Pular para o conteúdo principal

Destaques

Lançamento do Unicom Conflitos reúne profissionais para debate com alunos

A nova edição do Jornal Unicom, produzida em cima do tema “Conflitos que transformam”, teve o lançamento oficial na noite dessa segunda-feira, 27, em um evento onde o assunto central da publicação foi debatido. Mediado pelo professor Demétrio de Azeredo Sóster, o debate iniciou após as 19h30, no auditório do Memorial da Unisc, e teve como convidados à mesa o jornalista Rodrigo Lopes, a psicóloga e socióloga Gabriela Maia e o sociólogo e professor Luiz Augusto Campis.
No primeiro momento, os três convidados tiveram a oportunidade de falar sobre conflitos que transformam – para o bem ou para o mal – a partir das perspectivas profissionais e pessoais de cada um. Quem deu início a essa fase foi Gabriela, que tratou majoritariamente sobre questões de gênero e a violência acerca disso. Dando sequência, com uma perspectiva mais sociológica, Campis falou sobre a Teoria do Conflito Social, de Karl Marx, relacionando-a com a realidade. Para finalizar, Lopes fez uma breve apresentação sobre a …

"Escrever é a arte de cortar palavras"

Não foi dífi escrever o texto do Unicom. O mais complicado foi diminuir os mais de 6 mil caracteres que eu havia escrito para 3 mil e 500. Parecia impossível reduzir tanto. Foram horas entrevistando. Horas transcrevendo. Horas escrevendo. Para depois, simplesmente cortar tudo? Quanta injustiça.

Foram vários e-mails trocado com a editora Ana Flávia. "Emilin, não posso aceitar o teu texto deste tamanho", ela me dizia. E eu ia cortando frases e frases, substituindo palavras por outras mais curtas. Já dizia Carlos Drummond de Andrade: "Escrever é a arte de cortar palavras". Então tentei seguir a dica do mestre da literatura e assim o fiz.

Porém, não consegui diminuir para os tais 3 mil e 500 caracteres. O texto ficou com pouco mais de 4 mil. Repassei para a editora. Ainda não recebi nada dizendo para cortar mais. Pode ser que dê para encaixar assim. Tomara. Realmente não sei mais o que posso cortar.

Comentários

  1. Concordo com vocÊ!

    Foi bem difícil chegar até os 3 500 caracteres, mas posso dizer que me aproximei!

    Como já disse "escrever é cortar palavras"

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Mas ainda acredito ser melhor produzir muito e condensar do que não conseguir produzir! Acho que o "deu branco" ou o "faltou inspiração" são problemas ainda maiores!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas