás, já estamos fazendo isso. Algumas pautas começam a preencher o quadro branco do laboratório 9 de informática. Na semana que vem o trabalho continua. Novos desafios, discussões e, antes de tudo, o prazer de conhecer e contar o novo aos velhos leitores.

FIM!!

Fechamento da primeira edição. Quanto alívio!
Até onde a vista pode alcançar, tudo está certo.
Após tantas idas e vindas, tropeços e novas tentativas... a coisa andou e logo logo teremos mais um UNICOM saindo para a alegria da galera e alivio dos curiosos que não devem mais aguentar nos ouvir falar do tão sonhado UNICOM INDIADAS.
Mas agora.. dá um vazio! O indiadas foi tão querido por nós que parece que agora, finalizando-o, parece que o abandonamos, deixamos ele para trás para ir em busca de uma nova aventura.
Mas isso faz parte da profissão. Se apegar à pautas ou aos "filhos" que saem do forno não é um luxo que podemos conceder a nós mesmos. O trabalho não para e já começamos a trabalhar na próxima edição.
Quando a edição Indiadas chegar às nossas mãos, uma nova paixão já terá assumido seu lugar em nossos corações, com novas pautas, novas fontes, novas.. indiadas.
É, pensando bem nem tudo fica para trás. O orgulho do trabalho finalizado e as lembranças dos momentos na produção fazem parte da nossa história.
Acho que jornalista tem o coração grande. Se apaixona por cada pauta na busca de transformá-la na melhor possível e guarda um pouquinho de cada consigo como um aprendizado para o resto de sua jornada.

O dia da revisão

Colegas, hoje é o dia Bruna, da Pati e da Franci revisarem o nosso Unicom para encaminharmos para a gráfica!! Quem diria hein, depois de tanto esforço de todos, o nosso jornal está pronto. E hoje mesmo na aula começamos a pensar em novas pautas para o próximo Unicom. Foi muito bom fazer essa cadeira, e espero que a produção da próxima matéria seja assim também...
Um bom trabalho aos revisores....

Bejinhos da Fê

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Uma parada para pensar

Recentemente li uma crônica onde a autora dizia que andar de ônibus era tudo de ruim. A forma como ela escreveu tocou o meu ser e a temática também. Então, depois de vários minutos dedicados à reflexão sobre o assunto, conclui que pior que andar de ôninus - na verdade nem acho isso tão ruim assim- é esperar por ele em qualquer uma das paradas que existem por aí.

Pode-se afirmar, sem medo de errar, que pontos de embarque e desembarque dos coletivos são alguns dos locais onde a ignorância humana está mais visível. Hoje, por exemplo, enquanto eu esperava o Primavera - aliás, que nada tem de primaveril - notei a imensidão de lixo jogada sobre a rua e a calçada. Pensei: será que são pessoas mesmo que pegam ônibus aqui?

Sinceramente, chega a dar nojo permanecer em locais como este. A lixeira está a poucos metros de distância, mas a inteligência está mais longe ainda. Algo terrível, devastador e preocupante. Além da sujeira que espelha a mente poluída da maioria dos usuários, há as palavras mal-ditas (?) que deixam o ambiente ainda mais insuportável.

Os assuntos são fúteis, a educação das quatro crianças que a mãe carregava no colo era de envergonhar qualquer um e a roupa curtíssima e insinuante que a moça, supostamente, usou no trabalho, é de fazer concluir uma coisa: onde vai parar esse mundo?

As paradas, no entanto, não permitem somente esse olhar. Enquanto esperava o ônibus, pela milésima vez atrasado, consegui ver também a ignorância no trânsito e os olhares traidores dos esposos e das esposas. Infelizmente, também foi possível presenciar a indiferença para com os animais.

Enfim, permanecer em uma parada de ônibus por muito tempo pode ser prejudicial à saúde. Mesmo que afirmem que andar de coletivo seja o melhor a fazer, qualquer ser um pouco mais racional não agüenta por muito tempo essa condição. Creio, também, que daqui a algum tempo os motoristas não vão parar para que seus passageiros possam entrar. O fato é que eles só verão lixo, burros e asnos, o que fica difícil de embarcar.

ps.: como usuária do transporte público, sei que há exceções. Sendo assim, lembro que as afirmações acima não servem para todos.

Programa divulga semifinalistas

Direto do site Profissão Repórter:

Na próxima terça-feira, 5 de maio, logo depois da exibição do programa, vamos divulgar a lista dos 30 semifinalistas aqui no nosso site. Os selecionados devem reservar a quarta e a quinta-feira da próxima semana para entrevistas, via web cam, com Caco Barcellos. Já vão providenciando uma web em casa, na casa de um amigo ou na lan house mais próxima. Fiquem ligados e Boa sorte a todos!

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Salvador II

Sempre tem um salvador, desta vez foi o Gelson. Ele além de ajudar a Alyne a diagramar também será o responsável pela capa
Grande Gelson

A capa do Unicom

Na última aula estávamos na pré – finalização da edição do Unicom, para ser enviada na próxima semana para a gráfica, porém faltava a capa. Em contato com o colega Lázaro ele informou que não teria tempo de faze –la. E agora? Pela primeira vez, o professor Demétrio nos deixou sozinhos na sala de aula para discutirmos o que faríamos. Nunca a turma havia ficado sozinha e agora seria para discutir um item fundamental para um jornal: a capa. Uns 10 minutos de conversa e a turma entrou em consenso. A turma se puxou, alguns colegas foram para a rua e outros ficaram na sala de aula. Agora aguarde para ver a capa no estilo Indiana Jones