sábado, 28 de março de 2015

Rumo ao não-lugar

No livro “O mundo como vontade e representação”, o filósofo Arthur Schopenhauer descreve o ser humano como um sujeito empírico, que conhece todo o resto sem ser ele mesmo conhecido. Esta é a perspectiva que me guia rumo a Fortaleza dos Valos, município localizado no noroeste do Estado. Falar de estradas como não-lugar exige entender como os habitantes – 4.575 segundo o último senso do IBGE – da cidade veem sua relação com o mundo. O morador escolhido para a atividade é Imério Rossatto, de 75 anos, primeiro prefeito de Fortaleza, entre os anos de 1983 e 1988.
Para chegar ao seu Imério são três longas e cansativas horas. Pego o ônibus rumo a Fortaleza dos Valos na tarde de sexta-feira (27). Na bagagem, curiosidades, lembranças e a saudade do povo desta pequena cidade que faz parte da minha trajetória. Confiram abaixo as anotações feitas durante a viagem pela repórter que vos escreve:

  • 13h – ônibus sai de Candelária;
Origem:Candelária. Destino: Entrada Fazenda Colorado (distrito de Fortaleza dos Valos)

  • 14h13min – ônibus deixa a rodoviária de Sobradinho;
Da janela do ônibus, fotografo a primeira parada

  • 14h28min – Neste exato horário (ao som de “Talvez”, do Suricato) cruzo o pórtico de Arroio do Tigre;
Rodoviária do Tigre fica em frente a esta casa, que se destaca pelos pinheiros

  • 14h52min – Em algum quilômetro não identificado (não consegui ver a placa) da RS-481, a paisagem tomada por lavouras de soja que parecem tocar o céu anuncia: estou mais perto de Fortaleza do que de Candelária;

  • 15h03min – Seja bem-vindo a pequena e simpática Estrela Velha;
Terceira parada: Estrela Velha

  • 15h26min – Em tamanho, Salto do Jacuí larga na frente de Estrela Velha. Em simpatia, no entanto... “Eita” cidade cinzenta e fria!
Ônibus é aguardado com festa em Salto do Jacuí

  • 16h15min – Enfim, Fortaleza! Mas, não oficialmente. Neste horário desembarco na fazenda Santo Antônio da Palma. Até a cidade, mais meia hora de carro.
Paisagem característica não deixa dúvida: estou em Fortaleza!






sexta-feira, 27 de março de 2015

A EXPERIÊNCIA DE FAZER UNICOM



O trabalho realizado na disciplina de produção em mídia impressa é fazer dois Unicons, mas anualmente o curso de comunicação da Universidade de Santa Cruz do Sul disponibiliza três exemplares do periódico. Isto se deve ao fato da Agência experimental da comunicação (Agência A4) produzir um Unicom especial para a feira do livro de Santa Cruz do sul. Às vezes a Agência A4 produz mais Unicons especiais como na SBPJor (Associação Brasileira de Pesquisadores em jornalismo).
O que se leva em conta na Agência A4 é o trabalho mais supervisionado, com mais dicas. O intuito é de ensinar o aluno a fazer mesmo que o básico; a Agência é um espaço de aprendizagem, já a disciplina tem o cartar inteiramente laboratorial. Não é que o docente da disciplina deixe de ensinar, muito pelo contrário, ele instiga o aluno a fazer e olhar de forma diferente para um assunto muitas vezes comum e sem importância para a maioria.
Quando cheguei à escola Monte das Tabocas passei a conhecer todo o trabalho da professora Silvana Laissmann e fiquei contente em saber que existem pessoas como ela que se dedicam a este tipo causa. Este é o trabalho do Unicom, revelar trabalhos e ações únicas que demonstram aos estudantes e a quem lê potencialidades daquelas pessoas que fazem a diferença na nossa sociedade e certamente ficam gravadas na memória para no futuro ter uma feliz lembrança da experiência que foi fazer parte do Unicom.

Reportagem para o Unicom feita para a Feira do Livro de 2014.


quarta-feira, 25 de março de 2015

Extra! Extra!



O Unicom Estradas está ganhando forma!

Fique atento para as novidades que estão chegando por aí.

Logo logo você vai ver em vários pontos da UNISC o caminho para ele se formando ;)

Aguarde...

O Unicom te pergunta...

Depois de quatorze dias, hoje encerra a pesquisa realizada pelos alunos da disciplina de Produção em Mídia Impressa, sobre o Unicom. Até o momento foram mais de cem participações. Nossa pesquisa teve como objetivo saber o que os internautas (leitores ou não do Unicom) pensam sobre ele. Para isso, seguindo os modelos das edições passadas, fizemos questionamentos sobre circulação, divulgação e estética do jornal.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Inspire-se com os Nômades Digitais

É raro hoje o jovem que não almeja colocar o pé na estrada, fazer um mochilão, intercâmbio ou qualquer outra aventura do tipo que o tire da tão cômoda, porém angustiante zona de conforto. Os que já foram, em sua maioria, têm apenas um desejo: continuar viajando. Aqueles que ainda estão na vontade – e querem MESMO realizar esse desejo - economizam, pesquisam, fazem das tripas o coração para tirar esta experiência do plano inalcançável para torná-la realidade.

A boa nova é que essa "trip" pode se tornar muito mais significativa do que três, quatro meses ou seja lá qual for o tempo que os aventureiros tinham idealizado ficar fora do país. Com o mundo em um clique, ela pode fazer parte da rotina, do trabalho, da profissão. Basta uma internet 4G, acompanhada de um notebook ou tablet e, claro, a persistência na hora de ficar longe de casa.

Crédito: Nômades Digitais
Pensando em como transformar a ambição de muitos, uma realidade palpável, os criadores do site Nômades Digitais, Eme Viegas, 31 anos, e Jaque Barbosa, 25,criaram uma plataforma onde é possível conferir quais são os primeiros passos para começar a apostar nessa aventura. Além de traçar roteiros, divulgar hospedagens econômicas e disseminar profissões que podem gerar retorno financeiro no exterior, eles evidenciam como usar a tecnologia a seu favor.  Vale ressaltar que todas as dicas são realistas e prezam sempre pela relação custo-benefício.

Para se inspirar, a dica é ler o texto Comece por Aqui. Depois disso, é bem provável que mil ideias aflorem e, bingo! Essa é justamente a intenção de fundo do site. Fazer você refletir sobre o que almeja para o futuro.

Desafie-se. Afinal, viajar é bem mais do que pegar a estrada. É conhecer outro “universo”. É viver experiências jamais antes imaginadas. É fazer valer essa bagagem que se chama vida. 

Mais sobre as experiências dos Nômades Digitais, confira ano vídeo abaixo:


Infinita Highway

Tá começando mais uma semana...a estrada é longa e cheia de possibilidades!


quinta-feira, 19 de março de 2015

Um caminho de processos

Dada a largada para mais um Unicom! E para que ele saia perfeito, uma longa jornada está começando. Os procedimentos para se dar vida a um jornal são incontáveis. Mesmo se tratando de um jornal laboratório a caminhada é árdua, até porque ele não fica para trás de um bom e renomeado jornal. Da nossa forma, com nossas regras, mas é, sim, um jornal. O nosso jornal.


Lugar-comum

Falar sobre estradas e lugares não é fácil. A tarefa é difícil não só pela parte descritiva, mas por aquilo que evoca no ser humano. Desde os primórdios escrevemos, falamos, pensamos e sonhamos com o desconhecido. Somos desbravadores por natureza e por necessidade. Nunca estivemos tão conectados e nunca procuramos tanto por um lugar para ficarmos a sós. Isso é reproduzido pelos filmes (Wild e Interstellar), tanto pela literatura (On The Road, Into The Wild) e pela arte em geral. Convivemos em comunidade por necessidade, mas procuramos a solidão para a quietude, o desbravamento interior, a necessidade de reflexão.
Quando foi decidido que iríamos falar de estradas, me questionei qual direcionamento dar para a minha (futura) matéria. Hoje, decidi deixar o instinto me levar e aproveitar o passeio.



quarta-feira, 18 de março de 2015

A missão de cada um


No começo de cada semestre, as turmas se renovam. O professor e a sala podem ser os mesmos, mas é hora de rever atribuições. No início, se pensa sobre qual assunto, qual pessoa é mais diferente para se trabalhar ou para se conversar. Depois de definir isto, se escolhe a função de cada um. É claro que os gostos pessoais são levados em conta e normalmente quem quer exercer uma determinada função a solicita.
Para cada atribuição, é requisitada uma responsabilidade ao acadêmico como se fosse dentro de uma redação de algum jornal. É necessário ter um padrão e se ater a tal para que tudo não vire uma bagunça. Dentro deste aspecto com a concordância dos demais colegas, o Unicom já possui um manual de fotografia para orientar e tornar mais fácil a visualização da estética que jornal exige.

É importante ressaltar que nada é em vão e tudo possui uma finalidade, mesmo na questão fotográfica. Às vezes uma foto mais escura quer transmitir uma sensação de medo, incerteza ou de mistério. Contudo, há sempre uma referência e nada é o acaso, sempre levando em conta que haverá uma eleição das melhores fotos.

Definição de pauta




Viver na estrada atrai pessoas, indo de cidade em cidade conhecendo cada canto do país, levando consigo sua família, seus amigos, seus animais de estimação, sua casa. Pode até parecer um sonho, uma utopia. Mas não possuir um lugar, uma identificação com uma cidade, sempre possuir os mesmos vizinhos, passar as mais diversas adversidades para levar o riso, a alegria, o colorido, o espetáculo do encantamento para desconhecidos. Será que realmente compensa?
Neste semestre, a turma de Produção em Mídia Impressa está trabalhando dentro de uma temática como em anos anteriores. Diversos temas e sugestões foram pensados pela turma, que escolheu "a estrada como não-lugar; como lugar algum; como caminho; estrada como momento de transformação". Dentro das três primeiras premissas, encontrei uma pauta da qual dei pequenas dicas do que irá se tratar.
A pauta pensada tem uma história longa e diversa, sendo que a mesma surgiu antes mesmo da escrita em algumas civilizações. Do seu surgimento para a contemporaneidade, muitas coisas modificaram-se, mas sua essência permaneceu. Todavia, por estar na estrada indo de cidade em cidade transmitindo alegria, muitos passaram a não dar tanto valor ao que é feito por eles.

Isto os tornou para muitos sem importância. É importante ter uma reflexão se realmente não é necessário haver uma maior valorização de alguém que abandonou um lugar fixo para residir no não-lugar. Tudo isso com um sorriso estampado no rosto e a vontade de transmitir alegria para aqueles que se dispuseram a lhe conceder uma chance de ouvir suas histórias. 
 

sexta-feira, 13 de março de 2015

Pé na estrada


Estrada pode ser tanta coisa. Desde o conceito mais abstrato - a "estrada da vida", do agora saudoso José Rico - até a ideia mais simples - a do caminho que nos leva para casa, para estudar, trabalhar ou para perto de quem amamos.

Como são as estradas o tema da primeira edição deste semestre do Unicom, já procuro as mais diversas inspirações.