Pular para o conteúdo principal

Destaques

Lançamento do Unicom Conflitos reúne profissionais para debate com alunos

A nova edição do Jornal Unicom, produzida em cima do tema “Conflitos que transformam”, teve o lançamento oficial na noite dessa segunda-feira, 27, em um evento onde o assunto central da publicação foi debatido. Mediado pelo professor Demétrio de Azeredo Sóster, o debate iniciou após as 19h30, no auditório do Memorial da Unisc, e teve como convidados à mesa o jornalista Rodrigo Lopes, a psicóloga e socióloga Gabriela Maia e o sociólogo e professor Luiz Augusto Campis.
No primeiro momento, os três convidados tiveram a oportunidade de falar sobre conflitos que transformam – para o bem ou para o mal – a partir das perspectivas profissionais e pessoais de cada um. Quem deu início a essa fase foi Gabriela, que tratou majoritariamente sobre questões de gênero e a violência acerca disso. Dando sequência, com uma perspectiva mais sociológica, Campis falou sobre a Teoria do Conflito Social, de Karl Marx, relacionando-a com a realidade. Para finalizar, Lopes fez uma breve apresentação sobre a …

Rodeios


Sábado à tarde. Nuvens escuras anunciam que a chuva vai chegar a qualquer momento e eu, agarrada com meu bloco de anotações, tento estabelecer um diálogo de confiança com pessoas que conheci há cerca de dez minutos. Sentados na frente de casa, quase no rumo da estrada, três moradores de um bairro da periferia de Venâncio Aires aceitam conversar comigo. Enquanto as duas mulheres tomam chimarrão, o senhor idoso bebe cerveja direto da garrafa.

Não é fácil falar de compra de votos de forma direta e obter respostas que não sejam um “não sei de nada” ou “nunca ouvi falar”. Busco rodeios para tentar não assustar conquistar as fontes. Conversamos sobre a propaganda eleitoral, os comícios, as promessas políticas. Quanto considero o momento certo, pergunto se alguém já ofereceu rancho ou favores em troca de voto. A resposta não é muito diferente do que eu temia. Eles já ouviram comentários, mas "não sabem" de nenhum caso. 

É difícil ser direto quando o assunto é delicado. Conversa vai, conversa vem, o senhor da cerveja se encoraja e menciona um acordo - não cumprido, por sinal. Logo emenda:

-Olha menina, não sou estudado, mas eu sei de uma coisa. Essas pesquisas como a tua são só para dar condenação.

Conversamos mais um pouco e eu tento engrenar o assunto, sem sucesso. Ao me despedir, ele faz uma última observação sobre o comentário.

- Desculpa qualquer coisa, não quis ofender.


Fico devendo as fotos, mas gostaria de compartilhar esse “causo”. A reportagem completa sobre a política toma lá dá cá todo mundo confere no Unicom. 

Comentários

Postagens mais visitadas