Que a bolsa estoure

Eu já participei da produção de outras edições do Unicom por causa da A4 - Agência Experimental de Comunicação. Porém, desta vez, fazendo o Unicom da disciplina, parece tão diferente. Criar um jornal com tantas mãos e com uma manhã por semana dedicada, exclusivamente, para isso, é excitante. Não tem como não pensar a todo momento no nascimento do nosso filho. Eu quero pegá-lo no colo. E, diferente da maioria das outras gestações, não vejo a hora dos outros poderem segurá-lo também.


Não estou com medo das contrações dos últimos momentos da edição. Não me importo de ficar enjoada sem saber o que os outros vão pensar. Não ligo se eu acordar no meio na noite a procura de chocolate para matar a ansiedade de tê-lo nas minhas mãos. Esse jornal tem várias mães e pais e ninguém está com medo de parar na sala cirúrgica. Que o Unicom Separações venha ao mundo, com páginas de boas histórias e lindas fotografias para ilustrar.


Comentários

Postagens mais visitadas