Pular para o conteúdo principal

Destaques

Lançamento do Unicom Conflitos reúne profissionais para debate com alunos

A nova edição do Jornal Unicom, produzida em cima do tema “Conflitos que transformam”, teve o lançamento oficial na noite dessa segunda-feira, 27, em um evento onde o assunto central da publicação foi debatido. Mediado pelo professor Demétrio de Azeredo Sóster, o debate iniciou após as 19h30, no auditório do Memorial da Unisc, e teve como convidados à mesa o jornalista Rodrigo Lopes, a psicóloga e socióloga Gabriela Maia e o sociólogo e professor Luiz Augusto Campis.
No primeiro momento, os três convidados tiveram a oportunidade de falar sobre conflitos que transformam – para o bem ou para o mal – a partir das perspectivas profissionais e pessoais de cada um. Quem deu início a essa fase foi Gabriela, que tratou majoritariamente sobre questões de gênero e a violência acerca disso. Dando sequência, com uma perspectiva mais sociológica, Campis falou sobre a Teoria do Conflito Social, de Karl Marx, relacionando-a com a realidade. Para finalizar, Lopes fez uma breve apresentação sobre a …

O nascer de uma reportagem


O cheiro adocicado da uva japonesa denuncia a chegada à casa de Irsi Leonita Franz, no interior de Santa Cruz do Sul. Árvores altas – atingem até 12 metros de altura, têm frutos marrons e que, por ficarem bem no topo do pé, passam despercebidos pela maioria. Discretos e pouco conhecidos, assim como o trabalho desenvolvido por dona Irsi na pequena localidade de Linha Felipe Néri, 2ª distrito do município. 


Foto: Henrique Scherer
 Dona Irsi é o case da minha matéria no 2º Unicom do semestre. Sabe aquela pessoa simples, mas feliz? É ela. E na simplicidade da sua casa, me recebeu. Quer dizer, nos recebeu. Eu, meu pai (vulgo motorista e fotógrafo particular da filha) e minha mãe (copiloto e palpiteira). Eu conheci a família Franz quando era pequena e morava em Monte Alverne, também interior de Santa Cruz. 

Destes tempos guardo histórias de várias pessoas e a dela foi uma que eu quis contar. O contato foi fácil, o acesso também. Acredito que se a matéria começa assim, tem tudo para dar certo. E deu. Escrevi mais do que deveria e, mas entre cortes e recortes, ficou super bacana (modéstia à parte, obviamente). O resultado? Você confere na edição, ora. Afina, não vou contar tudo aqui, né? :)

 

Comentários

Postagens mais visitadas