Pular para o conteúdo principal

Destaques

Lançamento do Unicom Conflitos reúne profissionais para debate com alunos

A nova edição do Jornal Unicom, produzida em cima do tema “Conflitos que transformam”, teve o lançamento oficial na noite dessa segunda-feira, 27, em um evento onde o assunto central da publicação foi debatido. Mediado pelo professor Demétrio de Azeredo Sóster, o debate iniciou após as 19h30, no auditório do Memorial da Unisc, e teve como convidados à mesa o jornalista Rodrigo Lopes, a psicóloga e socióloga Gabriela Maia e o sociólogo e professor Luiz Augusto Campis.
No primeiro momento, os três convidados tiveram a oportunidade de falar sobre conflitos que transformam – para o bem ou para o mal – a partir das perspectivas profissionais e pessoais de cada um. Quem deu início a essa fase foi Gabriela, que tratou majoritariamente sobre questões de gênero e a violência acerca disso. Dando sequência, com uma perspectiva mais sociológica, Campis falou sobre a Teoria do Conflito Social, de Karl Marx, relacionando-a com a realidade. Para finalizar, Lopes fez uma breve apresentação sobre a …

O Unicom já está aí

No segundo semestre do ano passado, me foi concedido um espaço em um dos veículos experimentais do curso para publicar críticas cinematográficas de minha autoria. Tratava-se, na verdade, da cobertura da inesquecível Semana Acadêmica dos 15 anos da Comunicação Social, durante a qual aconteceram sessões comentadas de filmes que refletem a nossa profissão. Na ocasião, tive a oportunidade de escrever sobre uma deliciosa comédia dos anos 70 chamada A Primeira Página -  o prof. Demétrio também comentou-a recentemente em seu blog pessoal.

O mais bacana do filme é que apresenta, de forma muito bem humorada, uma rotina jornalística que hoje nos é estranha, pois praticamente independente de qualquer tecnologia. Não se trata de outro mundo - na verdade, a essência do trabalho continua a mesma -  mas de uma lógica diferente. Hoje, teóricos e atores práticos concordam que é insustentável pensar em jornalismo dentro dos limites de uma folha de papel. Os diversos suportes disponíveis convergem afim de dialogar de maneira mais próxima com seu público.

Venho eu com toda essa lenga-lenga, que não é novidade pra ninguém, para apresentar e justificar um dos projetos que deve marcar a "instituição" Unicom neste primeiro semestre de 2010. Como já vem sendo feito há algum tempo, vamos investir pesado em suportes digitais. Não se trata de apelo barato de divulgação, mas sim de estender a mensagem jornalística do impresso para outros meios, adequando-a às características de cada um.

Começa pelo Blog, inaugurado há dois anos e repaginado agora. Aqui, vamos narrar e comentar o processo de feitura e também promover discussões que dizem respeito a todos - não apenas via texto, mas também por outros formatos. Depois tem o Twitter e o Flickr, que nos colocam em contato de forma muito dinâmica com nossos futuros leitores. Finalmente, para coroar o semestre de pelo menos duas edições do jornal, um produto audivisual que deixará documentada a produção para a posteridade.

Portanto, o recado é esse: não precisa ficar esperando aparecer a pilha de jornais lá na coordenação. O Unicom já está aí.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas