Pular para o conteúdo principal

Destaques

Lançamento do Unicom Conflitos reúne profissionais para debate com alunos

A nova edição do Jornal Unicom, produzida em cima do tema “Conflitos que transformam”, teve o lançamento oficial na noite dessa segunda-feira, 27, em um evento onde o assunto central da publicação foi debatido. Mediado pelo professor Demétrio de Azeredo Sóster, o debate iniciou após as 19h30, no auditório do Memorial da Unisc, e teve como convidados à mesa o jornalista Rodrigo Lopes, a psicóloga e socióloga Gabriela Maia e o sociólogo e professor Luiz Augusto Campis.
No primeiro momento, os três convidados tiveram a oportunidade de falar sobre conflitos que transformam – para o bem ou para o mal – a partir das perspectivas profissionais e pessoais de cada um. Quem deu início a essa fase foi Gabriela, que tratou majoritariamente sobre questões de gênero e a violência acerca disso. Dando sequência, com uma perspectiva mais sociológica, Campis falou sobre a Teoria do Conflito Social, de Karl Marx, relacionando-a com a realidade. Para finalizar, Lopes fez uma breve apresentação sobre a …

Sobre a avareza...

Avareza é um assunto que vem sendo tratado desde a antiguidade. Muitos pensadores já estudaram o assunto por diversas razões, como por exemplo, o economista do século XVIII Adam Smith que sustenta a teoria de que o próprio capitalismo baseia-se no pecado da avareza. Algo para se pensar.

A palavra avareza vem do latim "avidus aeris" que significa ávido por cobre; no grego, "filarguria", e significa amor à prata.

Seguem algumas frases sobre a avareza para reflexão:

"A avareza é um nó corredio que aperta cada dia mais o coração e acaba por sufocar a razão." (Honoré de Balzac)

"A avareza perde tudo ao pretender ganhar tudo." (Jean de La Fontaine)


"A avareza tira aos outros o que recusa a si própria." (Sêneca)


"O avarento vive sempre na pobreza." (Horácio)


"O mestre disse: O pródigo é arrogante e o avaro é mesquinho. É preferível a mesquinhez à arrogância." (Confúcio)

"O avarento gasta mais no dia da sua morte do que gastou em dez anos de vida, e o seu herdeiro mais em dez meses do que ele na vida inteira." (Jean de La Bruyère)

Comentários

Postagens mais visitadas